A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
55 pág.
resenha

Pré-visualização | Página 1 de 3

Teoria das Relações Humanas
Década de 30
Ênfase: Nas pessoas
Pressupostos:
Incentivo econômico não é a única forma motivadora
O trabalhador não se comporta como um ser isolado
A especialização funcional não cria necessariamente a organização mais eficiente
Teoria das Relações Humanas
Questões Abordadas
Integração social
Comportamento social
Recompensas e punições
Grupos informais
Relações intergrupais
Motivação
Liderança
Comunicação
Organização Informal
Dinâmica de Grupo
Processo Decisório
Mudança Organizacional
A influência da motivação humana
A motivação procura explicar por que as pessoas se comportam.
A experiência de Hawthorne teve o mérito de demonstrar que a recompensa salarial- mesmo quando efetuada em bases justas ou generosas- não é o único fator decisivo na satisfação do trabalhador dentro de uma situação de trabalho.
A motivação está relacionada ao comportamento, que é causado por necessidades intrínsecas do indivíduo e que é impulsionado ao alcance de objetivos. As necessidades podem ser classificadas em:
Teoria de campo de Lewin
Para explicar a motivação do comportamento, elaborou a teoria de Campo, que se baseia em duas suposições fundamentais:
O comportamento humano é derivado da totalidade de fatos coexistentes.
Esses fatos coexistentes têm o caráter de um campo dinâmico, no qual cada parte do campo depende de uma inter-relação com as demais outras partes.
Lewin, propõe a seguinte equação, para explicar o comportamento humano.
C=f (P,M)
C= comportamento
F= resultado da interação entre a pessoa (P) e o meio (M) que a rodeia.
Necessidades humanas básicas
O estudo da motivação do comportamento supõe o conhecimento das necessidades humanas. A teoria das relações humanas constatou a existência das necessidades humanas básicas. O homem é considerado um animal dotado de necessidades que se alternam ou se sucedem conjunta ou isoladamente.
Ao longo da vida, o homem evolui por três níveis ou estágios de motivação: na medida em que cresce e amadurece, vai ultrapassando os estágios mais baixos e desenvolvendo necessidades de níveis mais elevados. Esses níveis ou estágios de motivação correspondem às necessidades fisiológicas, psicológicas e de autorrealização.
Necessidades fisiológicas
 são as necessidades primárias, relacionadas com a sobrevivência do indivíduo. São inatas e instintivas. Isso implica que, se uma necessidade básica não for satisfeita, poderá afetar o comportamento do individuo e, consequentemente, sua produtividade.
Necessidades psicológicas
 São necessidades secundárias e exclusivas do homem. São aprendidas e adquiridas no decorrer da vida e representam um padrão mais elevado e complexo de necessidades. As principais necessidades psicológicas são
Necessidade de segurança íntima. é a necessidade que leva o indivíduo à autodefesa, procura de proteção contra o perigo, ameaça ou privação.
Necessidade de participação. Necessidade de fazer parte, de ter contato humano, de participara conjuntamente com outras pessoas de algum evento ou emprendimento
Necessidade de autoconfiança. É decorrente da autoavaliação e autoapreciação de cada indivíduo. Refere-se à maneira pela qual cada pessoa se vê e se avalia.
Necessidade de afeição. Necessidade de dar e receber afeto, amor e carinho.
Necessidade de autorrealização
São as necessidades mais elevadas e decorrem da educação e da cultura da pessoa. São raramente satisfeitas em sua plenitude, pois o ser humano procura maiores satisfações e estabelece metas crescentemente sofisticadas.
Teoria das Relações Humanas
As Necessidades Humanas Básicas
FISIOLÓGICAS
PSICOLÓGICAS
AUTO-
REALIZAÇÃO
Status / Prestígio 
Afeição 
Pertença
Segurança
Desenvolvimento
INTELECTUAL e
ESPIRITURAL
Ciclo Motivacional
O comportamento humano é motivado. A motivação é a tensão persistente que leva o indivíduo a alguma forma de comportamento visando a satisfação de uma ou mais necessidade. Daí o conceito de ciclo motivacional.
Frustração impede que a tensão existente seja liberada e mantém um estado de desequilíbrio e tensão.
Compensação ou transferência. Ocorre quando o indivíduo tenta satisfazer uma necessidade impossível de ser satisfeita, através de uma outra necessidade complementar ou substitutiva.
Quando uma necessidade não é satisfeita dentro de um tempo razoável, ela passa a ser um motivo frustrado. A frustração pode conduzir a reações comportamentais, como: 
Desorganização do comportamento
Agressividade
Reações emocionais
Alienação e apatia.
Moral e clima organizacional
O moral é um conceito abstrato e intangível, porém, perfeitamente perceptível. É uma decorrência do estado motivacional das pessoas provocadas pela satisfação ou não das suas necessidades.
Clima organizacional. Representa o ambiente psicológico e social que existe em uma organização e que condiciona o comportamento dos seus membros.
Liderança
Liderança é a arte de comandar pessoas, atraindo seguidores e influenciando de forma positiva mentalidades e comportamentos. A liderança pode surgir de forma natural, quando uma pessoa se destaca no papel de líder, sem possuir forçosamente um cargo de liderança.
 
Para os humanistas, a liderança pode ser visualizada sob diversos ângulos:
Liderança como um fenômeno de influência interpessoal exercida
 Liderança como um processo de redução da incerteza do grupo
Liderança como uma relação funcional entre líder e subordinado
 
Teorias sobre liderança:
 Traços de personalidade (físicos, intelectuais, sociais, relacionados à tarefa)
 Estilo de lideranças: (autocrática, liberal, democrática)
Situacionais (não existe um único tipo de liderança)
Teorias de traço de personalidade
Um traço é uma qualidade ou característica distintiva de personalidade. Segundo essas teorias, o líder é aquele que possui alguns traços específicos de personalidade que o distingue das demais pessoas.
Traços físicos: energia, aparência pessoal, peso.
Traços intelectuais: adaptabilidade, entusiasmo, e autoconfiança.
Traços sociais: cooperação, habilidades interpessoais e administrativas.
Teorias sobre estilos de liderança
Comunicação
É a troca de informações entre pessoas.
Princípios:
 Proporcionar informação e compreensão necessárias às atividades da organização
 Proporcionar atitudes necessárias à motivação, cooperação e satisfação
Organização informal
É o conjunto de interações e relacionamentos que se estabelecem entre as pessoas. O comportamentos dos grupos sociais está condicionada a dois tipos de organizações: organização formal(ou racional), conduzidas pelas práticas estabelecidas pelas empresas e a organização informal(ou natural).
Características da organização informal
Relação de coesão ou antagonismo
Status
Colaboração espontânea
A possibilidade de oposição à organização formal
A organização informal transcende a organização formal
Origens da organização informal
Os “interesses comuns” aglutinam as pessoas
A interação provocada pela própria organização formal
A flutuação do pessoal dentro da empresa
Os períodos de lazer
Dinâmica de grupo
O grupo não é apenas um conjunto de pessoas, mas envolve a interação dinâmica entre pessoas que se percebem psicologicamente como membros de um grupo.  Por interagir e influenciarem-se mutuamente, grupos desenvolvem vários processos dinâmicos que os separam de um conjunto aleatório de indivíduos. Estes processos incluem normas, papéis sociais, relações, desenvolvimento, necessidade de pertencer, influência social e efeitos sobre o comportamento
Exercícios de dinâmica de grupo são muitas vezes usados para melhorar o entrosamento dos diversos elementos do mesmo grupo e promover autenticidade nas pessoas, além de colocar os indivíduos a lidarem com opiniões e atitudes distintas, promovendo crescimento pessoal. 
Teoria das Relações

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.