A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Momentos de Controle

Pré-visualização|Página 1 de 1


Momentos de controle


Introdução



HTML image 0
Formas de como ocorre os momentos de controle

Iremos estudar o que seria considerado como momentos de controle, observando suas características e suas respectivas fundamentações jurídicas.


Considerações iniciais

Primeiramente, temos que a verificação do controle de constitucionalidade se inicia a partir do momento em que é elaborado um projeto de lei, antes do mesmo virar lei, o que teremos o controle prévio ou preventivo a ser visto pelo Legislativo, Executivo e Judiciário, impedindo a inserção no sistema normativo de normas que padeçam de vícios, ou já sobre a lei já editada, geradora de feitos potenciais ou efetivos, o que teremos o controle posterior ou repressivo.


O que seria considerado como Controle Preventivo de Constitucionalidade?

Podemos analisar que o controle preventivo é o controle realizado durante o processo legislativo de formação do ato normativo. Com isso, no momento de um projeto de lei a ser apresentado, a quem der o início do processo legislativo, esse deve verificar a regularidade material do aludido projeto de lei. Logo, o controle preventivo também é exercido pelos poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário.


Como se caracteriza o Controle Preventivo pelo Poder Legislativo?

Esse controle ocorre através das Comissões de Constituição e Justiça (CCJ), em que o Poder Legislativo irá verificar se o projeto de lei apresentado, que pode vir a ser uma lei, se o mesmo contém algum vício a ensejar a inconstitucionalidade.

Dessa forma, na Câmara dos Deputados o controle será exercido por sua respectiva Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, de acordo com o estabelecido na Resolução da Câmara dos Deputados n.º 20 de 2004, enquanto que dentro do Senado Federal, o controle existente também será exercido através de sua respectiva Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, como está disposto no artigo 101 de seu Regimento Interno.

Contudo, o projeto de lei poder ser rejeitado pelas Casas Legislativas, o que através de parecer será declarada a inconstitucionalidade por algum vício ocorrido, o que se não houver durante o trâmite do processo legislativo algum recurso em razão do parecer ser negativo ou ocorrer a possibilidade da correção do vício, o projeto será arquivado definitivamente.


De que modo o Poder Executivo exerce o Controle Preventivo?



HTML image 1
Caracterização do controle preventivo

Podemos inferir que o controle preventivo que é exercido pelo Poder Executivo se configura através da realização que o Chefe do Poder Executivo exerce, ou seja, pelo Presidente da República, o que aprovado o projeto de lei pelas Casas Legislativas, poderá sancioná-lo caso concorde ou vetá-lo, sendo que o veto ocorrerá quando o Chefe do Executivo considerar que o projeto de lei é inconstitucional ou contrário ao interesse público. Dessa maneira, o Chefe do Executivo ao declarar que o projeto de lei é inconstitucional poderá vetá-lo, o que estará exercendo o controle de constitucionalidade preventivo, antes do projeto de lei virar lei.


De que modo ocorre o Controle Preventivo Pelo Poder Judiciário?

Temos que o Controle Preventivo, o qual é exercido pelo Poder Judiciário, segue o entendimento majoritário do Supremo Tribunal Federal, ou seja, o controle preventivo a ser realizado pelo judiciário sobre projeto de lei em trâmite na Casa Legislativa é para garantir ao parlamentar o devido processo legislativo, vedando a sua participação em procedimento desconforme com as regras da Constituição.


Como podemos observar o Controle de Constitucionalidade Repressivo?

Primeiramente, é possível inferir que o Controle de Constitucionalidade Repressivo ou Posterior será realizado sobre a lei, e não sobre o projeto de lei. Desse modo, os órgãos de controle irão verificar se a lei, ou ato normativo, possuem um vício formal produzido durante o processo de sua formação, ou se possuem um vício em seu conteúdo, qual seja um vício material.

Por conseguinte, verificamos que esses órgãos de controle poderão exercer os seguintes sistemas de controles, conforme adotado pelo Estado: a) político; b) jurisdicional; c) híbrido.

Logo, podemos analisar que o Sistema de Controle Político é exercido por um órgão distinto dos três poderes, órgão garantidor da supremacia da Constituição. De outro modo, o Sistema de Controle Jurisdicional é realizado pelo Poder Judiciário, tanto através de um órgão único, como qualquer juiz ou tribunal, o que em nosso ordenamento jurídico pode ser exercido por esses dois sistemas.

Por fim, o Sistema de Controle Híbrido, diz respeito às normas que podem ser levadas a um único órgão distinto dos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário), enquanto outras são apreciadas pelo Poder Judiciário.