Bem Móvel
1 pág.

Bem Móvel


DisciplinaDireito Administrativo I57.494 materiais1.041.651 seguidores
Pré-visualização1 página


Bem móvel


Introdução



Pré-visualização de imagem de arquivo
Ilustração do que seriam bens móveis

Inicialmente, iremos estudar sobre o que seria o bem móvel, quais as suas atribuições jurídicas, suas respectivas atribuições, além de estabelecer qual a sua definição.

Dessa forma, podemos perceber que os bens são considerados valores econômicos que são suscetíveis de poder figurar dentro de uma relação jurídica, os quais são considerados bens corpóreos e incorpóreos, porém, quando analisamos dentro de um sentido jurídico, a coisa seria um bem corpóreo.


De qual forma o bem móvel é configurado?

Temos que os bens móveis são aqueles considerados suscetíveis de movimento próprio, ou que haja alguma forma de remoção realizada por uma força alheia, não havendo alteração da substância ou de sua destinação econômica e social.


Como os bens móveis podem ser classificados?

Os bens móveis podem ser classificados da seguinte forma: “móveis por sua própria natureza”, que seriam aqueles que, sem que haja a deterioração de sua substância, esses possam ser transportados de um ambiente para outro distinto, mediante o emprego de força alheia, como seria o caso de objetos pessoais em geral.

Outra forma de classificar está relacionada aos “móveis por antecipação”, em que. nesses, embora estejam incorporados ao solo, são destinados a serem destacados e convertidos em móveis, que seria o caso, por exemplo, de árvores que serão destinadas ao corte. Além desses, temos o “móveis por determinação legal”, justificados pela natureza mobiliária que é expressa através de dicção legal, a qual é regulamentado dentro do artigo 83 do Código Civil; por fim, resta o “semoventes”, que são aqueles em que se movem de um determinado lugar para outro, que ocorre por movimento próprio, sendo os casos que envolvem os animais.


Relação de bens fungíveis e infungíveis com os bens móveis

Iremos ter como caracterização dos bens fungíveis, o fato deles serem substituídos por outros que possuam o mesmo gênero ou espécie, além da quantidade e da qualidade, como está disposto no artigo 85 presente no Código Civil, em que se é certo que tal classificação é decorrente de bens móveis, em que podemos citar, como exemplo, alimentos como a soja, o café, dentre outros.

Já quando tratamos de bens infungíveis, estamos nos referindo àqueles que possuem uma natureza insubstituível, como é o caso das obras de arte, edições raras de um livro, dentre outros, fazendo com que a fungibilidade dos bens seja derivada da própria natureza dos bens.


Bens consumíveis e inconsumíveis

Nesse tópico, analisaremos o que seriam esses bens e quais as suas respectivas aplicações.

Diante disso, teremos que os bens que são considerados consumíveis, são aqueles em que seu uso importa destruição imediata dentro sua substância, assim como são considerados aqueles em que são destinados à alienação, podendo serem observados dentro artigo 86 do Código Civil, em que se divide em consumíveis de fato, que seriam o caso dos alimentos, além dos consumíveis de direito, que seria o dinheiro.

Quando os bens analisados forem os inconsumíveis, teremos que serão aqueles em que suportam um uso continuado, sem que haja nenhum tipo de prejuízo do seu perecimento ou destruição progressiva e natural como, por exemplo, um veículo, o qual sua principal característica seria a durabilidade, a qual é imprescindível nesta diferenciação.

Existem alguns juristas que defendem que um bem para ser considerado naturalmente consumível, é necessário que a partir de seu uso ocorra algum tipo de destruição imediata, em que o bem que é suscetível de se consumir ou deteriorar, como seria o caso de existir um lapso de tempo longo, não é considerado como sendo consumível, fazendo com que o fato de não ser consumível implica na coisa que suporta o uso continuado e repetitivo.

Por fim, podemos considerar que uma roupa não é considerada consumível, visto que se degrada de forma mais lenta com o seu uso, assim como o aparelho eletrônico, uma cama, dentre muitos outros.



Pré-visualização de imagem de arquivo
As roupas não são consideradas consumíveis


Considerações finais

Percebemos que os bens móveis, assim como suas divisões e aplicações, são aqueles bens em que são suscetíveis a um determinado movimento proveniente de uma força alheia ou, simplesmente, pelo fato de possuir um movimento próprio, possuindo como principais espécies o fato de serem propriamente ditos, semoventes, móveis por determinação legal, além de serem móveis por antecipação.