A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
204 pág.
A-Fisica-Dos-Anjos-Sheldrake

Pré-visualização | Página 22 de 50

mística. Os artistas projetaram essa 
imagem nas representações que fizeram dos anjos.
Revelação e profecia: o trabalho áos anjos
O espírito opera graças nas pessoas por meio dos anjos.15 As 
iluminações e as revelações divinas são transmitidas por Deus 
aos seres humanos por meio dos anjos. Agora, o conhecimento 
profético é outorgado pela iluminação e pela revelação divinas. 
Portanto, é evidente que é transmitido pelos anjos.16
A profecia é uma perfeição do intelecto, por meio da qual 
um anjo também pode formar uma idéia.17 A revelação pro­
fética, que é comunicada pelo ministério dos anjos, é chamada 
de revelação divina.18 A profecia manifesta-se entre anjos e 
pessoas.19
MATTHEW: Essa é uma concepção muito importante de Aquino sobre os 
anjos. A imagem que me ocorre quando ele discorre acerca dos anjos trans­
mitindo iluminações e revelações divinas é aquela das abelhas carregando 
pólen de flor em flor. Daí vem a idéia de que os anjos carregam revelações 
proféticas de profeta em profeta. Em outras palavras, idéias novas. Isso real­
mente se encaixa em sua compreensão a respeito do conhecimento angélico; 
os anjos são especialistas em intuição. E também são profetas.'Eles têm in­
tuição moral.
Aquino diz que os anjos carregam mensagens e sementes de intuição 
de pessoa em pessoa. Talvez seja essa uma das razões pelas quais, em uma 
época como a nossa, em que a consciência profética se faz tão necessária, 
haja um consenso crescente entre diferentes tipos de pessoas, desde cientis­
tas a teólogos, poetas, ambientalistas, e assim por diante. Quando falamos 
sobre um consenso cada vez maior ou sobre o surgimento de uma nova
São Tomás de. Aquino 91
visão de mundo, talvez os anjos realmente tenham uma participação nisso. 
Afinal, de onde vêm nossos sonhos e nossas intuições?
“Revelação profética” é um termo muito forte. “Iluminação divina” e 
revelação profética, O fato de serem transmitidas pelo ministério dos anjos 
confere a estes uma tarefa extraordinária em uma época de descontinuidade 
social, intelectual e ecológica. É esse o tempo em que vivemos. O renasci- 
mento da civilização e a esperança por uma renascença dependem tanto dos 
anjos quanto da boa vontade e do comprometimento dos seres humanos.
O rabino Heschel diz que o profeta interfere, mas Aquino afirma que a 
interferência não é apenas emocional ou retórica, mas intelectual. Assim 
como a luta por justiça é algo intelectual. Não se pode ter luta por justiça sem 
vida intelectual porque diz respeito a ponderar as possibilidades - uma ima­
gem que nos é familiar no arquétipo da mulher vendada com. a balança.
RUPERT: Creio que as idéias de Aquino sobre revelação e iluminação por 
meio dos anjos também sejam importantes para restaurar em nós um senso 
de inspiração. Toda arte proeminente e, com efeito, toda criatividade reco­
nhecidamente superior estão fundadas na idéia de inspiração, apreendida 
desde um ser consciente ou de uma inteligência mais elevada que a nossa. E 
isso é expresso no conceito clássico do gênio, o espírito que guia ou orienta 
uma pessoa.
Os poetas clássicos deram início a essa tradição com uma invocação às 
suas musas, pedindo a elas que os guiassem e os inspirassem. A tendência 
continuou na poesia inglesa, como em The Faerie Queene, de Edmund Spen- 
cer, e Paraíso perdido, de John Milton. E hoje, se você for a um concerto de 
música clássica no sul. da índia, ele será iniciado com uma invocação a Sa- 
rasvat, a deusa da sabedoria e da música.
A idéia de que a informação é oriunda de fontes superiores experimen­
tou recentemente uma revivicação popular, e é bastante comum em nossos 
dias. Vivemos uma cacofonia de canalização [channeling] . Em qualquer livra­
ria voltada para publicações sobre a Nova Era, há inúmeros livros sobre in­
formação canalizada. Ainda que adore a idéia da inspiração angélica, devo 
admitir um certo preconceito contra toda essa canalização.
MATTHEW: É aqui, nessa passagem, que o trato de Aquino é tão revigo­
rante. Ele insiste na dimensão intelectual, no conceito de que a dimensão
92 A FÍSICA DOS ANJOS
profética é uma dimensão de justiça. Estas são as duas dimensões que acre­
dito estarem sempre faltando na canalização da Nova Era. Por exemplo, 
muitos desses canalizadores estão ocupados ganhando dinheiro com seus 
anjos; e para onde isso vai? A quem serve? E qual é o teor intelectual disso?
É algo semelhante ao excesso de cérebro direito. Uma abordagem sobre 
os anjos que não inclua uma tradição como a que Aquino representa, com 
suas dimensões de vida intelectual e profética, envereda-se por uma relação 
movediça com o mundo angélico. O verdadeiro interesse dos anjos é ajudar 
a humanidade e servir. Mas a canalização pode acabar servindo simplesmen­
te às necessidades financeiras, de ego ou de fama das pessoas. Tampouco me 
sinto à vontade com as versões sobre anjos que não demonstram que o ter­
mo dessa relação é a compaixão pela condição humana e pela situação ter­
rena. É por isso que o fato de Aquino mostrar-se tão explícito sobre o papel 
profético dos anjos é uma notícia tão revigorante.
Sitèncio cfivino
Os anjos são os arautos do silêncio divino. Pois está claro que, 
em uma concepção de coração ou de intelecto desprovida de 
voz, está implícita a idéia de que são preenchidos pelo silêncio.
Mas é por meio de uma voz perceptível que o silêncio do cora­
ção é proclamado [...] os anjos sempre são os anunciadores do 
silêncio divino. Mas, depois que algo é anunciado a alguém, é 
necessário que o anúncio seja entendido. Por conseguinte, e 
porque podemos entender pelo intelecto as coisas que são anun­
ciadas a nós por meio dos anjos, eles mesmos, pelo esplendor 
de sua luz, ajudam nosso intelecto a entender os segredos de 
Deus.20
MATTHEW: É muito bonita a tarefa que Aquino identifica como sendo a 
que os anjos executam: a de serem anunciadores do silêncio divino. E eles 
não só anunciam como também nos ajudam a entender os anúncios. Os 
anjos tocam nosso intelecto através do brilho intenso de sua luz própria.
Sao Tomás de Acfuino 93
Acho que perdemos o respeito pelo silêncio. Nosso mundo está repleto 
de Muzak*, de televisão e de todas essas intromissões ao silêncio da nature­
za. O silêncio está se tornando cada vez mais raro. No entanto, as tradições 
espirituais sempre ensinaram que o silêncio é uma das maneiras pelas quais 
o coração se abre e o divino conversa conosco. Um retiro espiritual é um 
exemplo, e muitos tipos de meditação, desde a zen budista à monástica, 
envolvem a prática de reunir-se em silêncio.
Acredito que essa notícia de que os anjos são portadores do silêncio faça 
parte de nossa recuperação da cosmologia sagrada. Eu me lembro de Rusty 
Schweickart, o astronauta, comentando que foi o silêncio cósmico do espaço 
afora que o tornou um místico, após ter sido treinado durante anos como 
piloto de jato de caça. As pessoas que descem às profundezas do mar ou pra­
ticam mergulho já me contaram sobre o impressionante silêncio que há lã 
embaixo. O silêncio é claramente um dos caminhos para se atingir o coração, 
o mistério divino. É uma missão muito especial e misteriosa aquela que Aqui- 
no aponta aqui, nesta simples frase: t!Os anjos são os arautos do silêncio”.
RUPERT: Isso quer dizer que uma maneira de entrar em contato com os 
anjos é por meio do silêncio? Equivaleria a sugerir que sempre que adentramos 
um espaço silencioso por meio da meditação, na medida em que esse silêncio 
for divino, o anúncio da presença divina será feito por meio de um anjo.
MATTHEW: Isso mesmo, os anjos estão presentes. O silêncio é como um 
vácuo que suga os anjos para seu interior. Eles não resistem ao silêncio sa­
grado. Mas nem sempre nos aproximamos do silêncio por meio da medita­
ção, embora seja o caminho mais óbvio. Minha vivência diz que, sempre que 
ocorre uma experiência de reverência, ocorre

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.