Módulo_14_LOGISTICA_SUPRIMENTOS_LEI_8666
18 pág.

Módulo_14_LOGISTICA_SUPRIMENTOS_LEI_8666

Pré-visualização5 páginas
Módulo
O Sistema de Registro de Preços14
Logística de Suprimentos
Lei nº 8.666/93, 
pregão e registro de preços
Brasília 2015
© Enap, 2014
Enap Escola Nacional de Administração Pública
Diretoria de Comunicação e Pesquisa
SAIS \u2013 Área 2-A \u2013 70610-900 \u2014 Brasília, DF
Telefone: (61) 2020 3096 \u2013 Fax: (61) 2020 3178
Fundação Escola Nacional de Administração Pública
Presidente
Paulo Sergio de Carvalho
Diretor de Desenvolvimento Gerencial
Paulo Marques
Coordenadora-Geral de Educação a Distância 
Natália Teles da Mota
Conteudista: Edson Seixas Rodrigues(2005); Revisores: Henrique Savonitti (2008), Walter Salomão (2011), 
Hanna Ferreira (2013).
Diagramação realizada no âmbito do acordo de Cooperação Técnica FUB/CDT/Laboratório Latitude e Enap.
SUMÁRIO
1. Objetivos do Módulo ...................................................................................................... 5
2. Introdução ...................................................................................................................... 5
3. Conceito ......................................................................................................................... 5
4. O SRP .............................................................................................................................. 6
5. Da Intenção de Registro de Preços .................................................................................. 8
6. Fase do Planejamento no Sistema de Registro de Preços 
\u2013 Atribuições do Órgão Gerenciador e do(s) Órgão(s) Participante(s) .................................. 9
7. O Edital para SRP .......................................................................................................... 11
8. A Ata de Registro de Preços .......................................................................................... 13
9. Formação de Cadastro de Reserva ................................................................................ 15
10. Cancelamento do Registro do Fornecedor ................................................................... 16
11. Quadro-Resumo.......................................................................................................... 17
12. Ponto Polêmico ........................................................................................................... 17
13. Finalizando o Módulo ................................................................................................. 18
5
1. Objetivos do Módulo
Ao final desse módulo, espera-se que você seja capaz de:
\u2022 Definir o sistema de registro de preços, apontando seu conceito e características.
\u2022 Apontar a sistemática e peculiaridades do sistema de registro de preços.
2. Introdução
O Sistema de Registro de Preços \u2013 SRP foi instituído pela Lei n° 8.666/93, art. 15, inciso II, 
que permitia o seu uso apenas por meio da modalidade Concorrência. Após o advento da 
modalidade Pregão, foi expedido o Decreto n° 3.931, de 19 de setembro de 2001 (alterado 
pelo Decreto n° 4.342, de 23 de agosto de 2002) que possibilitou em seu art. 3° o uso 
desta ferramenta por meio da nova modalidade Pregão representando um avanço para as 
contratações públicas.
Em 23 de janeiro de 2013, foi editado o Decreto nº 7.892/13 que trouxe diversas mudanças 
ao Sistema de Registro de Preços e revogou o anterior normativo, tema sobre o qual também 
trabalharemos ao longo deste Módulo.
3. Conceito
O que é o srp?
O Sistema de Registro de Preços é uma ferramenta ao processo de licitação pública na qual 
a administração mantém registrado, em ata própria (Ata de Registro de Preços), os produtos 
ou serviços com suas especificações, os valores e fornecedores devidamente habilitados, para 
contratações futuras. 
Segundo o Decreto nº 7.682/13, é o conjunto de procedimentos para registro formal de preços 
relativos à prestação de serviços e aquisição de bens, para contratações futuras (art. 2º, inc. I).
Funciona como um almoxarifado virtual, no qual ficam registrados produtos, preços e 
fornecedores; sendo que, na medida em que a administração necessitar, providenciará a 
autorização de fornecimento/nota de empenho ou contrato, sob uma demanda específica, 
direcionada ao atendimento exclusivo daquela necessidade pontual. 
Outros conceitos?
\u2022 Ata de Registro de Preços: documento vinculativo, obrigacional, com característica de 
compromisso para futura contratação, em que se registram os preços, fornecedores, 
órgãos participantes e condições a serem praticadas, conforme as disposições contidas 
no instrumento convocatório e propostas apresentadas.
Módulo
O Sistema de Registro de Preços14
6
\u2022 Órgão Gerenciador: órgão ou entidade da Administração Pública Federal responsável 
pela condução do conjunto de procedimentos do certame para registro de preços e 
gerenciamento da Ata de Registro de Preços dele concorrente. 
\u2022 Órgão Participante: órgão ou entidade da Administração Pública Federal que participa 
dos procedimentos iniciais do Sistema de Registro de Preços e integra a ata de registro 
de preços.
\u2022 Órgão Não Participante (conhecido como \u201cCarona\u201d): órgão ou entidade que não é 
órgão gerenciador ou participante, mas que, durante a vigência da Ata de Registro de 
Preços, manifesta o interesse de aproveitar o processo realizado por outro órgão ou 
entidade e atendidos os requisitos do Decreto, faz adesão à ata de registro de preços.
Artigo 22, parágrafo 8º do Decreto nº 7.892/2013.
É vedada aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal a adesão à ata de 
registro de preços gerenciada por órgão ou entidade municipal, distrital ou estadual. 
ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 1º DE ABRIL DE 2009 
É VEDADA AOS ÓRGÃOS PÚBLICOS FEDERAIS A ADESÃO À ATA DE REGISTRO DE PREÇOS, 
QUANDO A LICITAÇÃO TIVER SIDO REALIZADA PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL, 
MUNICIPAL OU DO DISTRITO FEDERAL. 
INDEXAÇÃO: Ata de registro de preços. Adesão. Vedação. Administração Pública Federal. 
Estado. Município. Distrito federal. 
REFERÊNCIA: arts. 1°, 15, inc. II e § 3º, Lei nº 8.666, de 1993; art. 1º, Decreto nº 3.931, de 
2001. Acórdão TCU 1.487/2007-Plenário.
 
 Somente será possível o ato do \u201ccarona\u201d se estiver devidamente comprovada a vantagem de 
deixar de fazer um processo licitatório próprio mediante às condições estabelecidas na Ata de 
Registro de Preços, pois esta não poderá ser alterada em valores ou ordem de classificação de 
fornecedores.
4. O SRP
Quando adotar?
O Sistema de Registro de Preços por ser uma ferramenta que facilita o processo de contratação 
pública poderá ser utilizado de forma preferencial, nas seguintes hipóteses:
a) Quando houver necessidade de contratações frequentes, pelas características do 
bem ou serviço. 
Ex: material de expediente (papel, caneta, tonner, cartucho, lápis, borracha, etc).
b) Quando for mais conveniente a aquisição de bens com previsão de entregas 
parceladas ou contratação de serviços remunerados por unidade de medida ou 
em regime de tarefa. 
7
Ex: aquisição de medicamentos, gêneros alimentícios (merenda escolar), ou no caso 
de serviços, o exemplo típico seria o de \u201climpeza e conservação\u201d.
c) Quando for conveniente a aquisição de bens ou a contratação de serviços para 
atendimento a mais de um órgão ou entidade, ou a programas de governo.
Ex: o Ministério da Educação que procede a um SRP de aquisição de equipamentos 
de laboratório a ser utilizado por todos os Institutos Federais que fazem parte da 
rede.
d) Quando pela natureza do objeto não for possível definir previamente o quantitativo 
a ser demandado pela administração.
Ex: vacinas (H1N1) para uma campanha de vacinação, na qual não se sabe, por certo e 
determinado, a quantidade total de pessoas a serem vacinadas. Esta vacina poderia ser 
adquirida por registro de preço e ser solicitada a sua quantidade, de acordo