A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
APOL 1

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material APOL 1 - página 1
Pre-visualização do material APOL 1 - página 2
Pre-visualização do material APOL 1 - página 3

APOL 1

Questão 1/5 - Economia Política
Leia o trecho a seguir: 
“Um sistema econômico é, pois, um conjunto de dependências econômicas reciprocamente ligadas que, pelo fato de estarem vinculadas, surgem mais ou menos ao mesmo tempo e se desfazem, também, aproximadamente no mesmo momento. Datar empiricamente a sua aparição e desaparição é fixar os limites cronológicos de um dado sistema econômico. E elaborar a teoria econômica de um sistema econômico dado é determinar (e ainda empiricamente) a lista mais completa possível das relações de dependência que o mesmo admite e determinar as vinculações recíprocas que fazem deste conjunto de relações um sistema único.” (Kula, 1970: 47)
Fonte: KULA, W. (1973). Problemas y Métodos de la Historia Econômica. Barcelona: Ediciónes Península.
Considerando os elementos básicos que compõem o sistema econômico, analise as afirmativas a seguir e assinale a opção correta:
I. Mão de obra de um trabalhador e máquinas são, respectivamente, fatores de produção trabalho e capital;
II. O objetivo do governo em uma economia de mercado é unicamente o de maximizar o próprio lucro;
III. As famílias buscam maximizar o seu bem-estar a partir do consumo de bens e serviços adquiridos a partir das rendas das famílias;
IV. As empresas não têm o objetivo de gerar lucro, apenas de redistribuir renda e receber ordens das famílias.
	
	A
	São corretas as afirmativas I e II, apenas
	
	B
	São corretas as afirmativas II e IV, apenas
	
	C
	São corretas as afirmativas I e III, apenas
	
	D
	São corretas as afirmativas I e IV, apenas
	
	E
	São corretas as afirmativas II e III, apenas
Questão 2/5 - Política Externa Brasileira
Descontente com a atitude norte-americana, Domício da Gama, embaixador em Washington, expressou a sua consternação com a interferência dos EUA nas políticas econômicas do Brasil em um jantar da Sociedade Pan Americana em Nova York. Lauro Mueller, contudo, censurou-o. Enquanto Domício da Gama entendia que a amizade e a cooperação com os norte-americanos não deveriam estender-se além do ponto em que os interesses nacionais eram claramente beneficiados, Muller, estava disposto a oferecer amizade e cooperação irrestritas, convencido de que, no fim, os benefícios para o Brasil seriam mais importantes do que quaisquer inconvenientes transitórios.
Fonte: SILVA, A. L. R.; RIDEGER, B. F. Política Externa Brasileira: uma introdução. Curitiba: Intersaberes, 2016, CAPÍTULO 2.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, assinale a alternativa que indique corretamente um dos motivos causadores da chamada 'questão do truste do café":
	
	A
	A causa foi a proibição da entrada de café dos EUA no Brasil
	
	B
	A causa foi a decisão do governo Brasileiro de parar de vender café para os EUA e comercializar o produto exclusivamente com a China
	
	C
	A causa foi a estatização de empresas americanas pelo governo brasileiro. 
Como reação, os americanos proibiram a entrada do café brasileiro 
no mercado dos EUA
 
	
	D
	A causa foi a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial ao lado da Alemanha. 
Os americanos, como forma de retaliação, pararam de comprar o café brasileiro.
	
	E
	A causa foi o programa de valorização forçada do café brasileiro
Questão 3/5 - Política Externa Brasileira
Leia o trecho a seguir: 
"O problema mesmo da origem da guerra e da natureza dos expansionismos regionais também deve ser posto desde logo. Por outro lado, em que pese o caráter de genocídio bárbaro, de hecatombe demográfica, que a guerra assumiu contra o Paraguai, impõe-se sejam reestudados os componentes e a história da nação paraguaia em sua devida dimensão. Tal abordagem nos conduz desde logo para a análise da inserção das nações envolvidas - Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai - no quadro dos imperialismos europeus da segunda metade do século passado". 
Fonte: MOTA, Carlos Guilherme. História de um silêncio: a guerra contra o Paraguai (1864-1870) 130 anos depois. Estudos Avançados. 1995. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ea/v9n24/v9n24a12.pdf>.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, assinale a alternativa que indica corretamente como se denomina a teoria construída por Solano Lopez em conformidade com os chamados blancos uruguaios:
 
	
	A
	Teoria da bacia do Prata
	
	B
	Teoria do "Equilíbrio de Estados"
	
	C
	Teoria do Destino Manifesto
	
	D
	Teoria do Espaço Vital
	
	E
	Teoria do subimperialismo
 
Questão 4/5 - Economia Política
Leia o trecho a seguir:
“Cada período histórico cria tanto o corpo físico de sua existência, suas cidades, seus produtos, suas artes, quanto sua fisionomia espiritual, suas ideias, suas sensibilidades, que também são constitutivas da realidade histórica. Nessa dupla criação há autonomia, a pura manifestação das especificidades, e interdependências. Assim, não se vejam os produtos da subjetividade como puros reflexos. Paralelamente, também não se descarte a presença dos condicionantes históricos materiais das ideias.” 
Fonte: PAULA, J. A. A atualidade do pensamento econômico de Marx: capital, dinheiro, valores e preços. Revista ANPEC, v. 3, p. 35-45, 1997. p. 36.
Tendo em conta o trecho citado acima e os conteúdos trabalhados no decorrer da disciplina, assinale a alternativa que indique corretamente a principal modificação ocorrida no entendimento sobre o excedente econômico da Escola Fisiocrata para os economistas ingleses clássicos: 
	
	A
	Para os fisiocratas, o excedente é definido como o produto advindo da terra, ou seja, ele está relacionado com a produção. Os economistas ingleses 
clássicos, por sua vez, entendem o excedente a partir da teoria 
do valor-trabalho, na qual o valor contigo nas mercadorias é o trabalho.  
	
	B
	Para os fisiocratas, o excedente é definido como o produto advindo do trabalho 
escravo, ou seja, ele está relacionado com exploração da mão de obra escrava. 
Os economistas ingleses clássicos, por sua vez, entendem o excedente a 
partir da teoria do valor-moeda, na qual o valor é definido pela quantia de metais.
	
	C
	Para os fisiocratas, o excedente é definido como o produto advindo das 
plantations, ou seja, ele está relacionado com a agro-exportação. 
Os economistas ingleses clássicos, por sua vez, entendem o excedente 
a partir da teoria do valor-serviço, na qual o valor contigo nas mercadorias é a produção.  
	
	D
	Para os fisiocratas, o excedente é compreendido como a capacidade 
de exportação de um país. Os economistas ingleses clássicos, por sua 
vez, entendem o excedente a partir da lógica do valor-riqueza, na qual o 
valor contigo no trabalho é o salário.  
	
	E
	Para os fisiocratas, o excedente é definido como o produto advindo 
da produção, ou seja, ele está relacionado com a industrialização. 
Os economistas ingleses clássicos, por sua vez, entendem o 
excedente a partir da teoria do valor-trabalho, na qual o valor contigo no 
trabalho é a moeda.
Questão 5/5 - Economia Política
Leia o trecho a seguir:
"Smith praticamente “inventa” a escola mercantilista (na verdade um conjunto de políticas, artigos, panfletos, propaganda, etc.) ao sistematizar no Livro IV os seus pontos centrais antes de combatê-los. Segundo ele, as principais características desse sistema seriam: a identificação de riqueza com riqueza metálica, e a ideia de que para deter metais era preciso manter a Balança Comercial superavitária. Aceitos esses princípios, “(...) tornou-se necessariamente o grande objeto da (Economia Política [dos mercantilistas], diminuir tanto quanto possível a importação de produtos externos para o consumo doméstico, e aumentar tanto quanto possível a exportação do produto da indústria doméstica. Seus dois grandes mecanismos para enriquecer um país, portanto, eram restrições sobre importações e incentivos às exportações. Ao Estado caberia, então, intervir na vida econômica de forma a garantir que a ação dos indivíduos engendrasse o