Unid 4   Antropologia e Cultura Brasileira
3 pág.

Unid 4 Antropologia e Cultura Brasileira

Pré-visualização3 páginas
Pergunta 1
0,25 em 0,25 pontos
	
	

	
	Assinale a alternativa que melhor trata da inclusão no mundo do trabalho brasileiro nas últimas décadas:
	
	
	

	
		Resposta Selecionada:
	d. 
Adoção de políticas de inclusão tanto de natureza corporativa, quanto com o objetivo de programas públicos de inserção de minorias.

	Resposta Correta:
	d. 
Adoção de políticas de inclusão tanto de natureza corporativa, quanto com o objetivo de programas públicos de inserção de minorias.

	Feedback da resposta:
	Adoção de políticas de inclusão tanto de natureza corporativa, quanto com o objetivo de programas públicos de inserção de minorias. 

	
	
	

Pergunta 2
0,25 em 0,25 pontos
	
	

	
	De acordo com o estudo do material referencial, como podemos compreender a categoria de gênero?
	
	
	

	
		Resposta Selecionada:
	d. 
Trata-se de um conjunto de ideias, percepções e noções sobre o masculino e o feminino.

	Resposta Correta:
	d. 
Trata-se de um conjunto de ideias, percepções e noções sobre o masculino e o feminino.

	Feedback da resposta:
	Trata-se de um conjunto de ideias, percepções e noções sobre o masculino e o feminino.
O gênero é um conceito diferente de sexo para muitos teóricos das ciências humanas e é como a questão é vista atualmente. Não se trata da mesma coisa, apesar de os termos se relacionarem. O gênero é um conjunto de ideias sobre o masculino e o feminino, ao passo que o sexo refere-se às características biológicas de homens e mulheres. Entenda, portanto, que o gênero se refere às construções sociais e culturais que se desenvolvem a partir desses elementos biológicos. 

	
	
	

Pergunta 3
0,25 em 0,25 pontos
	
	

	
	Leia o excerto a seguir.
 \u201cDécadas antes do Descobrimento, o papado já havia concedido à Coroa portuguesa o direito de padroado sobre as igrejas instaladas nas terras conquistadas por Portugal. As conquistas portuguesas se transformavam, assim, em verdadeiras \u201ccruzadas" destinadas à conversão compulsória de novos povos e populações. A evangelização ia junto com a dominação colonial [...]. No período colonial, a Igreja dependia mais do Estado português que do papado. O Estado impunha sua orientação à Igreja, totalmente subordinada. Todas as diretrizes e instruções emanadas do Vaticano chegavam ao Brasil por meio da administração portuguesa. O monarca detinha a prerrogativa de censurar os documentos oficiais vindos de Roma, antes de serem publicados nas colônias. Era a Coroa portuguesa que regulamentava as reuniões dos sínodos diocesanos\u201d. 
PIERUCCI, A. F. As religiões no Brasil. In GAARDER, J.; HELLERN, V.; NOTAKER, H. O Livro das Religiões. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 305-306.
A partir do que foi colocado por Pierucci (2000) quanto à história da intrincada relação entre a Igreja e o Brasil \u2014 que, apesar de legitimamente extinta, ainda hoje, no século XXI, observa-se resquícios \u2014, complemente as lacunas a seguir:
O(a) __________ se caracterizou como uma doutrina religiosa do Estado Brasileiro até o final do século XIX, quando o regime __________ foi instituído no país. Na Constituição de 1981, estabelece-se a __________ e o país se torna uma nação __________.
Assinale a alternativa que complementa corretamente as lacunas do trecho:

	
	
	

	
		Resposta Selecionada:
	b. 
Catolicismo, republicano, liberdade de culto, laica.

	Resposta Correta:
	b. 
Catolicismo, republicano, liberdade de culto, laica.

	Feedback da resposta:
	Parabéns, sua resposta está correta!  Catolicismo, republicano, liberdade de culto, laica.
Foi especificamente o catolicismo, e não o cristianismo de maneira ampla, que se caracterizou enquanto religião oficial do Brasil até o início do período republicano. A partir daquele momento, foi estabelecida a liberdade de culto e o país se tornou um Estado laico. Isto é, houve uma separação definida constitucionalmente entre a Igreja Católica e o Estado.

	
	
	

Pergunta 4
0,25 em 0,25 pontos
	
	

	
	Leia o excerto a seguir.
\u201cConsiderando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da humanidade e que o advento de um mundo em que mulheres e homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do ser humano comum [...] portanto a Assembleia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade tendo sempre em mente esta Declaração, esforce-se, por meio do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades [...]\u201d.
ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris, 10 dez. 1948. Disponível em: <http://www.onu.org.br/img/2014/09/DUDH.pdf>. Acesso em: 18/04/2018.
Tendo em vista a importância histórica da Declaração Universal dos Direitos Humanos e o momento em que foi redigida e ratificada, assim como seus desdobramentos para o que, hoje, entendemos como direitos e a violação destes; analise as afirmativas a seguir.
Os direitos humanos são inalienáveis, e ninguém pode ser privado de seus direitos. Eles são ilimitados a qualquer situação que se apresente.
Os direitos humanos são indivisíveis, inter-relacionados e interdependentes, de maneira que a violação de um acarreta o desrespeito a vários outros.
Os direitos humanos são universais, assim, devem ser aplicados de forma igual, não discriminando ou impondo hierarquias. 
Apesar de universais, alguns direitos humanos podem ser restringidos em certas ocasiões, como o direito à liberdade.
Está correto o que se afirma em:

	
	
	

	
		Resposta Selecionada:
	e. 
II, III e IV, apenas.

	Resposta Correta:
	e. 
II, III e IV, apenas.

	Feedback da resposta:
	Parabéns, a sua resposta está correta! II, III e IV
Os direitos humanos são interligados de forma que, ao ferir um deles, possivelmente, estamos abrindo espaço para a violação dos demais. Além disso, eles são universais e devem ser aplicados de maneira igual, sem diferenciações entre raça, classe e sexo, por exemplo. Por fim, vale destacar que, mesmo sendo universais, podem haver restrições no que tange a sua materialização.

	
	
	

Pergunta 5
0,25 em 0,25 pontos
	
	

	
	Leia o texto a seguir. \u201cDesde o início as religiões afro-brasileiras se fizeram sincréticas, estabelecendo paralelismos entre divindades africanas e santos católicos, adotando o calendário de festas do catolicismo, valorizando a frequência aos ritos e sacramentos da igreja. Assim aconteceu com o candomblé da Bahia, o xangô de Pernambuco, o tambor-de-mina do Maranhão, o batuque do Rio Grande do Sul e outras denominações, todas elas arroladas pelo censo do IBGE sob o nome único e mais conhecido: candomblé. Até recentemente essas religiões eram proibidas e, por isso, duramente perseguidas por órgãos oficiais. Continuam a sofrer agressões, hoje menos da polícia e mais de seus rivais pentecostais, e seguem sob forte preconceito, o mesmo preconceito que se volta contra os negros independentemente de religião\u201d.PRANDI, R. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, p. 223-238, set./dez. 2004, p. 225. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000300015>. Acesso em: 18/04/2018.
O histórico das diferentes religiões presentes no Brasil, a forma como elas se estabeleceram e a maneira como diferentes arranjos sociais propiciam maior ou menor legitimidade para determinadas crenças nos auxiliam na compreensão da realidade social brasileira. Como sabemos, a influência de preconceitos relativos a determinadas religiosidades coopera com a reiteração de outros tipos de discriminação.
O excerto de Prandi (2004) trata justamente sobre o sincretismo e a intolerância religiosa, abordando a