A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
56 pág.
Boa-fé objetiva no Processo Civil

Pré-visualização | Página 1 de 15

Luiz Felipe Germani Ferreira 
 
 
 
 
 
BOA-FÉ OBJETIVA NO PROCESSO CIVIL 
 
 
 
 
 
 
 
 
Santa Maria 
2012 
 
 
 
 
 
 
 Luiz Felipe Germani Ferreira 
 
 
 
 
BOA-FÉ OBJETIVA NO PROCESSO CIVIL 
 
 
 
Trabalho de Conclusão de Curso 
apresentado ao Curso de Graduação em 
Direito da Faculdade de Direito de Santa 
Maria - FADISMA como requisito parcial 
para a obtenção do Grau de Bacharel em 
Direito. 
 
 
 
Orientador: Prof. Jair Pereira Coitinho 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Santa Maria 
2012
 
 
 
 
 
 
FACULDADE DE DIREITO DE SANTA MARIA – FADISMA 
CURSO DE DIREITO 
 
 
A COMISSÃO EXAMINADORA, ABAIXO ASSINADA, APROVA O TRABALHO DE 
CONCLUSÃO DE CURSO 
 
BOA-FÉ OBJETIVA NO PROCESSO CIVIL 
 
Elaborado por, 
Luiz Felipe Germani Ferreira 
 
COMO REQUISITO PARCIAL PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE 
BACHAREL EM DIREITO 
 
COMISSÃO EXAMINADORA: 
 
_________________________________________ 
Prof. Jair Pereira Coitinho - Orientador 
 
__________________________________________ 
Prof. Igor Andrei Cezne 
__________________________________________ 
Prof. Pietro Toaldo Dal Forno 
 
Santa Maria, Novembro de 2012 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“Nosso caráter é o resultado da nossa conduta.” 
Aristóteles 
 
 
 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
Agradeço aos meus familiares que sempre me auxiliaram em minhas 
conquistas e me ajudaram a superar os desafios da vida acadêmica. 
Também agradeço aos meus chefes, mestres, amigos e colegas que sempre 
me deram força e motivação para que eu busque meus objetivos. 
Ademais agradeço aos professores da instituição que foram fundamentais 
no meu desenvolvimento profissional e pessoal e especialmente ao professor Jair 
Coitinho, que me orientou e inspirou em escrever sobre o tema. 
Finalmente, agradeço a todos que compreenderam meu trabalho e 
auxiliaram na conclusão deste objetivo, seja ajudando de fato ou me trazendo sorte. 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
Este trabalho tem como objetivo elaborar um estudo teórico sobre o Princípio 
da Boa-fé Objetiva, examinando o instituto e buscando sua aplicação no campo do 
direito processual. Estuda-se a possibilidade de utilizar de forma ampliada a boa-fé 
objetiva no processo, com o intuito de vedar as atitudes abusivas e lesivas e valorar 
as condutas éticas. No primeiro capítulo são abordados os aspectos da boa-fé em si, 
analisando seus prismas, subjetivo e objetivo, e sua evolução histórica até a 
inserção no Direito brasileiro com a Constituição Federal de 1988. Ainda é 
caracterizada a boa-fé objetiva como princípio constitucional, derivando de outros 
princípios como a dignidade da pessoa humana. Por decorrer da Constituição, a 
boa-fé deve ser inserida no processo civil, que é instrumento de consecução dos 
objetivos políticos, sociais e jurídicos do Estado. Então, abordam-se formas de 
efetivar os escopos da jurisdição, como a ampliação dos poderes do juiz, a teoria da 
colaboração processual e, por conseguinte, a criação de deveres anexos para todas 
as partes processuais. Frisa-se que hoje em dia, este tema é muito importante para 
o direito, pois a sociedade através da Constituição consagrou a dignidade da pessoa 
humana como valor supremo, de modo que a coletividade não aceita mais um 
processo que não seja pautado na ética e na boa-fé. 
 
PALAVRAS-CHAVE: Boa-fé Objetiva. Constituição Federal. Processo 
Civil. Colaboração. 
 
 
 
 
 
 
RESUMEN 
 
Este trabajo tiene como objetivo elaborar un estudio teórico sobre el principio 
de buena fe objetiva, examinando el instituto y la búsqueda de su aplicación en el 
ámbito del derecho procesal. Se estudia la posibilidad de utilizar el formato ampliado 
de la buena fe objetiva en el proceso, con el fin de sellar las actitudes abusivas y 
perjudiciales y evaluar la conducta ética. El primer capítulo examina los aspectos de 
la buena fe en sí mismos, el análisis de sus prismas, subjetivos y objetivos, así como 
su evolución histórica de la inserción en la ley con la Constitución Federal de Brasil 
de 1988. También se ofrece la fe objetiva bueno como un principio constitucional, 
deriva de otros principios como la dignidad humana. En el transcurso de la 
Constitución, la buena fe debe ser insertada en el proceso civil, que es un 
instrumento para alcanzar objetivos políticos, estado social y legal. A continuación, 
discutir maneras de lograr los ámbitos de competencia, tales como la ampliación de 
los poderes del juez, la teoría de la colaboración de procedimiento y por lo tanto la 
creación de funciones inherentes a todas las partes procesales. Subraya que en la 
actualidad, este tema es muy importante para el Derecho, por la sociedad a través 
de la Constitución consagra la dignidad de la persona humana como valor supremo, 
por lo que la comunidad ya no acepta más un proceso que no está guiado por la 
ética y de buena fe. 
 
PALABRAS CLAVE: Buena fe objetiva. Constitución Federal. 
Procedimiento Civil. Colaboración. 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
INTRODUÇÃO .............................................................................................................. 8 
CAPÍTULO 1 - BOA-FÉ OBJETIVA .............................................................................. 9 
1.1 - Conceito dúplice da boa-fé .............................................................................. 10 
1.1.1 - Boa-fé Subjetiva ............................................................................................. 11 
1.1.2 - Boa-fé objetiva ............................................................................................... 13 
1.2 - Evolução Histórica ........................................................................................... 16 
1.3 - Boa-fé objetiva como Princípio Constitucional .............................................. 21 
1.4 - Funções da Boa-fé Objetiva ............................................................................. 24 
1.4.1 - Função Interpretativa (Hermenêutico-integrativa) ....................................... 25 
1.4.2 - Função Integrativa (criadora dos deveres anexos) ..................................... 27 
1.4.3 - Função Limitadora dos direitos subjetivos ................................................. 30 
CAPÍTULO 2 – BOA-FÉ OBJETIVA NO PROCESSO CIVIL ....................................... 37 
2.1 - Escopos da Jurisdição ..................................................................................... 38 
2.3 - Atuação do Juiz ................................................................................................ 41 
2.3.1 - Ampliação dos Poderes do Juiz ................................................................... 42 
2.3.2 - Vedação de condutas abusivas .................................................................... 43 
2.3 - Colaboração Processual .................................................................................. 44 
2.4 - Criação de Deveres Anexos no Processo ....................................................... 46 
2.4.1 - Deveres das Partes ........................................................................................ 47 
2.4.2 - Deveres do Juiz ............................................................................................. 48 
CONCLUSÃO ............................................................................................................. 51 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: ......................................................................... 54 
 
8 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
 O presente trabalho refere-se à utilização do princípio da boa-fé objetiva no 
processo civil, através de uma pesquisa de doutrina com o método dedutivo. 
Com este estudo busca-se uma “solução” para os atos abusivos e 
procrastinatórios que hoje em dia ainda estão presentes no processo civil. 
Sendo assim, examinar-se-á o princípio da boa-fé objetiva, pois este é um 
indicador