Especiação
1 pág.

Especiação


DisciplinaBiologia Experimental719 materiais1.203 seguidores
Pré-visualização1 página

ESPECIAÇÃO


CONCEITOS

A especiação é o processo pelo qual uma espécie passa e a partir disso ela se divide em duas ou mais espécies, responsável pela gigantesca biodiversidade que já existiu e continua existindo no mundo, através da geração de novas espécies.



HTML image 0
Esquema simples do processo de especiação

Uma espécie é um grupo de populações cujos membros têm o potencial de acasalar na natureza, produzindo descendentes férteis e viáveis, mas quando são membros de grupos diferentes, ele não conseguem gerar descendentes férteis e viáveis. O que mantém esse mecanismo de diferenciação, assegurando toda essa biodiversidade é ausência de fluxo gênico, não promovendo a transferência de alelos entre populações.

Além da ausência do fluxo gênico, a formação de novas espécies também depende do isolamento reprodutivo, que nada mais é, a presença de barreiras biológicas que impeçam que membros de espécies diferentes produzam descendentes férteis e viáveis. A combinação dessas barreiras impedem o fluxo gênico entre as espécie e com isso a produção de híbridos.

Essas barreiras biológicas podem ser:


  • barreiras pré-zigóticas : elas impedem o acasalamento, ou a fertilização, caso o acasalamento aconteça e dentro dela existem alguns tipos de isolamentos.
  • isolamento de habitat
  • isolamento temporal
  • isolamento comportamental
  • isolamento mecânico
  • isolamento genético
  • barreiras pós-zigóticas: elas impedem que o zigoto híbrido se torne um adulto fértil e viável e dentre os recursos adotados estão:
  • viabilidade do híbrido reduzida
  • fertilidade do híbrido reduzida
  • colapso do híbrido


TIPOS DE ESPECIAÇÃO

A especiação pode ocorrer tanto por um isolamento geográfico, separando os indivíduos de uma população e possibilitando que eles não se cruzem mais e que o meio proporcione modificações fenotípicas, ou o isso

Com isso, a classificação dos tipos de especiação foi dividida e 2grupos:

Especiação alopátrica: os indivíduos de uma certa população são separados (isolados) geograficamente e com isso o fluxo gênico entre essa população é interrompido, ou seja, eles estão em hábitats diferentes e param de mistura seus genes por conta da barreira geográfica imposta. A partir disso, os *pools gênicos dos dois grupos podem se diferenciar, provocando mutações genéticas, onde a seleção natural poderá atuar e fazer com que haja alterações dos alelos frequências diferentes e junto com o isolamento reprodutivo possa surgir espécies diferentes das que foram separadas.



HTML image 1
Isolamento geográfico


  • Especiação simpátrica: nessa especiação não há isolamento geográfico de uma população, pois ela ocorre em indivíduos que vivem na mesma área. Aqui ocorre uma diminuição do fluxo gênico através de 3 fatores:
  • Poliploidia: uma nova espécie pode surgir a partir de um acidente durante a divisão celular, ocasionando um conjunto extra de cromossomos. Esse tipo de especiação é muito mais comum em plantas.
  • Seleção sexual: espécies novas podem surgir ou desaparecer simplesmente pelo fato de haver uma preferência de escolha dos macho na hora do acasalamento. Essa escolha normalmente é visual, pode a preferência por um certo tamanho, coloração, rituais de acasalamento, entre outros.
  • Diferenciação de hábitat: o aparecimento de uma nova espécie pode ocorre a partir da mudança de uma subpopulação para outro hábitat, onde possa haver mais comida, menos competição, fazendo com que o indivíduos cresçam mais rápido e possam de alguma maneira se diferenciar dos outros organismos que permaneceram no outro hábitat.



HTML image 2
Especiação simpátrica


ESPECIAÇÃO ARTIFICIAL

A especiação não tem que acontecer somente na natureza, como descrito no texto acima. Ela pode ser e tem sido feita artificialmente, em laboratórios, desde os primórdios da agropecuária, animais domésticos, entre outros. O ser humano vem praticando esse método há muito tempo, tanto que alguns alimentos que chegam a nossa mesa, para as nossas refeições, são resultados de melhoramento genético praticados, que depois passaram a ser espécies distintas. Algumas dessas modificações podem ou velaram anos para acontecer, outras são mais rápidas e isso dependerá do organismo em questão, do ambiente físico, químico e biológico.