A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
SEMINÁRIO PODER JUDICIÁRIO  - modificado 25-05-15

Pré-visualização | Página 1 de 3

*
*
DIREITO CONSTITUCIONAL III
PODER JUDICIÁRIO
*
*
 
PODER JUDICIÁRIO 
Trabalho apresentado como requisito de avaliação da 2ª unidade da disciplina de Direito Constitucional III ministrado pelo professor Gustavo Xará, elaborado pelos acadêmicos do curso de Direito do 4º período da Faculdade Guanambi.
Guanambi – BA.
27 de maio de 2015
Equipe: Daniela Janine, Jailton Neto, Júlia Cristiane, Laiza Soares, Lizziane Carvalho e Paulo Márcio.
*
*
REFERÊNCIAS
LENZA, Pedro. Direito Constitucional Esquematizado. – 17 ed. rev., atual., e ampl. – São Paulo: Saraiva, 2013. 
MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional/ Alexandre de Moraes. – 26. ed. – São Paulo: Atlas, 2010.
GUTIERREZ SOBRINHO, Emílio. A súmula vinculante e sua inconstitucionalidade. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XVI, n. 118, nov 2013. Disponível em: <http://www.ambito_juridico.com.br/site/index.php/?nlink=revista_artigos_leitura&artigo_id=13406&revista_caderno=9>. Acesso em 17 de maio de 2015.
PODER JUDICIÁRIO
*
*
SGARBOSSA, Luís Fernando; JENSEN, Geziela. A Emenda Constitucional nº 45/04, a súmula vinculante e o livre convencimento motivado do magistrado. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 708, 13 jun. 2005. Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/6884>. Acesso em: 16 maio 2015.
AGRA, Walber de Moura. Curso de direito constitucional / 7ª. Ed. Rio de Janeiro. Forense, 2012.
DANTAS, Paulo Roberto de Figueiredo. Direito Constitucional. 2ª Ed. - São Paulo. Atlas, 2005.
PODER JUDICIÁRIO
REFERÊNCIAS
*
*
BRASIL. Constituição da República Federal do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ constituicao/constituicaocompilado.htm>>Acesso em: 23 maio 2015.
BRASIL. Emenda Constitucional nº 45, de 30 de dezembro de 2004. Disponível em: <<http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11417.htm>>Acesso em: 17 maio 2015.
BRASIL. Lei nº 11.417, de 19 de dezembro de 2006. Código Civil. Disponível em: <<http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11417.htm>>Acesso em: 17 maio 2015.
PODER JUDICIÁRIO
REFERÊNCIAS
*
*
INTRODUÇÃO
		Este Seminário tem por objetivo tratar sobre o Poder Judiciário, especificamente, nos aspectos introdutórios: (funções típicas e atípicas; e a estrutura organizacional); Garantias institucionais e dos Magistrados e suas Vedações; Sobre o tempo de “Atividade Jurídica” para ingresso na magistratura; Órgãos Especiais; Quinto Constitucional; Cláusula de reserva de plenário; Juizado Especial e por fim sobre a Súmula Vinculante.
PODER JUDICIÁRIO
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Poder – o poder a ser tratado no seminário é o poder político ou estatal, o qual compete coordenar e impor regras e limites em função dos fins pretendidos pelo Estado.
O Poder Judiciário se encontra 
 disposto nos artigos 92 a 123 
 da Constituição Federal. 
*
*
PODER JUDICIÁRIO
Função típica – “Julgar”, ou seja, dizer o direito no caso concreto, solucionando os conflitos que lhes são levados procedendo a aplicação da lei. Caracteriza os direitos fundamentais, garante a força normativa da CF. Além de mediar os conflitos entre o Legislativo e Executivo. 
Função atípica - Praticar atos de natureza legislativa, como por exemplo, quando estabelece o regimento interno de seus tribunais, praticando também , atos de natureza executiva, quando administra direitos de seus magistrados e serventuários. (Ex. artigo 96, I, f, CF.) 
Funções do Poder Judiciário
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
1- Quanto ao número de julgadores: órgãos singulares e colegiados
2- Quanto à matéria: órgãos da justiça comum e da justiça especial
3- Do ponto de vista federativo: órgãos estaduais e federais. 
Um Tribunal Regional Federal é órgão colegiado, enquanto que um juiz federal é considerado órgão singular. Da mesma maneira, o Tribunal de Justiça de um estado é órgão colegiado, sendo o juiz de Direito um órgão singular.
Os Tribunais e juízes estaduais, os Tribunais Regionais Federais e os juízes federais são considerados órgãos de justiça comum. 
Estrutura organizacional
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Instâncias:
1ª Analisa e julga um caso apresentado ao Judiciário, geralmente apresentados pelos juízes;
2ª Representada pelos Tribunais de Justiça;
3ª Os Tribunais Superiores.
Por fim, o Supremo Tribunal Federal, considerado a mais alta instância do Judiciário brasileiro com a função de proteger a Constituição Federal. 
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Organização do Poder Judiciário:
São Órgãos do Poder Judiciário (art. 92, CF):
I – O STF;
I-A – CNJ;
II – STJ;
III – TRF e Juizados Especiais;
IV – Tribunais e Juízes do Trabalho;
V – Tribunais e Juízes Eleitorais;
VI – Tribunais e Juízes Militares;
VII – Tribunais e Juízes dos Estados, DF e Territórios. 
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Organização do Poder Judiciário:
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Dispões os parágrafos 1º e 2º, do mesmo artigo, que: O STF, CNJ E Tribunais superiores tem sede na Capital Federal. E Jurisdição em todo território nacional (STF e TS).
*
*
PODER JUDICIÁRIO
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS
Algumas observações acerca do artigo:
No seu inciso I – determina que o ingresso na carreira, seja feito mediante concurso público. Exigindo que bacharel tenha no mínimo 3 anos de atividade jurídica. 
No inciso II – trouxe novas exigências para a promoção dos magistrados. Dentre elas, podemos destacar a que promove por merecimento. 
No inciso X – por sua vez, passou a determinar que as decisões administrativas dos tribunais sejam não só motivadas, mas também públicas, para haver mais transparência. 
*
*
PODER JUDICIÁRIO
DISPOSIÇÕES GERAIS
Garantias e Vedações do Poder Judiciário
 Garantias Institucionais (Artigo 96 da CF).
As garantias institucionais correspondem à autonomia funcional, administrativa e financeira.
*
*
PODER JUDICIÁRIO
 Garantias dos Magistrados (Artigo 95 e seus incisos, da CF)
As garantias da magistratura são os clássicos predicamentos de vitaliciedade, inamovibilidade e irredutibilidade de vencimentos.
DISPOSIÇÕES GERAIS
Garantias e Vedações do Poder Judiciário
*
*
PODER JUDICIÁRIO
DISPOSIÇÕES GERAIS
Garantias e Vedações do Poder Judiciário
 Garantias dos Magistrados 
(Artigo 95 e seus incisos, da CF)
- Vitaliciedade;
- Inamovibilidade;
- Irredutibilidade.
*
*
PODER JUDICIÁRIO
DISPOSIÇÕES GERAIS
Garantias e Vedações do Poder Judiciário
 Vedações (Artigo 95, parágrafo único e seus incisos, da CF)
As vedações visam promover a imparcialidade do Juiz no exercício das atividades jurisdicionais.
*
*
PODER JUDICIÁRIO
 Vedações (Artigo 95, parágrafo único e seus incisos, da CF)
I – exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou função, salvo uma de magistério;
II – receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou participação em processo;
III – dedicar-se à atividade político-partidária;
IV – receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, ressalvadas as exceções previstas em Lei. (EC nº 45/04);
V – exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração. (EC nº 45/04).
DISPOSIÇÕES GERAIS
Garantias e Vedações do Poder Judiciário
*
*
PODER JUDICIÁRIO
DISPOSIÇÕES GERAIS
Tempo de “atividade judiciária” para ingresso na magistratura
O artigo 93, I da Constituição Federal de 1988 determina que o ingresso na carreira será através de concurso público com provas e títulos e inicialmente como juiz substituto. Exige ainda que o bacharel em direito tenha, no mínimo, 3 anos de prática jurídica. Já