A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
ctb-resumo-parte1

Pré-visualização | Página 2 de 10

Acompanhar e coordenar as atividades de
administração, educação, engenharia,
fiscalização, policiamento ostensivo de
trânsito, formação de condutores, registro e
licenciamento de veículos, articulando os
órgãos do Sistema no Estado, reportando-
se ao CONTRAN.
Responder às consultas que lhe forem
formuladas, relativas à aplicação da
legislação de trânsito.
Informar o CONTRAN sobre o cumprimento
de exigências definidas nos §§ 1 e 2 do art.
333.
Normatizar os procedimentos sobre
aprendizagem, habilitação, expedição de
documentos de condutores, e registro e
licenciamento de veículos.
Designar , em caso de recursos deferidos e
na hipótese de reavaliação dos exames,
junta especial de saúde para examinar  os
candidatos à habilitação para conduzir
veículos automotores.
Aprovar, complementar ou alterar os
dispositivos de sinalização e os dispositivos
e equipamentos de trânsito.
Apreciar os recursos interpostos contra as
decisões das instâncias inferiores, na forma
deste Código.
Avocar (Chamar a si, atrair) para análise e
soluções, processos sobre conflitos de
competência ou circunscrição, ou, quando
necessário, unificar as decisões
administrativas
Dirimir conflitos sobre circunscroção e
competência de trânsito no âmbito da
Dirimir conflitos sobre circunscrição e
competência de trânsito no âmbito dos
União, dos Estados e do Distrito Federal. municípios.
Normatizar o processo de formação do
candidato á obtenção da Carteira Nacional
de Habilitação, estabelecendo seu conteúdo
didático-pedagógico, carga horária,
avaliações, exames, execução e fiscalização.
 
Art 15º - Os presidentes dos CETRAN e do CONTRANDIFE são nomeados
pelos governadores dos estados e DF e deverão ter reconhecida
experiência em matéria de trânsito.
  Os membros dos CETRAN e do CONTRANDIFE são nomeados
pelos Governadores dos Estados e do Distrito
Federal,  respectivamente e deverão ter reconhecida experiência
em trânsito.
§ 3º (caiu em prova) - O mandato dos membros do CETRAN e do
CONTRANDIFE é de dois anos, admitida a recondução.
Art 16º - JARI: funcionam junto aos órgãos executivos de trânsito. São
responsáveis pelo julgamento dos recursos interpostos contra
penalidades.
PU: As JARI tem regimento próprio e apoio administrativo
financeiro do órgão ao qual funcionem.
Estudar resolução CONTRAN 357 de 2010, que estabelece diretrizes
para a elaboração do Regimento Interno das JARI
Art 17º - Compete às JARI: (NE: geralmente, a JARI é composta por três
pessoas, sendo uma delas seu presidente.)
julgar os recursos interpostos pelos infratores;
solicitar aos órgãos informações complementares relativas aos
recursos, para melhor análise da situação recorrida;
encaminhar aos órgãos informações sobre problemas observados
nas autuações e nos recursos que se repitam sistematicamente.
Art 19º - Compete ao órgão máximo executivo de trânsito da União (NE:
DENATRAN): 
vide tabela 4 abaixo
Art 20º - Compete à Polícia Rodoviária Federal:
vide tabela 2 abaixo
Tabela 2: das Competências da Polícia Rodoviária Federal
 
Atribuição da PRF Atribuição comum ou parecida dos
órgãos executivos municipais
Cumprir e fazer cumprir a legislaçao e as
normas de transito no âmbito de suas
atribuições.
Realizar o patrulhamento ostensivo,
executando operações relacionadas com a
segurança pública, com o objetivo de
preservar a ordem, a incolumidade das
pessoas, o patrimonio da uniao e o de
terceiros;
Aplicar e arrecadar multas impostas por
infracoes de transito, as medidas
administrativas decorrentes e os valores
provenientes de estada e remocao de
veiculos, objetos e animais e escolta de
veiculos de cargas superdimensionadas ou
perigosas.
Arrecadar valores provenientes de estada
e remoção de veículos e objetos, e escolta
de veículos de cargas superdimensionadas
ou perigosas.
Efetuar levantamento dos locais de acidentes
de transito e dos servicos de atendimento,
socorro e salvamento de vitimas;
Credenciar os serviços de escolta, fiscalizar e
adotar medidas de segurança relativas aos
serviços de remoção de veículos e escolta e
transporte de carga indivisível;
Credenciar os serviços de escolta, fiscalizar
e adotar medidas de segurança relativas
ao serviços de remoção de veículos,
escolta e transporte de carga indivisível.
Implementar as medidas da Política Nacional
de Segurança e Educação de Trânsito;
Esta tem tanto aqui como nos DETRANS e
nos orgaos municipais
Integrar-se a outros órgãos e entidades do
Sistema Nacional de Trânsito para fins de
arrecadação e compensação de
multas impostas na área de sua competência,
com vistas à unificação do licenciamento, à
simplificação e à celeridade das
transferências de veículos e de prontuários de
condutores de uma para outra unidade da
Federação.
Esta tem tanto aqui como nos DETRANS e
nos orgaos municipais
Assegurar a livre circulacao nas rodovias
federais, podendo solicitar ao orgao
rodoviario a adocao de medidas emergenciais
e zelar pelo cumprimento das normas legais
relativas ao direito de vizinhança,
promovendo a interdiçao de construções e
instalacoes nao autorizadas.
Coletar dados estatisticos e elaborar estudos
sobre acidentes de transito e suas causas,
adotando ou indicando medidas operacionais
preventivas e encaminhando ao orgao
rodoviario federal;
Esta aqui tem uma parecida também nos
DETRANS e orgaos municipais.
Promover e participar de projetos e
programas de educacao e seguranca, de
acordo com as diretrizes estabelecidas pelo
CONTRAN;
Esta tem tanto aqui como nos DETRANS e
nos orgaos municipais.
Fiscalizar o nível de emissao de poluentes e
ruido produzido pelos veiculos automotores
ou pela sua carga, de acordo com o
estabelecido no art 66 (vetado), alem de dar
apoio, quando solicitado, às açoes especificas
dos orgaos ambientais.
Esta tem tanto aqui como nos DETRANS e
nos orgaos municipais.
Art 21º - Compete aos orgaos e entidades executivos rodoviarios da
uniao, estados e municipios:
vide tabela 3 abaixo
 
Tabela 3: das Competências dos orgaos e entidades executivos
rodoviarios da uniao (DNIT), estados (DER) e municipios.
 
Cumprir e fazer cumprir a legislação e as normas de trânsito, no âmbito de suas atribuições.
Planejar, projetar, regulamentar e operar o transito de veiculos, pedestres e animais,
promover o desenvolvimento da circulacao e da seguranca de ciclistas;
Implantar, manter e operar o sistema de sinalizaçao, os dispositivos e os equipamentos de
controle viário;
Coletar dados e elaborar estudos sobre os acidentes de transito e suas causas;
Estabelecer, em conjunto com os orgaos de policiamento ostensivo de trânsito, as
respectivas diretrizes para o policiamento ostensivo de transito.
(caiu em prova) - Executar a fiscalização de transito, autuar, aplicar as penalidades de
advertencia, por escrito e ainda as multas e medidas administrativas cabíveis, notificando os
infratores e arrecadando as multas que aplicar; (NE: o órgãos da União, na prática e
atualmente é a DPRF [Polícia Rodoviária] - questão de prova); 
Arrecadar valores provenientes de estada e remocao de veículos e objetos e escolta de
veiculos de cargas superdimensionadas ou perigosas.
Fiscalizar, autuar, aplicar as penalidades e medidas administrativas cabiveis, relativas a
infracoes por excesso de peso, dimensoes e lotacao dos veiculos, bem como notificar e
arrecadar as multas que aplicar;
Fiscalizar o cumprimento da norma contida no art. 95, aplicando as penalidades e
arrecadando as multas nele previstas.
NE: art 95 fala sobre a permissão prévia de obra ou evento que possa perturbar ou
interromper a livre circulação de veículos ou pedestres.
Implementar as medidas da Política Nacional de Trânsito e do Programa Nacional de
Trânsito.
Promover e participar de projetos e programas de educação e segurança, de acordo com
as diretrizes estabelecidas pelo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.