Aula 11 - VULCÕES pt2
33 pág.

Aula 11 - VULCÕES pt2


DisciplinaGeologia8.302 materiais62.231 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Consequências da dinâmica 
interna da Terra 
Atividade Vulcânica 
Prof. Catarina Soares 1 
Vulcanologia 
 
 
 
 
 
\u2022 Ramo das ciências que se ocupa do estudo da 
formação, distribuição e classificação dos 
fenómenos vulcânicos. 
Prof. Catarina Soares 2 
De onde provêm os materiais 
expelidos pelos vulcões? 
\u2022 Os materiais provêm geralmente de magmas 
que se encontram em profundidade, em 
reservatórios denominados câmaras 
magmáticas. 
Prof. Catarina Soares 3 
Vulcão 
\u2022 Os vulcões são 
aberturas naturais na 
crusta terrestre que 
põem em comunicação 
com a superfície uma 
grande diversidade de 
materiais. 
Prof. Catarina Soares 4 
Vulcanismo 
\u2022 Caracteriza-se pela ocorrência de erupções 
vulcânicas. 
Prof. Catarina Soares 5 
Vulcanismo 
\u2022 Tipos principais de manifestações de 
vulcanismo: 
\u2013 Vulcanismo central 
\u2013 Vulcanismo fissural 
Prof. Catarina Soares 6 
Estrutura do aparelho vulcânico 
 
\u2022 Câmara Magmática 
 
\u2013 Local onde estão 
armazenados os 
materiais em fusão. 
Prof. Catarina Soares 7 
Estrutura do aparelho vulcânico 
 
\u2022 Chaminé Vulcânica 
 
\u2013 Conduta 
aproximadamente 
vertical, através da 
qual se dá a ascensão 
do magma. 
Prof. Catarina Soares 8 
Estrutura do aparelho vulcânico 
 
\u2022 Cratera 
 
\u2013 Concavidade, mais 
ou menos circular, 
que corresponde ao 
alargamento da 
chaminé vulcânica. 
Prof. Catarina Soares 9 
Estrutura do aparelho vulcânico 
\u2022 Cone Vulcânico 
\u2013 Estrutura resultante 
da acumulação de 
materiais emitidos 
pelo vulcão. 
\u2013 Esta estrutura é por 
vezes atravessada 
por condutas de 
menor dimensão que 
correspondem a 
chaminés vulcânicas 
laterais. 
Prof. Catarina Soares 10 
Materiais expelidos pelos vulcões 
Prof. Catarina Soares 11 
Materiais expelidos pelos vulcões 
Prof. Catarina Soares 12 
Agulhas Vulcânicas 
\u2022 Estruturas 
vulcânicas que 
resultam da 
solidificação de 
uma lava muito 
viscosa no 
interior da 
chaminé 
vulcânica. 
Prof. Catarina Soares 13 
Domos Vulcânicos 
\u2022 Estruturas vulcânicas 
que se formam em 
vulcões cuja lava 
muito viscosa não 
escoa a grande 
distância da cratera, 
formando um relevo 
que esconde a 
chaminé. 
Prof. Catarina Soares 14 
Nuvens Ardentes 
\u2022 Piroclastos de diversas 
dimensões, envolvidos 
em gases a altíssimas 
temperaturas. 
\u2022 As nuvens ardentes 
deslocam-se a grandes 
velocidades 
Prof. Catarina Soares 15 
Tipos de Atividade Vulcânica 
Prof. Catarina Soares 16 
Atividade Vulcânica Efusiva 
\u2022 Emissões calmas de lava de baixa viscosidade, baixo 
teor de gases e elevado teor de água; 
\u2022 Podem constituir-se pequenos repuxos de lava; 
\u2022 Na cratera, forma-se lagos de lava que podem 
transbordar, formando rios ou torrentes de lava; 
\u2022 As emissões de piroclastos são raras; 
\u2022 Os cones resultantes são baixos e de vertentes 
suaves. 
Prof. Catarina Soares 17 
Atividade Vulcânica Explosiva 
\u2022 Emissões violentas de piroclastos; 
\u2022 Formação de nuvens ardentes que se deslocam a alta 
velocidade e temperatura o que torna a sua passagem 
altamente destruidora; 
\u2022 A lava por ser muito viscosa pode consolidar na chaminé 
formando domos ou agulhas vulcânicas que impedem a 
libertação de gases, o que pode provocar explosões de grande 
violência; 
\u2022 Os cones resultantes são altos e de vertentes muito 
inclinadas. 
Prof. Catarina Soares 18 
Atividade Vulcânica Mista 
\u2022 Ocorrência de pequenas explosões com 
libertação de piroclastos que alternam com 
emissões de lava de viscosidade moderada. 
Prof. Catarina Soares 19 
Principais características dos diferentes 
tipos de erupções vulcânicas 
Prof. Catarina Soares 20 
Formação de uma caldeira 
\u2022 Com o decorrer da atividade vulcânica pode 
ocorrer um esvaziamento da câmara magmática; 
\u2022 Esse esvaziamento da câmara magmática 
ocasiona perda de apoio do aparelho vulcânico, 
com a consequente incapacidade de suportar o 
próprio peso; 
\u2022 Pode suceder-se o abatimento da parte central 
do vulcão, originando-se, assim, uma caldeira; 
\u2022 Após a formação das caldeiras, e com o passar 
dos anos, estas vão-se enchendo com água 
proveniente das chuvas ou de ribeiros que nela 
confluem, dando origem a lagoas. 
Prof. Catarina Soares 21 
Vulcanismo Secundário ou Residual 
\u2022 Vulcanismo que se manifesta em zonas 
vulcânicas, após ter terminado a última 
erupção vulcânica. 
Prof. Catarina Soares 22 
Formas de Vulcanismo Residual 
\u2022 Nascentes termais 
\u2013 Água que após terem circulado pelo 
subsolo ainda quente, brotam à 
superfície a elevadas temperaturas 
e geralmente enriquecidas em 
minerais. 
 
\u2022 Fumarolas 
\u2013 Emissão de gases de origem 
vulcânica que se escapam através 
de fissuras no terreno. 
Prof. Catarina Soares 23 
Formas de Vulcanismo Residual 
\u2022 Géiseres 
\u2013 Jatos intermitentes de água muito 
quente e vapor, provenientes do 
aquecimento de águas subterrâneas. 
 
Prof. Catarina Soares 24 
Riscos da Atividade Vulcânica 
\u2022 Perda de vidas humanas; 
\u2022 Destruição de bens materiais; 
\u2022 Tsunamis; 
\u2022 Alterações climáticas. 
Prof. Catarina Soares 25 
Benefícios da Atividade Vulcânica 
\u2022 Aumento da fertilidade do solo; 
\u2022 Geotermia \u2013 produção elétrica; 
\u2022 Extração de enxofre; 
\u2022 Saúde; 
\u2022 Turismo. 
Prof. Catarina Soares 26 
Minimizar as consequências da 
atividade vulcânica 
\u2022 Monitorização dos vulcões através da 
instalação de sismógrafos; 
\u2022 Medição da inclinação do cone; 
\u2022 Análise dos gases emitidos; 
\u2022 Medição da variação de temperatura das 
águas mais próximas e do solo; 
\u2022 Monitorização dos solos, para detetar 
possíveis subidas de magma. 
Prof. Catarina Soares 27 
Localização dos vulcões 
\u2022 Ao analisarmos a distribuição dos vulcões ativos e inativos podemos 
constatar que existem três zonas onde os vulcões estão mais 
concentrados: 
\u2013 Dorsais médio-oceânicas \u2013 ao longo dos riftes oceânicos regista-se muita 
atividade vulcânica, que é essencialmente submarina. 
\u2013 Cintura mediterrânica \u2013 no mar Mediterrâneo encontram-se vulcões e 
numerosas ilhas de origem vulcânica; 
\u2013 Anel de fogo do Pacífico \u2013 em torno do oceano Pacífico localiza-se a maioria 
dos vulcões ativos do planeta. 
 
Prof. Catarina Soares 28 
Como se pode conhecer o interior da 
Terra? 
\u2022 Métodos diretos 
\u2013 Observação de afloramentos; 
\u2013 Sondagens; 
\u2013 Exploração de minas. 
Prof. Catarina Soares 29 
Como se pode conhecer o interior da 
Terra? 
\u2022 Métodos indiretos 
\u2013 Estudo dos meteoritos; 
\u2013 Vulcanologia; 
\u2013 Sismologia; 
\u2013 Geotermia. 
 
Prof. Catarina Soares 30 
Atividade Prática 1 
Erupção Efusiva 
\u2013 Material: 
\u2022 Tabuleiro 
\u2022 Areia 
\u2022 Cadinho de porcelana 
\u2022 Bicarbonato de sódio 
\u2022 Corante alimentar 
\u2022 Vinagre 
\u2022 Espátula 
\u2022 Detergente 
 
 
\u2013 Procedimento: 
\u2022 Coloca a areia no tabuleiro até 
cerca de metade da sua 
capacidade; 
\u2022 Enterra o cadinho de porcelana, 
de modo a ficar com a abertura 
ao nível da areia; 
\u2022 Colocar o bicarbonato de sódio, 
o detergente e os corantes no 
interior do cadinho de 
porcelana; 
\u2022 Em seguinda, adiciona o vinagre; 
\u2022 Regista os resultados. 
Prof. Catarina Soares 31 
Atividade Prática 2 
Erupção Explosiva 
\u2013 Material: 
\u2022 Tabuleiro 
\u2022 Areia 
\u2022 Cadinho de porcelana 
\u2022 Cabeças de fósforo com 
cerca de 1 cm de pé 
\u2022 6 fósforos intactos 
\u2022 Açúcar 
\u2022 Espátula 
\u2022 Enxofre 
\u2022 Dicromato de Amónio 
 
\u2013 Procedimento: 
\u2022 Coloca a areia no tabuleiro até 
cerca de metade da sua 
capacidade; 
\u2022 Enterra o cadinho de porcelana, 
de modo a ficar com a abertura 
ao nível da areia; 
\u2022