A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Contas Patrimoniais

Pré-visualização|Página 1 de 1


Contas Patrimoniais


Introdução



HTML image 0
É necessário organizar um grupo de contas patrimoniais para mensurar o patrimônio de uma entidade

Em contabilidade, conta é o nome dado aos componentes do patrimônio (bens, direitos, patrimônio líquido e obrigações) e aos elementos dos resultados da empresa (despesas e receitas). As contas têm a função de representar variação no patrimônio da empresa.

Na história da Contabilidade, diversas escolas se especializaram no estudo das contas. Na teoria das contas, pode-se destacar:

  • Teoria Personalista;

  • Teoria Materialista;

  • Teoria Patrimonialista.

A Teoria Patrimonialista defende que o patrimônio da empresa deve ser o objeto de estudo. Assim, esta teoria separa as contas que representam a situação estática (patrimônio) daquelas que representam a dinâmica da situação da empresa (receitas e despesas):

  • Contas patrimoniais: representam a situação estática da empresa: bens, direitos, obrigações e patrimônio líquido;

  • Contas de resultados: representam as contas que alteram a situação do patrimônio líquido da empresa (despesas e receitas).


Contas Patrimoniais

As contas patrimoniais devem registrar débitos e créditos de mesma natureza, identificadas por títulos que qualificam os elementos patrimoniais representados (bens, direitos, obrigações ou patrimônio líquido). De acordo com a Lei 11638/07, as contas patrimoniais devem ter a seguinte estrutura:

  • Ativo;

  • Ativo circulante: todas as contas do ativo circulante;

  • Ativo não circulante;

  • Ativo realizável a longo prazo;

  • Investimentos;

  • Ativo Imobilizado;

  • Ativo Intangível;

  • Passivo;

  • Passivo circulante;

  • Passivo não circulante.

Uma conta completa deve conter os seguintes elementos essenciais:

  • Título da conta;

  • Data da operação;

  • Histórico;

  • Débito (valor);

  • Crédito (valor);

  • Saldo.



HTML image 1
Ilustração esquemática da comparação entre ativos e passivos


Ativo

No ativo encontra-se todas as contas que representam os bens e direitos da empresa.


Ativo circulante

Neste grupo encontram-se todas as ativos que devido à sua finalidade, estão em constante circulação, como por exemplo a conta caixa, as contas de estoque, bancos conta movimento etc.


Ativo não circulante

Constituem ativos não circulantes todos os bens de natureza duradoura, destinados ao funcionamento normal da entidade, assim como todos os direitos exercidos com este objetivo. Conforme estabelece a Lei nº 6404/76, os ativos não circulantes são divididos em Ativo Realizável a Longo Prazo, Investimentos, Ativo Imobilizado e Ativo Intangível.


Ativo realizável a longo prazo

Neste grupo estão classificadas as contas representativas dos recursos aplicados em bens e direitos, que circulam somente depois do fim do exercício social subsequente ao balanço no qual estes elementos foram classificados. Entre os exemplos, incluem-se os títulos a receber (duplicatas, promissórias etc).


Investimentos

Representam as participações no capital de outras sociedades, as quais geram rendimentos para a empresa, além das contas representativas de outros direitos que não se classificam como ativo realizável a longo prazo, como, por exemplo, investimentos em ouro ou propriedades.


Ativo Imobilizado

Neste grupo estão as contas representativas dos bens e direitos alocados na empresa de modo permanente, tais como os móveis e veículos de uso da empresa.


Ativo intangível

Incluem-se neste grupo as contas representativas de direitos que tenham por objeto bens incorpóreos (imateriais), exercidos com a finalidade de manutenção da companhia, tais como os direitos de propriedade industrial ou comercial, legalmente conferidos aos portadores.


Passivo

No ativo encontra-se todas as contas que representam as obrigações e o patrimônio líquido da empresa.


Passivo circulante

Neste grupo estão as contas que representam as obrigações da empresa a vencer no curso do exercício seguinte, como os capitais de terceiros.


Passivo não circulante

Neste grupo estão as contas que representam as obrigações da entidade a vencer após o exercício seguinte, incluindo as obrigações necessárias à aquisição do ativo não circulante, como, por exemplo, financiamentos. O passivo não circulante divide-se em: Exigível a Longo Prazo e Resultados de Exercícios Futuros.


Exigível a Longo Prazo

O passivo exigível a longo prazo compreende as contas de obrigações da empresa que vencem após o término do exercício seguinte, isto é, acima de 360 dias após o fato gerador. Por exemplo, um financiamento cujo início do pagamento se dá 15 meses após a aquisição do crédito.


Resultados de exercícios futuros

Os resultados de exercícios futuros representam as receitas já recebidas pela entidade, deduzidas dos custos e despesas já incorridos ou a incorrer, mas que serão reconhecidas de fato pela empresa nos exercícios futuros, por terem alguma relação com algum evento futuro, mas sem que haja qualquer obrigação de devolução por parte da empresa


Patrimônio Líquido

O patrimônio líquido é composto pelas contas que representam o valor contábil efetivamente pertencente aos sócios ou acionistas.

Para as sociedades por ações, a Lei 11638/2007 determina a divisão do patrimônio líquido nos seguintes itens:

  • Capital social;

  • Reservas de capital;

  • Ajustes de Avaliação Patrimonial;

  • Reservas de Lucros;

  • Ações em Tesouraria;

  • Prejuízos acumulados.