A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Atps Direito Empresarial e Tributário

Pré-visualização | Página 1 de 5

.
Pólo 4144
CIÊNCIAS CONTÁBEIS 
MATEMÁTICA FINANCEIRA
Cecília Paula Salgado – RA - 443511
Marinez C. N. Castanheira – RA – 406166
Marcos Nangino Morais Nangino – RA - 420689
Simone Aparecida de Faria – RA – 415610
ATPS DE DIREITO EMPRESARIAL E TRIBUTÁRIO
PROFESSOR (A): Me. LUIZ MANUEL PALMEIRA
LAVRAS-MG 
2014
Sumário
1. Introdução..........................................................................................................	02
2. Empresa, Empresário e seus Direitos..............................................................	03
3. Direito Comercial e Direito Empresarial........................................................	06
4. Função Social da Empresa................................................................................	07
5. Direito Cambiário e seus Princípios.................................................................	13
6. Como o Direito Cambiário afeta a empresa analisada...................................	16
7. O novo Direito Empresarial, com ênfase na função social e na capacidade contributiva, é coerente e adequado à atualidade? .............................................17
8. Conclusão.............................................................................................................19
9. Referências..........................................................................................................20
Introdução
Entendemos por direito, um conjunto de normas que prescrevem a vida em sociedade. Ou seja, o direito é um conjunto de normas que visam encontrar a melhor maneira de se viver em comunidade, coordenando o comportamento do cidadão. Entretanto, o direito não se restringe unicamente as pessoas. As empresas também possuem suas regras ditadas pelo direito.	 Desta forma, pretendemos através deste, abordar temas como a Empresa e como elas vêm evoluindo através do tempo junto com o empresário. Abordaremos também conceitos de Direito Comercial e Empresarial, a Função Social da empresa e sua devida legislação, como o Direito Cambiário é definido e seus princípios, e por fim analisaremos como o Novo Direito Empresarial com ênfase na função social e capacidade contributiva tem afetado a vida das empresas, considerando uma empresa analisada pela equipe, e tomando por premissa os estudos dos autores Pedro Anan Jr. e José Carlos Marion, o Novo Código Civil Brasileiro, entre outras referências.
Empresa, Empresário e seus Direitos
Empresa e empresário
As empresas, podem ser consideradas atividades econômicas organizadas, que visam a prestação e circulação de bens e serviços para a sociedade, sendo que, estas atividades são exercidas pelo empresário de forma profissional. 
Desde as mais remotas civilizações, os produtos usados pelas pessoas, eram produzidos dentro da própria casa e o que sobrava era trocado com os vizinhos. Através desta simples troca, os povos foram aperfeiçoando a forma de comercio, passando a fazer trocas com outras civilizações. Assim, o comércio deixava de ser cultura de determinada sociedade e passou a ser difundido por todo o mundo. Desta forma, para entendermos a evolução das empresas e do comércio, devemos entender a evolução das pessoas, afinal podemos considerar os primeiros comerciantes como as primeiras empresas.
A partir do século XIX, Napoleão Bonaparte, com a intenção de adotar regras para as relações em sociedade, criou o Código Civil e o Código Comercial na França, que abriu premissas para disciplinar atividades dos cidadãos, expandindo-se em outros países do mundo.
Juridicamente falando, a empresa possui diversos perfis, não possuindo um conceito único perante ao direito, sendo assim, é vista apenas através da atividade econômica a qual ela presta.
Desta forma, as empresas possuem três tipos de atividades, uma vez que, uma empresa pode ter uma ou mais tipos vinculados a ela. Estas atividades são:
Atividade primárias: rurais ou extrativistas, ou seja, retiram produtos diretamente da natureza.
Atividades secundárias: industriais, ou manufaturadas, que manipulam ou transformam os produtos primários para comercialização.
Atividades terciárias: que são a prestação de serviços ou comércio visando repassar os produtos já produzidos aos consumidores.
Outra característica das empresas é que elas podem se destinar a atender a satisfação de diferentes grupos heterogêneos, podendo ser permanentes, sazonais ou esporádicas, assim sucessivamente.
Como já foi descrito acima, o empresário, segundo o direito, é o sujeito que exerce a empresa de forma profissional. Segundo Ana Jr. e Marion,
“O Código Civil trata de empresários dos artigos 966 a 971. Considera-se empresário quem já exerceu profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Não se considera empresário, quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constitui elemento da empresa.
O empresário pode ser pessoa física ou jurídica” (2013, p.22)
No século XXI, o sujeito empresário passou a ser também chamado de empreendedor. Apesar de serem considerados sinônimos por alguns estudiosos, nem todo empresário pode ser considerado empreendedor, visto que, existem várias pesquisas que tentam descrever fatores psicogenéticos que formam a visão ou personalidade empreendedora em determinados indivíduos. 
Contudo, todos concordam que no mercado competitivo no qual vivemos na atual era da informação, o ideal para todo empresário, é ser empreendedor. Sendo assim, o empresário empreendedor deve ser persistente, criativo e ter a iniciativa de renovar sempre, buscar oportunidades nas situações menos improváveis, visto que, a empresa sempre está em constante mudança.
Todavia, de acordo com o Código Civil, o empresário é obrigado a possuir inscrição no Registro Público de Empresas Mercantis da sede a qual se localiza a empresa, antes das atividades serem exercidas, preenchendo formulário com dados preestabelecidos por lei.
Outro tipo de empresário que podemos citar, é o empresário rural. Diferentemente do empresário profissional, este não é obrigado a possuir inscrição no Registro Público de Empresas Mercantis, o que não impede o mesmo de requerê-lo, equiparando-o ao empresário sujeito ao registro.
E por fim, o empresário pode ser pessoa física ou jurídica. A pessoa física é a pessoa natural, o próprio ser humano. Já pessoa jurídica é vista como organização de pessoas e bens, podendo ser de direito público interno ou externo, e de direito privado.
Portanto, no decorrer deste relatório analisaremos a seguinte empresa:
Nome Empresarial: SEBASTIÃO MARINHO FILHO EIRELI EPP
Logradouro: RODOVIA MG 335
Número: SN
Complemento: KM 10
CEP: 37.220-000
Bairro/Distrito: ZONA RURAL
Município: BOM SUCESSO
UF: MG
Segmento em que atua:
Código e Descrição da Atividade Econômica Principal:
10.52-0-00 – Fabricação de Laticínios
Código e Descrição da Natureza Jurídica:
230-5 – EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA (EIRELI)
(DE NATUREZA EMPRESARIA)
Porte/Tamanho: Empresa de Pequeno Porte – EPP (Segundo a Lei Complementar nº 123 de 14 de dezembro de 2006, Capitulo II, artigo 3º, inciso II. Com receita bruta superior a R$ 360.000,00 e igual ou inferior a R$ 3.600.000,00.)
MISSÃO: Desenvolver, produzir e comercializar produtos laticínios e afins, com excelência e qualidade, com sabores que superem sempre as expectativas dos consumidores e garantindo um produto saudável.
VALORES: Satisfação do cliente, ele é a razão da existência de qualquer negócio. Valorização e respeito as pessoas, são as pessoas o grande diferencial que torna tudo possível. Responsabilidade Social, é a única forma de crescer em uma sociedade mais justa. Respeito ao meio ambiente, é isso que nos dá perspectiva do amanhã.
PÚBLICO-ALVO: População em geral.
NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS: 10.
CONTATO NA EMPRESA: Sr. Sebastião Marinho Filho – Titular da Empresa.