04 Criatividade e Inovação [AVA]
43 pág.

04 Criatividade e Inovação [AVA]

Pré-visualização43 páginas
03
Tema
TÉCNICAS PARA
O EXERCÍCIO DA
CRIATIVIDADE
Tema
04
Caro estudante, no tema 04, vamos co-
nhecer algumas técnicas para a ampliação do po-
tencial criativo. Os exercícios demonstrados têm
como objetivo desenvolver o raciocínio criativo
através do estímulo de conexões de pensamen-
tos. A grande parte das informações contidas
nos próximos conteúdos resultou de pesquisas
bibliográficas sobre o tema. Algumas delas fo-
ram adaptadas para atender melhor a necessida-
de do nosso curso.
A prática da criatividade tem como base
a pesquisa na área da neurociência que estuda
as conexões e como se dá a comunicação entre
os conectores no cérebro. Esses estudos tam-
bém comprovam que o funcionamento do cére-
bro, para a prática da criatividade, se comporta
como um músculo: se for bastante usado ele se
desenvolve, mas, do contrário, terá a tendência
de atrofiar. A criatividade aplicada à inovação
está relacionada aos processos de pensamento,
imaginação, intuição e originalidade.
As técnicas apresentadas nos ajudarão a
potencializar o nosso aprendizado e a nossa capa-
cidade criativa. Faremos isso aproveitando abor-
dagens que estimulam a usar melhor os dois lados
do cérebro, dando a oportunidade do pensamento
divergente e convergente se desenvolver.
144 Criatividade e Inovação
4.1 Processo criativo: identificação, preparação, in-
cubação, iluminação, elaboração e verificação.
Durante nossos estudos foi possível perceber que o termo criatividade
não comporta toda a riqueza do seu significado. No cotidiano, quando ouvimos
a palavra criatividade, ela sugere o aparecimento de uma inspiração, algo feito
de maneira rápida. Talvez por isso os criativos sejam pessoas que tenham que
lutar para valorizar suas ideias já que elas não surgem num passo de mágica.
Uma boa ideia é fruto de muito investimento precedente e experiências acumu-
ladas para se chegar a um instante de iluminação. Pelo menos a criatividade que
nos referimos aqui é aquela que é sinônimo de resolução de problemas e o seu
valor está atrelado a uma prática que busca resultados na inovação. Portanto, só
existe e só se exprime, face a um dado problema.
Dessa forma, nosso impulso criativo parte de um problema referen-
te. Embora seja uma visão pragmática, é dessa perspectiva que se compreende
como solução de problemas.
Mas ocorre que as soluções não aparecem do nada, ao contrário, elas
são o resultado da integração de vários elementos, como a imaginação, intuição
que se relaciona com a flexibilidade de pensamento, a autonomia, os processos
colaborativos de criação, capacidade de assumir riscos, entre outros que já des-
crevemos anteriormente. Essas características são importantes para o desen-
volvimento da postura criativa, aliadas, é claro, aos conhecimentos técnicos e
demais habilidades necessárias para lidar com o problema em questão.
Não estamos querendo dizer que as pessoas passarão a ser criativas
e, portanto perfeitamente preparadas para enfrentar novas realidades após ler
este texto, ou qualquer outro livro que explora a criatividade. Sem querer desa-
nimar, as técnicas e os exercícios para o desenvolvimento da criatividade não
são um remédio que cura todos os males, antes fosse, mas não existe milagre. O
que deve existir é uma mente aberta para receber conhecimentos e informações
que se forem praticadas com dedicação poderão surtir efeito a seu tempo.
Para entender a criatividade, vamos pegar o exemplo de Isaac Newton,
“[...] que formulou a lei da gravidade a partir da relação feita com a maçã que
caiu na sua cabeça, demonstra que só aquele que já estava atento ao problema
da gravidade poderia fazer tal ligação” (WECHSLER, 1998, p. 52).