A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Avaliando Aprendizado 01 Direito Administrativo I

Pré-visualização | Página 1 de 1

Aluno: KEILA CRISTINA FIUZA
	Matr.: 201407248022
	Disc.: CCJ0010 - DIREITO ADMINISTRATIVO I 
	2018.2 (G)
	
Olá,
 
Antes de começar seu SIMULADO, lembre-se que nesse exercício você pode obter até 0,5 ponto na AV3, acertando as questões. São 5 questões objetivas referentes às aulas das semanas 01 a 03.
 
Após a finalização, você terá acesso ao gabarito no mesmo local de acesso do simulado.
 
Atenção: você terá apenas UMA oportunidade para realizar o simulado em cada disciplina! Por isso, certifique-se das opções marcadas antes de finalizar!
 
Aluno de Exatas: para visualizar adequadamente questões com fórmula, instale o plug-in MathPlayer para o navegador Internet Explorer ou o MathJax para o Chrome.
MathPlayer para IE
https://www.dessci.com/en/products/mathplayer/download.htm
MathJax para Chrome
https://chrome.google.com/webstore/detail/mathjax-forchrome/elbbpgnifnallkilnkofjcgjeallfcfa?hl=en-GB
Um bom simulado e uma ótima AV1!
	
	
	
		Quest.: 1
	
		1.
		(OAB) Abuso de poder significa:
	
	
	
	
	O uso discricionário do poder.
	
	
	O poder discricionário que dá base às restrições da liberdade em nome da Ordem Pública.
	
	
	O poder expresso em lei que assegura o exercício do poder de polícia judiciária discricionário.
	
	
	A violação ideológica da lei.
	
	
	
		Quest.: 2
	
		2.
		Como possível corolário do princípio da impessoalidade, pode-se afirmar que:
	
	
	
	
	Deverá a Administração Pública evitar tratar desigualmente os administrados em razão de circunstâncias pessoais de cada um deles.
	
	
	A nomeação e o provimento em cargo em comissão não poderão levar em consideração as características pessoais do nomeado.
	
	
	Fica vedada a publicidade dos atos praticados pela Administração Pública.
	
	
	A Administração Pública não poderá identificar-se como tal na divulgação de obras e serviços públicos.
	
	
	É vedado à autoridade administrativa identificar-se pessoalmente na prática de qualquer ato.
	
	
	
		Quest.: 3
	
		3.
		(Adaptação/OAB) Prescreve o caput do artigo 37 da Constituição Federal que a Administração Pública Direta e Indireta de qualquer dos poderes da União, dos listados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. A respeito dos princípios da Administração Pública, assinale a alternativa incorreta.
	
	
	
	
	O princípio da eficiência foi inserido positivamente na Constituição Federal via emenda constitucional.
	
	
	O princípio da legalidade significa estar a Administração Pública, em toda a sua atividade, adstrita aos mandamentos da lei, deles não podendo se afastar, sob pena de invalidação do ato. Assim, se a lei nada dispuser, não poderá a Administração agir, salvo em situações excepcionais. Ainda que se trate de ato discricionário, há de se observar o referido princípio.
	
	
	O STF reiteradamente tem proclamado o dever de submissão da Administração Pública ao principio da moralidade. Corno exemplo, cita-se o julgado em que o Pretório Excelso entendeu pela vedação ao nepotismo na Administração, não se exigindo edição de lei formal a esse respeito, por decorrer diretamente de princípios constitucionais estabelecidos, sobretudo o da moralidade da Administração.
	
	
	Segundo a doutrina majoritária e decisão hodierna do STF, o rol de princípios previstos no artigo 37, caput. do texto constitucional é taxativo, ou seja, a Administração Pública, em razão da legalidade e taxatividade não poderá nortear-se por outros princípios que não os previamente estabelecidos no referido dispositivo.
	
	
	A Constituição Federal de 1988 no artigo 37, § l, dispõe sobre a forma de como deve ser feita a publicidade dos atos estatais estabelecendo que a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos.
	
	
	
		Quest.: 4
	
		4.
		(Adaptação OAB/FGV) Suponha que a Administração do Distrito Federal (DF) determinou que feirantes, ocupantes de área pública, deveriam ser transferidos para outro local que lhes fora destinado. A Administração fixou prazo para que se procedesse à transferência. Expirados todos os prazos fixados, foi dada ordem para que a Polícia Militar providenciasse a desocupação da área pública. Os ocupantes, em número de quinze, resistiram, usando paus e pedras, às tentativas de desocupação. A polícia, com um efetivo de 30 homens, usou de força para cumprir as ordens recebidas. Terminado o confronto, dois feirantes foram mortos e vários sofreram lesões corporais graves provocadas por tiros disparados pela polícia. Em face dessa atuação hipotética, assinale a opção correta:
	
	
	
	
	a atitude da polícia seria considerada lícita apenas se estivessem os policiais dando cumprimento a ordem judicial;
	
	
	somente à polícia judicial é lícito o uso da força.
	
	
	a coercibilidade é característica do poder de polícia. Para ser lícita, a atuação da Administração deveria, porém, ter obedecido ao princípio da razoabilidade e ao da proporcionalidade, que, no caso, foram violados; O denominado "poder de polícia" é autoexecutório, não necessitando de autorização judicial e é também coercível, na medida em que poderá se valer da força física para realizá-lo. Porém, deve fazê-lo em estrita conformidade com os princípios da razoabilidade e proporcionalidade. No caso objeto da questão, a polícia agiu desarrazoada e desproporcionalmente ao desferir disparos com arma de fogo, provocando mortes e ferimentos dos manifestantes, que não portavam arma de fogo, mas pedras e paus, e estavam em número menor do que o de policiais envolvido.
	
	
	o uso da força pela polícia será sempre considerado como violador de direitos e garantias individuais;
	
	
	a atitude da polícia deve ser considerada lícita. 
A coercibilidade é uma das características do poder de polícia;
	
	
	
		Quest.: 5
	
		5.
		Como a CF (art. 5o, inciso XXXV) estabelece que a lei não pode excluir da apreciação judicial qualquer lesão ou ameaça de direito, o controle judicial dos atos da administração abrange:
	
	
	
	
	somente os atos administrativos já examinados em todas as instâncias recursais administrativas;
	
	
	indiscriminadamente todos os atos administrativos;
	
	
	os atos vinculados e os atos discricionários, estes quanto à competência, à finalidade, à forma e aos limites dessa discricionariedade.
	
	
	somente os atos vinculados;