A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
LIVRO DE ECONOMIA RURAL Utilizado na UFRAACS - Livro gtz[1]

Pré-visualização | Página 9 de 50

e de fatores para que 
sejam afloradas as condições de interesse. Dentre as alternativas mais rentáveis e sustentáveis em 
longo prazo, pode-se escolher a mais adequada para atender aos objetivos econômicos, sociais e 
ambientais do tomador de decisão. Eleita a atividade, passa-se para a segunda fase que é determinar 
a quantidade a ser produzida. Isto é importante porque não se pode produzir em demasia nem muito 
pouco em relação ao ótimo de mercado. Se a produção for muito baixa, pode-se estimular a entrada 
no mercado de outros produtores e tirar sua parcela de mercado. Se produzir em demasia, os preços 
podem sofrer forte queda e causar prejuízo. Portanto, a resposta a essa questão exige cuidado, muito 
conhecimento do mercado e experiência para tomar a decisão adequada. 
A segunda questão se resolve no âmbito tecnológico, pois se volta para o conhecimento da 
engenharia de produção de como produzir, fazendo uso da tecnologia apropriada. O emprego de 
tecnologia e conhecimento gerencial permite que se produza no limite máximo que o sistema de 
produção permite ao menor custo possível. Isto significa que se devem eleger os fatores de produção 
e combiná-los na proporção que leva ao máximo de produtividade física e econômica, sem causar 
danos à natureza. 
A formação de capital humano nas universidades e escolas técnicas permite que a 
produtividade total dos sistemas de produção aumente, porque cria condições para combinar de 
forma eficiente os fatores econômicos, sociais e ambientais com as inovações tecnológicas. Define-
se assim, as tecnologias sustentáveis para produzir grãos, frutas, fibras, carne, madeira, peixe, etc., 
em dada área de terra, com a mão-de-obra disponível no local. 
A terceira questão envolve a distribuição da produção para atender aos diversos segmentos 
do mercado local, nacional ou internacional. O âmbito desta decisão envolve conhecimento da 
sociologia para se compreender as necessidades dos consumidores, de acordo com o nível de 
conhecimento, renda per capita e cultura. Esta é uma questão de extrema importância a considerar 
no planejamento da produção para que se contribua efetivamente para aumentar a qualidade de vida 
da população. Ou seja, a resposta a esta questão permite atender ao último requisito do conceito de 
Economia Rural que é a satisfação das necessidades da população agora e no futuro. 
Portanto, a solução adequada para essas três questões é encontrada quando a área de 
convergência entre elas aumenta, ou seja, a área hachurada da Figura 1.9. Nesta figura, o número 1 
no centro representa a área de interação sinérgica das três questões, que representam uma 
 
 
14
combinação ótima de ordem econômica, tecnológica e social. Assim, quanto maior for esta área, mais 
apropriada deve ser a decisão, em conformidade com o conceito de Economia Rural. 
 
 
Figura 1.9 – Representação das questões fundamentais da econômica. 
 
O que e quanto 
produzir? 
Para quem produzir? Como produzir? 
1
 
 
15
1.5 EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM 
E1. Apresente o conceito e a definição de Economia Rural e compare com o conceito de Economia. 
E2. Apresente o conceito de fatores de produção, sua classificação, características e utilização na 
economia da Amazônia. 
E3. Caracterize os principais tipos de agricultura e descreva o que mais se aproxima da realidade de 
sua área do conhecimento (agronomia, medicina veterinária, zootecnia, engenharia de pesca, 
engenharia florestal, economia). 
E4. Quais são as grandes questões da economia e como elas são solucionadas? (pesquise em 
outros textos). 
E5. O conceito de Economia Rural envolve a alocação de recursos escassos em usos 
alternativos, com o fito de atender às necessidades ilimitadas das populações presentes e 
futuras. Explique o significado dos termos grifados. 
E6. Com base no conceito de economia rural “Ciência da alocação de recursos escassos, em 
alternativas de produção rural, com o fito de atender às necessidades do consumidor no presente 
e no futuro, sem destruir a natureza”, responda aos seguintes questionamentos: Como se avalia 
que a terra, em grande disponibilidade na Amazônia e com mais de 56% da área das unidades de 
produção do Estado do Pará ocupadas com matas naturais, é um recurso escasso? 
E7. O quadro abaixo apresenta as características das unidades de produção praticadas na Amazônia. 
Nos espaços em branco da segunda coluna, escreva o nome do tipo de unidade ou sistema de 
produção a que cada uma das características relacionadas se refere. 
No Conteúdo das notícias veiculadas pela imprensa 
Unidade de 
produção a 
que se referem
01 Combinação de produtos alimentares e comerciais, turismo ecológico, pesque pague na unidade de produção, parte da renda oriunda de atividades não-agrícolas. 
02 Grande propriedade, mão-de-obra qualificada, tecnologia GIS, GPS e baixo impacto ambiental. 
03 Produção de frango caipira, ovos, frutas e leite, sem uso de agrotóxicos e controle fitoterápico de doenças, venda para consumidor de alta renda. 
04 
No Pará, uma propriedade inferior a 100 ha, cria gado, culturas temporárias e 
permanentes, extrai produtos não madeireiros, contrata mão-de-obra de forma 
complementar, verde parte da produção para agroindústria, usa tecnologia tradicional 
e moderna, pode ser caracterizada como: 
 
 
E8. O quadro abaixo reproduz as notícias de jornais em determinado dia. Nos espaços em branco da 
segunda coluna, escreva a questão econômica relacionada a cada uma das notícias. 
No Conteúdo das notícias veiculadas pela imprensa Questões 
econômicas a que 
se referem 
01 Os pecuaristas do Pará deverão implementar técnicas de reprodução para 
aumentar a eficiência produtiva e a qualidade do produto. 
 
02 Os empresários da Amazônia devem estudar formas de utilizar a terra para 
atender à legislação do Ibama que prega a diminuição do desmatamento para 
20% da área. 
 
03 Os pecuaristas devem rapidamente identificar e certificar seus animais (bovinos e 
bufalinos) para atender às exigências do mercado consumidor internacional. 
 
04 O BASA destinará parcela dos recursos do FNO para a implantação de 
agroindústrias com grande capacidade de absorver mão-de-obra. 
 
 
05 Em decorrência dos danos ambientais e dos prejuízos causados ao homem pelo 
uso de pesticidas, avança a produção de produtos orgânicos para atender a 
nichos de mercado. 
 
 
 
 
16
1.6 REFERÊNCIAS 
AGROANÁLYSIS. A revista do agronegócio da FGV. Rio de Janeiro, v.15-25, n.1-12, jan.-dez., 
1995/2005. 
CAVINA, R. Introdução à economia rural brasileira. São Paulo: Atlas, 1979. 
CONJUNTURA ECONÔMICA. Rio de Janeiro, v.49-59, n.1-12, jan.-dez., 1995/2005. 
COSTA, F.A. Formação agropecuária da Amazônia: os desafios de desenvolvimento sustentável. 
Belém: UFPA.NAEA, 2000. 
HÉBETE, J. Cruzando a fronteira: 30 anos de estudo do campesinato na Amazônia. Belém: 
EDUFPA, 2004. 
IBGE. Censo Agropecuário – 1995/96. Rio de Janeiro, 1998. 
MENEZES, Antônio José Elias A de; HOMMA, Alfredo Kingo O; SANTANA, Antônio Cordeiro de; 
GOMES, Fernando Antônio T. A importância da produção invisível para a agricultura familiar na 
Amazônia: o caso dos projetos de assentamento agroextrativistas Praialta e Piranheira, Município de 
Nova Ipixuna, Pará. Novos Cadernos Naea, Belém-PA, v. 4, n. 2, p. 5-26, 2001. 
ROSSETTI, D.P. Introdução à economia. São Paulo: Atlas, 2002. 
SANTANA, Antônio Cordeiro de. Perfil do profissional de ciências agrárias formado na 
Universidade Federal Rural da Amazônia: empregadores, graduados e instituições correlatas. 
Belém: UFRA, 2003. 
SANTANA, Antônio Cordeiro de, AMIN, M.M. Cadeias produtivas e oportunidades de negócio na 
Amazônia. Belém: UNAMA, 2002. 
SANTANA, Antônio Cordeiro de. Análise econômica da produção agrícola sob condições de risco 
numa comunidade amazônica. Revista

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.