A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
artigo claretiano

Pré-visualização | Página 1 de 3

CLARICE FREIRE ZUFFO (8083934) 
LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS
 
 
 
 
 
 
 
O ENSINO DA ARTE VISUAIS NA ESCOLA
Tutor: Prof. Ma. Eliana Do Pilar Rocha
Claretiano - Centro Universitário
 
 
 
 
 
 
 
 
 	
VILHENA
2019
Introdução
 
A arte sempre esteve presente na história da humanidade desde as mais antigas civilizações. Os homens das cavernas, por exemplo utilizavam os desenhos como forma de expressão e comunicação.
As artes visuais, além das formas tradicionais — pintura, escultura, desenho, gravura , arquitetura , objetos, cerâmica, cestaria, entalhe —, incluem outras modalidades que resultam dos avanços tecnológicos e transformações estéticas do século XX: fotografia, moda, artes gráficas, cinema, televisão, vídeo, computação, performance, holografia, desenho industrial, arte em computador. Cada uma dessas modalidades artísticas tem a sua particularidade e é utilizada em várias possibilidades de combinações entre elas, por intermédio das quais os alunos podem expressar-se e comunicar-se entre si e com outras pessoas de diferentes maneiras.
A aprendizagem escolar continua sendo um desafio para os profissionais do en-sino, pois crianças entram no sistema educacional com suas diversidades culturais para aprender e internalizar os meios cognitivos de compreender e transformar o mundo. Para isso, é necessário pensar e estimular à habilidade de raciocínio e julgamento, aper-feiçoando sua capacidade reflexiva. A forma de abordar didaticamente dispõe ao educa-dor um compromisso com a busca da qualidade cognitiva das aprendizagens, associada às reflexões do pensar (SILVA apud FABIANI, 2009, p.4)
Assim cabe ao educador, a disposição de técnicas e ferramentas para abordar o ensino, ajudando os alunos a se constituírem como sujeitos pensantes e críticos, capazes de pensar e lidar com conceitos, argumentos e resolver problemas, diante de dilemas e obstáculos da vida prática.
O presente trabalho tem como objetivo conhecer o papel dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte, considerando que este documento tem servido de referencial para orientação e reformulação curricular nas escolas brasileiras. Apresentar a Proposta dos PCN’s para o ensino das Artes Visuais bem como propor medidas que ajudem aos professores a tomar decisões ao escolher os materiais didáticos, para o ensino da arte.
Neste contexto, esta pesquisa surgiu na tentativa de responder algumas indagações. Na realidade qual o real efeito das políticas públicas para a qualidade do ensino e da aprendizagem da artes visuais no ambiente escolar? Será que os objetivos estabelecidos pelos Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino estão de fato sendo alcançados?
Reconhecer que a arte é um meio expressivo de representar ideias através de linguagens particulares, como, a dança o teatro, o desenho, a pintura ,entre formas expressivas é uma medida que avança o processo educacional.
Para os procedimentos de coleta dos dados utilizou-se a pesquisa bibliográfica, a qual de acordo com Marconi (2001) tem por objetivo pôr o pesquisador diretamente em contato com tudo o que foi escrito sobre um assunto determinado, permitindo desse modo que o pesquisador tenha uma ajuda paralela no exame de suas observações.
De acordo com Marconi (2001), não existe ciência sem a utilização de métodos científicos. Portanto, foi de fundamental importância que o presente estudo tenha embasado em métodos científicos.
Gil (1999) por sua vez discorre que a pesquisa bibliográfica serve-se de material secundário, ou seja, é realizada através de levantamento de bibliografia já publicada, em forma de livros, publicações avulsas, revistas, imprensa escrita, cujo objetivo é fazer com que o pesquisador entre em contato direto com aquilo que foi escrito acerca de determinado assunto.
Desta forma, segundo este método foi abordado conteúdos e informações através da leitura e livros, artigos, Internet, revistas, bem como da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, PCN’S do Ensino Fundamental .Segundo Santos (2006), no Brasil começamos a pensar no ensino das artes a partir do séc. XIX, o estudo da arte nesse período ainda era muito classificatório, isto é, apenas filhos da elite dos nobres tinham o privilégio de estudar artes. 
Desenvolvimento
De acordo com LIS (2008) em 1971, com a Lei nº 5.692/71, ficou determinado que a disciplina de Educação Artística abordasse conteúdos de música, teatro, dança e artes plásticas, nos cursos de 1° e 2° graus, onde a figura do professor único deveria dominar todas essas linguagens de forma competente. No entanto, muitas vezes, eram formados em cursos de curta duração (2 anos). Na escola, eles trabalhavam na concepção tecnicista, onde a arte era centrada nas técnicas e habilidades, de modo que o aluno deveria ter domínio de vários materiais, os quais seriam utilizados na sua expressão artística, que era de forma espontânea, sem compromisso com o conhecimento de linguagens artísticas. 
A partir da LDB 5652/71 houve um mudança nesse senário o estudo da artes passa a constar no currículo escolar como atividade educativa, tendo o foco em técnicas e habilidades para todos , independente de classe social. 
Em 1996 a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96), prevê que as artes tornem-se obrigatórias na educação básica (educação infantil, ensino fundamental e médio). 
A arte é parte importante na construção da cidadania bem como no crescimento do indivíduo. Além disso, deve estar ao alcance de todos. Por sua vez a escola enquanto instituição, orientadora e mediadora do conhecimento tem papel fundamental no processo de formação integral do aluno. 
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n° 9394, promulgada em 20 de dezembro de 1996, estabelece a obrigatoriedade da arte na educação básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio):Cap. II Art. 26, § 2° - “O ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos.(FERRAZ e FUSARI, 1999, p.15).
Desse modo a pesquisa busca apresentar a proposto dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Artes para o ensino da arte Visuais no ensino fundamental na escola . 
Os Parâmetros Curriculares Nacionais enfatizam o ensino e a aprendizagem de conteúdos que colaboram para a formação do cidadão, buscando que o aluno adquira um conhecimento com o qual saiba situar a produção de arte. Para a seleção e a organização de conteúdos gerais de arte foram estabelecidos critérios, que serão retomados na elaboração dos conteúdos de Artes Visuais, Música, Teatro e Dança e, no conjunto, procuram promovera formação artística e estética do aluno e a sua participação na sociedade.
De acordo com os PCN’s (1998) no transcorrer do ensino fundamental, espera-se que os alunos, progressivamente, adquiram competências de sensibilidade e de cognição em Artes Visuais, Dança, Música e Teatro, diante da sua produção de arte e no contato com o patrimônio artístico, exercitando sua cidadania cultural com qualidade.
Ainda conforme Parâmetros Curriculares o ensino de Arte deverá organizar-se de modo que, ao longo do ensino fundamental, os alunos sejam capazes de:
Experimentar e explorar as possibilidades de cada linguagem artística;
compreender e utilizar a arte como linguagem, mantendo uma atitude de busca pessoal e/ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, a investigação, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e fruir produções artísticas;
 experimentar e conhecer materiais, instrumentos e procedimentos artísticos diversos em arte (Artes Visuais, Dança, Música, Teatro), de modo que os utilize nos trabalhos pessoais, identifique-os e interprete-os na apreciação e contextualize-os culturalmente;
construir uma relação de autoconfiança com a produção artística pessoal e conhecimento estético, respeitando a própria produção e a dos colegas, sabendo receber e elaborar críticas;
identificar, relacionar e compreender a arte