História da Psicologia Moderna_9 Edição-Shultz (1)
483 pág.

História da Psicologia Moderna_9 Edição-Shultz (1)


Disciplina<strong>diretito</strong>5 materiais9 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Prefácio 
O tema deste livro é a história da psicologia moderna, aquele período que se inicia no fmal 
do século XIX, no qual a psicologia se tomou uma disciplina distinta e basicamente 
experimental. Embora não ignoremos o pensamento filosófico anterior, concentramo-nos 
nos 
05, fatores que têm relação direta com o estabelecimento da psicologia como campo de 
estudo novo e independente. Apresentamos uma história da psicologia moderna, não da 
psicologia e 
de toda a obra filosófica que a precedeu. 
da Preferimos narrar a história da psicologia em termos de suas grandes idéias ou escolas 
de pensamento. Desde o começo formal do campo, em 1879, a psicologia tem sido definida 
de várias maneiras, à medida que novas idéias conseguem o apoio de grande número de 
na! seguidores e passam, por algum tempo, a dominar a área. Portanto, o nosso interesse 
está na seqüência progressiva das idéias formuladas para definir o objeto, os métodos e os 
objetivos 
da psicologia. 
ud Cada uma das escolas de pensamento psicológico é discutida como um movimento que 
tem origem em seu contexto histórico, e não como uma entidade independente ou isolada. 
As 
a forças contextuais, consideradas pelos historiadores contemporâneos a \u201cnova\u201d história, in 
cluem não apenas o espírito intelectual da época (o Zeitgeist) como também fatores 
econômi cos, políticos e sociais. 
Embora o livro esteja organizado em termos das escolas de pensamento \u2014 as diferentes 
definições que marcam a evolução da psicologia \u2014, reconhecemos que essas idéias e 
aborda gens são obra de estudiosos, pesquisadores e sistematizadores. Afinal, são seres 
humanos, e não forças abstratas, que escrevem os artigos, fazem as pesquisas, apresentam 
comunicações de pesquisa e ensinam a próxima geração de psicólogos. Fazendo isso, esses 
homens e mulheres desenvolveram e promoveram as escolas de pensamento da psicologia. 
Desse modo, discutimos a vida das eminentes personalidades que moldaram o campo, 
chamando a atenção para o fato de o seu trabalho ter sido influenciado não só pela época 
em que floresceu como também pelo contexto de suas próprias experiências pessoais. 
Por fim, discutimos cada escola de pensamento em termos dos seus vínculos com as 
grandes idéias e teorias que a precederam e seguiram. Descrevemos a maneira pela qual 
cada escola veio a existir a partir da ordem existente, ou numa revolta contra ela, e como 
cada uma delas inspirou, por sua vez, pontos de vista que a desafiaram, se opuseram a ela e, 
eventual mente, a substitufram. Assim sendo, a perspectiva histórica nos permite 
acompanhar um padrão e perceber uma continuidade de desenvolvimento no campo da 
psicologia. 
5 
O preparo da quinta edição deste manual, quase um quarto de século depois da red da 
primeira, e a percepção de quantas coisas devem ser incluídas, retiradas, revistas e reel 
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
Pc
Realce
radas, são um vivido testemunho da natureza dinâniica da história da psicologia. Essa hisi 
não é fixa nem está acabada, encontrando-se, em vez disso, num estado de mudan4 
desenvolvimento. Há uma imensa quantidade de trabalhos acadêmicos em fase de produ de 
tradução e de publicação, a respeito de pessoas, tópicos, métodos e teorias da históri 
psicologia. Por essa razão, acrescentamos mais de 200 novas referências ao trabalho ante: 
Uma importante inclusão acolhida nesta quinta edição é o reconhecimento explícit nova 
história, ou seja, da influência de forças contextuais de natureza social, econômi política 
sobre a psicologia. Há uma discussão desses fatores no Capítulo 1, ao lado de o exemplos 
em vários pontos do livro. Além disso, fornecemos, em praticamente todo capítulos, 
exemplos de dados históricos novos, aperfeiçoados ou revistos, que continua influir na 
compreensão deste campo. 
Outra modificação é uma êiifse maior no papel e na importância da psicologia apli no 
âmbito da história da psicologia nos Estados Unidos. A partir da reação entusiasmada o 
material sobre psicologia aplicada incluido na edição anterior causou, e refletindo a resr do 
impacto das forças contextuais do \u2018inal do século XIX e início do século XX, amplia os 
dados relativos a esse tópico e procuramos situá-lo no contexto em que o movimento\u2019 
início: como um legado da escola funcionalista. Além das contribuições de Hall e Cattell a 
psicologia aplicada, adicionamos o trabalho de Witmer, Scott e Münsterberg. 
Os fatores contextuais do preconceito e da discriminação nos círculos acadêmicc 
profissionais vêm recebendo uma atenção cada vez maior pois interferem nas oportunid 
das mulheres e dos afro-americanos dentro da psicologia. 
Entre as outras alterações desta edição, há um novo material acerca da vida de psicólc 
destacados que procuram demonstrar até que ponto experiências pessoais podem ter infh 
ciado sua obra; a reinclusão de John Stuart Miii, ao lado de sua noção de química mental 
sua conclamação para o estabelecimento de uma ciência psicológica; o papel do inconsci no 
estruturalismo, no funcionalismo e no comportamentalismo; o desafio cognitivo no c 
portamentalismo e nas idéias de Bandura e Rotter. Também foram incluidos a supre 
freudiana da teoria da sedução, os testes experimentais de conceitos freudianos, a psicol do 
ego, a teoria das relações objetais e a obra de Anna Freud; uma reavaliação da influê da 
psicologia humanista; e o trabalho de Miller e Neisser e o desenvolvimento do movim da 
psicologia cognitiva. 
Ampliamos a introdução às cinco reproduções de textos originais explicando o propósito de 
pôr os estudantes em contato com essas fontes e assinalando os principais tóp tratados pelos 
teóricos citados. Os artigos transcritos descrevem, nas palavras dos próp teóricos, sua 
abordagem particular da psicologia, e mostram aos leitores de hoje o tipc material estudado 
por gerações anteriores de universitários. 
Sumário 
Prefácio 5 
CAPITULO 1 
O Estudo da História da Psicologia 17 
O Desenvolvimento da Psicologia Moderna 17 
Pc
Realce
A Relevância do Passado para o Presente 19 
Os Dados da História 21 
Forças Contextuais na Psicologia 25 
Concepções da História Científica: Personalista e Naturalista 27 
As Escolas de Pensamento: Marcos do Desenvolvimento da Psicologia Moderna 29 
Sugestões de Leitura 32 
CAPÍTULO 2 
Influências Filosóficas sobre a Psicologia 33 
O Espírito do Mecanismo 33 
O Universo Mecânico 34 
Os Primórdios da Ciência Moderna 38 
René Descartes (1596-1650) 38 
O Mecanismo e o Problema Mente-Corpo 40 
Empiristas e Associacionistas Britânicos: Como Adquirir Conhecimento por Intermédio da 
Experiência 43 
9 
John Locke (1632-1704) 44 
George Berkeley (1685-1753) 47 
David Hume (1711-1776) 49 
David Hartley (1705-1757) 50 
James Miii (1773-1836) 51 
John Stuart Miii (1806-1873) 52 
Contribuições do Empirismo à Psicologia 54 
Sugestões de Leitura 55 
CAPITULO 3 
Influências Fisiológicas sobre a Psicologia 56 
O Papel do Observador Humano 56 
Primeiros Avanços da Fisiologia 57 
Os Primórdios da Psicologia Experimental 59 
Por que a Alemanha? 59 
Hermann von Helmholtz (1821-1894) 61 
A Vida de Helmhoitz 61 
Problemas da Psicologia Sensorial 63 
Ernst Weber (1795-1878) 64 
O Limiar de Dois Pontos 64 
A Diferença Apenas Perceptível 66 
Gustav Theodor Fechner (1801-1887) 66 
A Vida de Feclmer 67 
O Relacionamento Quantitativo Entre Mente e Corpo 69 
Os Métodos da Psicofísica 70 
A Fundação Formal da Nova Ciência da Psicologia 72 
Sugestões de Leitura 73 
CAPITULO 4 
A Nova Psicologia 75 
Um Caso de Dados Distorcidos 75 
Wilhelm Wundt (1832-1920) 76 
A Vida de Wundt 76 
O Sistema de Psicologia de Wundt 81 
A Natureza da Experiência Consciente 81 
O Método de Estudo: Introspecção 82 
Os Elementos da Experiência Consciente 83 
Apercepção: A Organização dos Elementos da Experiência Consciente 84 
Os Tópicos de Pesquisa do Laboratório de Leipzig 84 
Comentário