Buscar

Aula 07- REGIME DE BENS- 11.03.15

Prévia do material em texto

Aula 07- REGIME DE BENS- 11.03.15
Conceito
Conjunto de regras que rege a situação patrimonial do casal. Conjunto de regras relacionadas com interesses patrimoniais ou econômicos, resultantes da atividade familiar, sendo suas normas, em regra, de ordem privada.
Objetivo
Regular a relação patrimonial entre os cônjuges, tanto de bens anteriores como os posteriores ao matrimônio.
Princípios
-Autonomia privada:
Os cônjuges determinam como será feita a divisão dos bens.. A regra é a autonomia.
Autorregulamentação- Possibilidade ampla, a lei trás 4 regimes possíveis (comunhão universal, separação de bens, separação parcial, comunhão final dos aquestros). A liberdade consiste em poder escolher um de cada um, misturar as opções ou criar (no pacto antenupcial- deve respeitar as normas de ordem pública).
Ampla liberdade (art. 1639, CC)
Enunciado 331, IV, Jornada de Direito Civil
Rol exemplificativo- nem em todos os lugares é assim. Na Alemanha é taxativo.
-Indivisibilidade (reciprocidade): O casal deve ter um regime único, não deve ser um regime para uma parte e outro para outra. É um espelho. Isso pode não se aplicar no casamento putativo, só vale para quem estava de boa fé.
Regime único para o casal
-Variedade de regimes
4 legais
Supletório- não escolheu nenhum? A lei determina que seja o regime legal, a separação parcial de bens.
-Mutabilidade justificada- Possibilidade de mudar depois de casar. Inovação com o CC/02. A regra é que o regime deve durar até o fim, mas, em algumas situações, esse regime pode ser alterado. Há requisitos, precisa de autorização judicial.
CC/02
Requisitos, art. 1639, §2º: motivo relevante, necessário demonstrar e o juiz precisa aceitar as razões, requerimento de ambos os cônjuges, ressalva de bens de terceiros[1: Art. 1.639. É lícito aos nubentes, antes de celebrado o casamento, estipular, quanto aos seus bens, o que lhes aprouver.§ 2.º É admissível alteração do regime de bens, mediante autorização judicial em pedido motivado de ambos os cônjuges, apurada a procedência das razões invocadas e ressalvados os direitos de terceiros.]
Autorização judicial
Enunciado 113, I Jornada de direito civil. É admissível... com ressalva do direito de terceiros, exigida ampla publicidade.
Questão: precisa de edital? Há discussão doutrinária, não é pacífico. Pra quê gastar com a publicação se o direito de terceiros já está garantida?
Obs: mudança ineficaz com relação ao terceiro prejudicado (dívida não impede mudança)- O simples fato de existir dívida não impede a mudança de regime, pois a mudança é ineficaz com relação a esse terceiro prejudicado.
Obs2: quem casou antes do CC/02 pode? RESP 730.546 e enunciado 260, CJF/STJ- PODE
-Regime legal: separação parcial (quando não é feito pacto antenupcial)- é assim desde 1977 (data da lei do divórcio), antes era comunhão total!
-Regras Gerais (arts. 1639 a 1652, cc)- Valem para todos regimes, com algumas exceções. Pacto antenupcial deve ser feito por escritura pública. Para ter validade perante 3º deve ser registrado no cartório do registro de imóveis, é um negócio jurídico solene, tem uma forma regida em lei – escritura pública- (1657,CC). Somente pode tratar de regime de bens!
-Art. 1641, obrigatoriedade da separação de bens (separação obrigatória)
-Administração geral das economia e bens
Ambos os cônjuges (arts. 1642 e 1643)
-Outorgar uxória (art. 1648)- norma de ordem pública.
EXCETO NO REGIME DE SEPARAÇÃO ABSOLUTA, que regime é esse? Alguns definem que seja o regime de separação convencional.

Continue navegando

Outros materiais