A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Apostila - DESENHO DE ARQUITETURA I

Pré-visualização | Página 1 de 3

DESENHO DE ARQUITETURA I
1 – Instrumentos e materiais de desenho
O desenho de arquitetura é um trabalho de precisão.
 De acordo com as possibilidades de cada um deve-se procurar obter instrumentos de melhor qualidade, pois a execução de um bom trabalho também depende do material utilizado. Instrumentos de baixo custo geralmente apresentam defeitos, e seu uso dificilmente trará bons resultados. 
Lapiseira
 Lapiseira de mina grossa
Mina = grafite da lapiseira
Utilizam minas comuns de 2 mm. São lapiseiras que permitem que a mina seja ajustada com o uso do apontador permitindo diversas espessuras de linha.
 Lapiseira de mina fina
As lapiseiras de mina fina utilizam minas de 0.3, 0.5, 0.7 e 0.9 mm. 
As lapiseiras de 0.3mm produzem linhas muito finas e tendem a quebrar se aplicarmos muita pressão;
As lapiseiras 0.5 mm são as mais práticas para desenhos em geral;
As lapiseiras 0.7 e 0.9 mm são uteis para fazer croquis e escrever.
Croqui - desenho feito ao vivo, em breves traços de lápis ou pincel, de modo que mostre o essencial do modelo. / Esboço. 
Lápis
Os lápis de madeira para desenho geralmente são utilizados para desenhos e croquis à mão livre. 
Minas de grafite
As minas de grafite para se desenhar em superfícies de papel varia de 9H (extremamente duras) a 6B (extremamente macias). Sob uma mesma pressão, as minas mais duras produzem linhas mais leves e finas, enquanto as minas mais macias produzem linhas mais densas e grossas.
H – adequadas para layouts e letras;
HB – relativamente macia, fácil de traçar e apagar, mas também tendem a borrar facilmente. A experiência e boa técnica são necessárias para controlar a qualidade da linha.
B – macia e usada para linhas e letras densas.
Estes tipos de lápis, lapiseiras e minas permitem a produção de desenhos com traços de qualidade. À medida que for experimentando cada tipo, você irá desenvolver uma preferência para o toque, peso e equilíbrio característico de cada instrumento específico conforme o desenho.
Canetas de naquim 
Produzem linhas de tinta precisas e uniformes sem a aplicação de pressão. A caneta de nanquim tradicional utiiza um fio metálico regulador do fluxo de tinta dentro de uma ponta tubular, cujo tamanho determina a largura da linha de tinta.
Há nove espessuras de pontas disponíveis, desde de extremamente fina (0,13mm) a muito grossa (2 mm). Um conjunto básico de canetas deve incluir as quatro espessuras de linha padrão – 0,25, o,35, 0,5 e 0,7 mm.
Obs:
- Utilize tinta para desenho preta; 
- Após cada uso, recoloque a tampa da caneta bem atarrachada de forma a evitar vazamentos de tinta e em caso de queda não danificar as pontas;
- Quando as canetas não estiverem sendo utilzadas guarde-as horizontalmente.
Réguas T
São réguas que tem uma barra transversal em uma de suas extremidades. Esta cabeça desliza ao longo da borda da mesa de desenho com uma guia. Para estabelecer e desenhar linhas retas paralelas. 
São relativamente baratas e portáteis, mas exigem uma borda reta e nivelada na qual sua cabeça possa deslizar.
Estão disponíveis nas dimensões de 80, 100 e 120 centímetros. As de 100 e 120 são as mais utilizadas.
Obs: NÃO DEVEM SER USADAS PARA CORTES
Réguas Paralelas
São equipadas com um sistema de cabos e roldanas que permitem que a régua propriamente dita se desloque ao longo da prancheta somente de forma paralela. Réguas paralelas são mais caras e menos portáteis que as réguas T, mas permitem desenhar com maior velocidade.
Estão disponíveis nas dimensões de 80, 100 e 120 centímetros. As réguas paralelas de 100 e 120 centímetros são as mais úteis.
Régua Paralela Fixa
Régua Paralela Portátil
Esquadros
 
Esquadros são instrumentos de desenho utilizados para guiar o traçado de linhas verticais e linhas e linhas em ângulos específicos
Eles têm um ângulo reto e dois ângulos de 45 o outro tem um ângulo reto (90), um ângulo de 60 e um ângulo de 30.
Estão disponíveis nos tamanhos de 10 a 60 centímetros de comprimento. Os esquadros de 20 a 25 centímetros são mais úteis.
São feitos em acrílico transparente resistente a riscos e que não amarela, permitindo uma visão transparente, não distorcida do trabalho que esta por baixo.
As bordas beneficiadas devem ser polidas para ter precisão e facilitar o desenho. Alguns esquadros têm bordas elevadas para o uso de caneta de desenho.
As bordas internas podem ser chanfradas, para facilitar o erguimento com as pontas dos dedos.
Mantenha os esquadros limpos lavando-os com sabão neutro e água.
Obs: NÃO DEVEM SER USADAS PARA CORTES
Compasso 
O compasso é fundamental para desenhar círculos grandes de raios indeterminados.
É difícil aplicar pressão usando um compasso. Utilzar uma mina dura demais, pode resultar linha leve demais. Uma mina macia com ponta chanfrada, geralmente produzirá uma linha bem nítida sem necessidade de pressão exagerada. No entanto, uma ponta chanfrada rapidamente fica arredondada e deve ser refeita com frequência. 
Um adaptador permite que canetas de nanquim sejam utilizadas com o compasso.
Curva francesa
Usadas para guiar o desenho de curvas irregulares.
Transferidor
São instrumentos circulares ou semicirculares para medir e marcar ângulos.
Gabaritos 
São aberturas para guiar o traçado de formas pré determinadas. Alguns gabaritos têm recortes para afastá-los da superfície do desenho quando se usa uma caneta.
Borracha
Uma das vantagens do desenho a lápis é a facilidade de apagar suas marcas. Sempre use a borracha macia compatível com o instrumento e a superfície de desenho. Evite usar borrachas abrasivas para tinta.
Borrachas de vinil ou de plástico PVC não são abrasivas e não borram nem danificam o desenho.
Escova
Importante para a limpeza do papel de desenho, principalmente quando se usa a mina de grafite.
Escalímetro de Arquitetura
O escalímetro tem graduações em suas bordas para que desenhos em escala possam ser medidos diretamente em centímetros e metros.
O escalímetro convencional utilizado na engenharia e na arquitetura é o escalímetro triangular e possui as seguintes escalas 1:20; 1:25; 1:50; 1:75; 1:100; 1:125. 
Cada unidade marcada nas escalas do escalímetro, correspondem a um metro. Isto significa que aquela dada medida corresponde ao tamanho de um metro na escala adotada.
Em desenho, “escala” refere-se a uma proporção que determina a relação entre uma representação e o tamanho real daquilo que é representado.
Superfícies de desenho
A transparência de papéis de desenho facilita o uso de sobreposições, permitindo fazer desenhos, ou traços seletivos em uma folha e se ver através dela o desenho que esta por baixo. 
Papéis de textura fina geralmente são mais adequados para tinta, enquanto papéis de textura média são mais adequados para desenhos a lápis
Papel Manteiga
É caracterizado pela transparência, cor clara e textura ou grão superficial. Está disponível em folhas ou rolos. É um papel barato e leve usado para croquis, sobreposições e estudos a mão livre.
Papel Vegetal 
É caracterizado por sua transparência e textura lisa. Esta disponível em rolo, blocos e folhas com gramatura de 65, 75, 90/95, 110/115, 142 e 180 g/m². O papel vegetal com gramatura média é usado para leiaute em geral e estudos preliminares
Lista preliminar de material
- Lapiseira - 0,3, 0,5 e 0,7
- Mina de grafite - 0,3 e 0,5 H ou F
- Mina de grafite - 0,7 HB ou B
- Esquadro de 45, transparente de no mínimo 22,5 cm
- Esquadro de 60, transparente de no mínimo 36,5 cm
- Régua T de 80 ou 100 centímetros
- Escalímetro triangular (1:20 / 1:25 /1:50 / 1:75 / 1:100 / 1:125)
- Borracha sintética para grafite branca
- Fita crepe
- Folha de papel manteiga
- Tubo para carregar folhas de desenho
Normas
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) criou normas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.