A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Questionario 1

Pré-visualização | Página 1 de 3

Pergunta 1
0,3 em 0,3 pontos
	
	
	
	A circulação fetal difere da extrauterina anatômica e funcionalmente. A única conexão entre o feto e o meio externo é a placenta, que o serve nas funções de "intestinos" (suprimento de nutrientes), "rins" (retirada dos produtos de degradação) e "pulmões" (trocas gasosas). Com o auxílio desta definição, julgue as afirmações que se seguem. 
I. O sangue oxigenado proveniente da placenta chega ao feto por meio da veia umbilical. 
II. No feto, a circulação pulmonar é praticamente inexistente, sem função de hematose. 
III. O sangue do átrio esquerdo é parcialmente dirigido para o átrio direito por meio do forame oval. 
IV. Grande parte do sangue que vem pelo tronco pulmonar é conduzida para o ducto arterioso, que desemboca na veia cava superior. 
V. O ducto venoso continua com as mesmas funções na vida pós-uterina. 
Estão corretas, apenas, as afirmações:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
I e II.
	Respostas:
	a. 
I e II.
	
	b. 
I e III.
	
	c. 
I e V.
	
	d. 
II e IV.
	
	e. 
III e V.
	Feedback da resposta:
	Resposta: A. 
Comentário: A afirmativa III está incorreta, pois o forame oval está localizado no átrio direito. A afirmativa IV está incorreta, pois o ducto arterioso desemboca na parte torácica da aorta. A afirmativa V está incorreta, pois o ducto venoso após o nascimento se oblitera e forma o ligamento arterioso.
	
	
	
Pergunta 2
0,3 em 0,3 pontos
	
	
	
	A descoberta da circulação do sangue por Harvey, em 1628, é considerada a maior descoberta médica do último milênio, pelo alcance de suas repercussões na fisiologia, na criação da cardiologia e, também, em todas as outras áreas da medicina. Essa tão grande importância, provavelmente, decorre do fato de ser a circulação a condição primária para que células funcionalmente diferentes se agrupassem num organismo, a própria base cuja evolução permitiu criar seres superiores. Além disso, o modelo de Harvey é um fato aceito e intacto há séculos. As evoluções do conhecimento do desempenho cardíaco fisiológico através de trabalhos seminais representaram um novo elo emergente da verdade, com inúmeros predecessores e sucessores, cuja soma por séculos permitiu ensinar como o coração desempenha sua função. Com base em seus conhecimentos sobre os fatos históricos e a anatomia do coração nos estudos atuais, analise as seguintes afirmativas, quanto a estas serem verdadeiras (V) ou falsas (F), assinalando em seguida a alternativa correspondente abaixo:
I. Galeno afirmou a existência de poros localizados no septo interventricular que permitem a passagem do sangue do ventrículo direito para o ventrículo esquerdo. 
II. Miguel de Servet descreveu a circulação pulmonar a partir do ventrículo direito, sendo que o sangue emerge pelo tronco pulmonar em direção aos pulmões.
III. Aristóteles considerou de maneira pertinente que o coração é a sede da inteligência e a origem do calor e do sangue. 
IV. Herófilo demonstrou que as veias são mais espessas do que as artérias, razão pela qual estes vasos sanguíneos são elásticos e pulsáteis.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
F, V, F, F.
	Respostas:
	a. 
F, V, F, F.
	
	b. 
V, V, V, F.
	
	c. 
F, V, V, F.
	
	d. 
V, F, F, V.
	
	e. 
F, V, V, V.
	Feedback da resposta:
	Resposta: A. 
Comentário: Galeno afirmou a existência de poros localizados no septo interventricular. Mas, a afirmativa se torna falsa no momento em que Miguel de Servet e William Harvey, ambos desvendaram a circulação sanguínea. Aristóteles disse de maneira equivocada que o coração seria a sede das emoções, por isso essa afirmativa é incorreta. A afirmativa sobre Herófilo está incorreta, pois os vasos mais elásticos e pulsáteis são as artérias e não as veias.
	
	
	
Pergunta 3
0,3 em 0,3 pontos
	
	
	
	A parte abdominal da aorta tem aproximadamente 13 centímetros de comprimento, que começa na abertura do diafragma (hiato aórtico), ao nível da 12ª vértebra torácica, e termina aproximadamente ao nível da 4ª vértebra lombar, onde se divide nas artérias ilíacas comuns: direita e esquerda, que transportam o sangue para os membros inferiores. As artérias ilíacas comuns: direita e esquerda, por sua vez, dividem-se nas artérias ilíacas externas e internas. A parte abdominal da aorta dá origem às seguintes artérias: ramos pares, com trajeto lateral, para o suprimento da parede do abdômen, dos órgãos retroperitoneais pares e das gônadas; ramos ímpares, com trajeto anterior, que se estendem, em parte através de “mesos” ou de ligamentos, para o baço e para os órgãos digestivos, nas cavidades abdominal e pélvica. Qual afirmativa aponta os ramos pares da parte abdominal da aorta e o seu respectivo território de irrigação?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	b.
As artérias ováricas ou testiculares, originadas de ambos os lados, que segue sobre o músculo psoas maior, em direção caudal, para o ovário ou para o testículo.
	Respostas:
	a.
O troco celíaco curto e calibroso se divide imediatamente em três artérias, sendo que uma delas é a artéria hepática que supre o fígado.
	
	b.
As artérias ováricas ou testiculares, originadas de ambos os lados, que segue sobre o músculo psoas maior, em direção caudal, para o ovário ou para o testículo.
	
	c. 
Artéria suprarrenal inferior, que irriga a glândula suprarrenal.
	
	d.
A artéria mesentérica superior, logo abaixo do tronco celíaco, cujo território de irrigação é o intestino delgado e parte do intestino grosso.
	
	e.
A artéria mesentérica inferior, o último ramo principal da aorta, que se origina imediatamente antes da bifurcação para constituir as artérias ilíacas na altura da 3ª vértebra lombar. A artéria mesentérica inferior supre parte do intestino grosso.
	Feedback da resposta:
	Resposta: B. 
Comentário: Os ramos pares da parte abdominal da aorta são as artérias suprarrenais, ováricas e testiculares. As artérias suprarrenais possuem três ramos principais: as artérias suprarrenais superiores, as artérias suprarrenais médias e as artérias suprarrenais inferiores. Entretanto, as duas primeiras são ramos diretos da parte abdominal da aorta, enquanto que a artéria suprarrenal inferior é um ramo da artéria renal. Por este motivo a alternativa C é incorreta.
	
	
	
Pergunta 4
0,3 em 0,3 pontos
	
	
	
	A parte torácica da aorta é a continuação do arco da aorta. Possui cerca de 20 centímetros de comprimento. Começa no disco intervertebral entre a 4ª e a 5ª vértebras torácicas e termina em uma abertura no diafragma (hiato da aorta), paralela ao disco intervertebral, entre a 12ª vértebra torácica e a 1ª vértebra lombar. Enquanto desce, aproxima-se do plano mediano e desloca o esôfago para a direita. O plexo aórtico torácico, uma rede nervosa autônoma, a circunda. Este vaso grande provê ramos aos órgãos e aos músculos da região torácica. Com base nas informações contidas no texto, relacionados aos vasos de sangue da parte torácica da aorta responsáveis pela nutrição do parênquima pulmonar são:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	d. 
Os ramos bronquiais.
	Respostas:
	a. 
As artérias pulmonares.
	
	b. 
Os ramos esofágicos.
	
	c. 
As artérias frênicas superiores.
	
	d. 
Os ramos bronquiais.
	
	e. 
Os ramos intercostais posteriores.
	Feedback da resposta:
	Resposta: D. 
Comentário: O parênquima pulmonar se “alimenta” por intermédio do sangue que vem da aorta através dos ramos bronquiais.
	
	
	
Pergunta 5
0,3 em 0,3 pontos
	
	
	
	Apesar de até hoje os vasos linfáticos serem menos estudados que os sanguíneos, há muito conhecidos, o próprio Hipócrates de Cós já denominava a linfa de sangue branco. É de Herófilo (anatomista grego - 300 antes de Cristo) a primeira citação dos vasos linfáticos, por outro lado, a primeira descrição do sistema, é atribuída a Gaspar Aselius de Milão, que foi professor de anatomia em Pavia de 1581 a 1626 e estudou os vasos linfáticos intestinais