Introdução a Psicanálise
2 pág.

Introdução a Psicanálise


DisciplinaPsicanálise21.684 materiais342.812 seguidores
Pré-visualização1 página
PSICANÁLISE
O que vem a ser a Psicanálise? 
Segundo Sigmund Freud (médico neurologista), é uma ferramenta para entrar no inconsciente, ou trazer para o consciente o conteúdo oculto. Uma teoria que pretende explicar o funcionamento da mente humana e se transforma num método de tratamento de diversos transtornos mentais. Ele acreditava que as pessoas poderiam ser curadas, fazendo conscientes seus pensamentos e motivações inconscientes.
Freud e a Psicanálise se difundiram de tal forma que suas idéias são muitas vezes veiculadas de modo errôneo e distorcidas, como tudo que passa por um processo de grande divulgação, em especial numa sociedade de massas como a nossa. 
Na psicanálise, pode-se pensar na psique como estando dividida em lugares. Na primeira tópica, Freud fala de inconsciente, pré-consciente e consciente. 
Inconsciente: Freud não criou o inconsciente. Antes os autores Leibniz Von Hartmann e Schopenhauer já haviam descrito a existência do inconsciente no sentido do que não é consciente. A diferença é que Freud define inconsciente de outra maneira, não como adjetivo e sim como substantivo. O conceito de Inconsciente é ponto central da teoria psicanalítica, na qual se concentra toda a descoberta freudiana. Freud, através de sua experiência clínica diz que o psiquismo não se reduz ao consciente e que certos conteúdos só são possíveis à consciência após serem superadas certas resistências. Revelou que a vida psíquica é povoada de pensamentos eficientes embora inconscientes, de onde se originavam os sintomas. Ele localizou o inconsciente não como um lugar anatômico, mas um lugar psíquico, com conteúdos, mecanismos e uma energia específica. Os conteúdos do inconsciente são os representantes da pulsão que estão fixados em fantasias, histórias imaginárias, concebidas como manifestações do desejo, que é um dos pólos do conflito defensivo. Os desejos inconscientes tende-se a uma realização, restabelecendo os sinais ligados às primeiras vivências de satisfação, através do processo primário. Temos sonhos todas as noites e não somos nós, pelo menos não conscientemente, que os criamos. Este é talvez o exemplo mais simples pra entender o que é o inconsciente. 
Pré- consciente: O sistema pré-consciente funciona como uma espécie de peneira que seleciona aquilo que pode ou não passar para o consciente, e também como um pequeno arquivo registros.
Consciente: Diz respeito à capacidade de ter percepção dos sentimentos, pensamentos, lembranças e fantasias do momento.
Segundo Freud a mente humana está estruturada em duas partes principais: a mente consciente e inconsciente. A mente consciente inclui todas as coisas que estão conscientes ou podem facilmente levar à consciência. A mente inconsciente, por outro lado, inclui todas as coisas de fora da nossa consciência, todos os desejos, esperanças e memórias que se encontram fora da consciência permanecem a influenciar o comportamento do individuo.
Ele chegou a comparar a mente humana como um iceberg. A ponta do iceberg que é realmente visível acima da água representa apenas uma pequena porção da mente, enquanto a enorme extensão de gelo escondido debaixo da água representa o inconsciente, muito maior.
Além desses dois componentes principais da mente, a teoria freudiana também divide a personalidade do ser humano em três componentes principais: o id, ego e superego. 
O id  é a parte mais primitiva de personalidade que é a fonte de todos os nossos impulsos mais básicos. Esta parte busca a felicidade, realizar seus desejos sexuais, prazeres. Ela é totalmente inconsciente e serve como fonte de toda a energia psíquica;
O ego na teoria de Freud é o componente da personalidade que é acusado de lidar com a realidade e ajuda a garantir que as exigências do id são satisfeitas de maneira que sejam realistas e seguras sendo socialmente aceitáveis;
O superego por sua vez é aquela que busca manter todas as normas morais internalizadas e padrões que adquirimos de nossos pais, família e sociedade em geral. 
O principal método da psicanálise é a interpretação da transferência e da resistência com análise da livre associação. O analisado em uma postura relaxada passa a contar tudo o que vem em sua mente, incluindo sonhos, desejos, fantasias etc., bem como as lembranças dos seus primeiros anos da sua vida. O psicanalista somente escuta fazendo breves comentários que leva o paciente a se conhecer. O papel do psicanalista é de neutralidade.
Portanto percebe-se que a cura psicanalista é um processo lento e gradativo. O alto custo das consultas é um dos empecilhos que faz da psicanálise algo ainda restrita para as classes menos favorecidas.
Destarte, buscou-se neste trabalho elucidar de forma sucinta alguns aspectos básicos da Psicanálise. Tendo o inconsciente como fio condutor que perpassa toda a obra freudiana do início da psicanálise. Contudo, percebe-se com clareza tamanha necessidade que as pessoas têm de se conhecer, trabalhar seu emocional e viver melhor consigo e todos ao seu redor.
Erica
Erica fez um comentário
Tem referência?
0 aprovações
Luciana
Luciana fez um comentário
Obrigada Dalila
0 aprovações
Dalila
Dalila fez um comentário
Adorei!
0 aprovações
Carregar mais