A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Modulo2_rev

Pré-visualização | Página 1 de 3

Módulo 2 – História dos explosivos e efeitos das explosões 
Apresentação do Módulo 
Você sabe o que é um explosivo? Sabe como identificá-lo? 
Neste módulo você estudará sobre o histórico dos explosivos, seus conceitos, suas 
características, as classificações, os sistemas de iniciação e sobre os tipos de explosões. 
Objetivos do Módulo 
Ao final do estudo deste módulo, você será capaz de: 
• Conceituar explosivos; 
• Identificar as características presentes em um explosivo; 
• Classificar os explosivos de forma geral e quanto ao seu emprego; 
• Listar os tipos de sistemas de iniciação, bem como as características e vantagens de 
cada um; 
• Classificar e identificar os tipos de explosões. 
Estrutura do Módulo 
Este módulo e formado por 4 aulas: 
• Aula 1 – Histórico, conceitos e características dos explosivos 
• Aula 2 – Classificação dos explosivos 
• Aula 3 – Sistemas de iniciação 
• Aula 4 – Conceitos, tipos e efeitos das explosões 
Aula 1 – Histórico, conceitos e características dos explosivos 
1.1. A evolução dos explosivos: breve histórico 
 
Na antiguidade, a pólvora foi, sem dúvida, o primeiro passo para o desenvolvimento 
dos produtos conhecidos hoje como explosivos, sendo atribuído seu descobrimento aos 
chineses. Por volta do século X, a pólvora passou a ser utilizada também com fins militares, 
 
 
 
 
 
na forma de foguetes, bombas e explosivos que eram lançados de catapultas. O lançamento 
dessas bombas também era feito por tubos de bambu, simulando assim um canhão. Da China, 
o uso militar da pólvora, segundo os relatos históricos, partiu para o Japão e Europa. Os 
mongóis também utilizaram a pólvora contra os Húngaros em 1124. Em 1249 a pólvora negra 
teve sua formulação descrita pelo “Frei Inglês Roger Bacon”, que contribuiu para a invenção 
da arma de fogo em 1300 d.C pelo Monge Franciscano Alemão “Berthold Schwarz”. 
Por volta do século “XIX”, em 1846, foi descoberto a 
nitrocelulose (versão bruta), por Théophile Pelouze, que 
obteve um material inflamável da mistura de ácido 
nítrico e algodão. Por ter aperfeiçoado a referida mistura, 
tornando-a estável, a descoberta passou a ser atribuída ao 
químico germano-suíço Christian Friedrich Schonbein. 
Outro passo bastante importante acontecido por volta do 
ano de 1848, foi a descoberta da nitroglicerina pelo 
italiano Ascanio Sobrero. Foi uma verdadeira 
revolução, pois esse explosivo oferecia um poder de 
explosão muitas vezes maior do que o da pólvora, apesar 
de ser muito perigoso quando era submetido a 
movimentos bruscos (choque, atrito), fator limitador das 
condições de segurança e manuseio. 
Em 1863 o sueco Alfred Nobel superou este 
inconveniente, depois de conseguir estabilizar 
nitroglicerina, produzindo desta forma a dinamite 
(explosivo potente que oferecia boas condições de 
segurança). 
 
Christian Friedrich Schonbein 
http://en.wikipedia.org/wiki/Christian_
Friedrich_Sch%C3%B6nbein 
 
 
 
 
 
O século XX foi caracterizado principalmente pelo emprego de vários explosivos, entre eles 
destacamos o TNT (1912), HMX (1940), ANFO (1947), lamas explosivas (1956), emulsões 
(1980), explosivos binários (anos 90). 
1.2. Conceito e características dos explosivos 
1.2.1. Conceito de explosivo 
 
Produto que, por meio de uma excitação adequada, se transforma rápida e violentamente de 
estado, gerando gases, altas pressões e elevadas temperaturas. 
 
 
Observe que a figura acima traz uma explicação sobre o conceito apresentado, 
demonstrando que, se o explosivo sofrer uma excitação adequada, irá mudar de estado de 
forma rápida e violenta, gerando gases que muitas vezes são tóxicos, acompanhado de 
elevadas pressões que ocasionarão grande destruição, além de altas temperaturas, que 
ocasionarão o efeito térmico incendiário. 
 
 
 
 
 
 
 
 
1.2.2. Características dos explosivos 
São as propriedades físicas e químicas que identificam cada explosivo, de forma que 
possam ser selecionados para o emprego correto. Além do uso militar, os explosivos são 
bastante utilizados em pedreiras, mineração e construção civil de modo geral. Suas principais 
características são: velocidade, potência, brisância, sensibilidade e densidade. Veja, a seguir, 
cada uma delas. 
• Velocidade: 
É a rapidez de transformação ou reação do explosivo. 
A velocidade de um mesmo explosivo pode variar conforme o grau de confinamento, 
densidade e diâmetro do cartucho. 
• Potência: 
É a capacidade máxima de produção de trabalho de um explosivo, em função da 
quantidade de calor e da velocidade com que a energia é liberada. 
• Brisância: 
É o efeito rompedor do explosivo sobre seu invólucro, sendo sua eficácia medida entre 
a potência do explosivo e a resistência do material (capacidade de fragmentar seu recipiente). 
Está intimamente relacionada com a pressão de detonação e com a velocidade de 
detonação. 
• Sensibilidade: 
É a capacidade do explosivo em reagir a uma determinada excitação, como impacto, 
calor, choque, atrito. 
• Densidade: 
Relação entre massa e volume (D = M / V). 
Quanto mais denso o explosivo, maior seus efeitos explosivos, porém, tende a ser 
 
 
 
 
 
menor a sua sensibilidade. 
Os explosivos apresentam ainda outras características: 
• Estabilidade: 
Alteração de suas características durante armazenamento em condições normais. 
• Higroscopicidade: 
Capacidade do explosivo em absorver umidade, vindo dessa forma a alterar suas 
características. 
• Toxidez: 
Concentração de gases nocivos à saúde. 
Aula 2 – Classificação dos explosivos 
 
Os explosivos são classificados quanto: 
• ao uso; 
• à velocidade de detonação; 
• ao emprego. 
Veja, a seguir, cada uma das categorias. 
2.1. Quanto ao uso: 
Podem ser classificados em militares e comerciais. 
• Explosivos militares – Caracterizados pela sua alta estabilidade, poder de brisância 
e pela segurança no uso, manuseio e armazenamento. Seguem alguns dos principais 
explosivos militares: 
 
 
 
 
 
 
Nome comum Composição Densidade (g/cm3) 
Veloc. 
(Km/s) Consistência 
Amatol 50 TNT/ 50 NA 1,55 6,3 Sólida 
Composição B 40 TNT / 60 RDX 1,70 7,9 Sólida 
Ciclotol 75/25 25 TNT/ 75 RDX 1,75 8,2 Sólida 
Octol 75/25 25 TNT/ 75 RDX 1,82 8,4 Sólida 
Pentolite 50/50 50 TNT/ 50 PETN 1,67 7,4 Sólida 
Tritonal 80 TNT/ 20 Al 1,72 6,7 Sólida 
Composição C-4 RDX, plastificante e 
componentes 1,6 8,0 Plástica 
Plastex PETN, plastificante e 
componentes 1,5 7,5 Plástica 
• Explosivos comerciais – Diferentemente dos explosivos militares, já se caracterizam 
por serem mais sensíveis, menos estáveis e seu emprego é diretamente relacionado à 
construção civil, mineração, entre outros. Seguem alguns dos principais explosivos 
comerciais. 
Nome comum Fórmula Cor Consist. Veloc. (Km/s) 
Ano 
descob. 
Ano 
utiliz. 
Nitrato de 
amônio (NA) NH4NO3 Branco Grãos 
2,5 
3,5 1659 1867 
Trinitrotolueno 
(TNT) C7H5N3O6 Amarelo 
Sólida 
até 81°C 6,93 1863 1901 
Pentaeritritol-
tetranitrado 
(PETN) 
C5H8N4O1
2 Branco Sólida 7,98 1894 1929 
Ciclotrimetileno-
trinitramina 
(RDX) 
C3H6N6O6 Branco Sólida 8,75 1899 1940 
Ciclotetrametilen
o-tetranitramida 
(HMX) 
C4H8N8O8 Branco Sólida 9,1 1940 1950 
Nitrocelulose 
(NC) 
C6H6N3O1
1 Branco Sólida - 1847 1890 
 
 
 
 
 
2.2. Quanto à velocidade de detonação 
Quanto à velocidade de detonação 1, os explosivos classificam-se em: 
• Altos explosivos (altos primários e altos secundários); 
• Baixos explosivos. 
Veja cada um dos itens. 
• Altos Explosivos – São aqueles explosivos que possuem velocidade de 
transformação acima de 1.000 m/s, sendo subdividido em altos explosivos primários

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.