A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Anatomia Animal - Apostila

Pré-visualização | Página 1 de 5

ANATOMIA ANIMAL
A – CONSIDERAÇÕES GERAIS
DEFINIÇÃO E DIVISÕES DA ANATOMIA
A Anatomia dos Animais Domésticos é uma disciplina básica do Curso 
de Medicina Veterinária, sendo um dos ramos da Biologia.
Anatomia é o estudo da arquitetura e da estrutura dos seres vivos.
A Anatomia pode ser especial e comparada.
A Anatomia especial é a que se ocupa com uma única espécie. Ex.: 
antropotomia ou anatomia do homem; hipotomia ou anatomia do cavalo; 
cinotomia ou anatomia do cão; ornitotomia ou anatomia das aves.
A Anatomia comparada é a que estuda mais de uma espécie, 
comparativamente. Ex.: anatomia dos animais domésticos ou veterinária.
A Anatomia apresenta as seguintes divisões:
SISTEMA NOME DO ESTUDO ESTRTURAS PRINCIPAIS
Sistema esquelético Osteologia Ossos
Sistema articular Artrologia Articulações
Sistema muscular Miologia Músculos
Sistema digestivo Esplancnologia Estômago e intestino
Sistema respiratório Esplancnologia Pulmões e vias aéreas
Sistema urinário Esplancnologia Rins e bexiga
Sistema reprodutor Esplancnologia Ovários e testículos
Sistema endócrino Endrocnologia Glândulas endócrinas
Sistema nervoso Neurologia Cérebro, medula espinhal e 
nervos
Sistema cisculatório Angiologia Coração e vasos sanguíneos
Sistema tegumentar Dermatologia Pele
Sistema sensorial Estesiologia Olhos e orelhas
B – INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA
1 – POSIÇÃO ANATÔMICA
O animal está com as quatros patas no chão, e com a cabeça voltada para 
o horizonte.
Fig. 1- Posição Anatômica
2 – PLANOS DE DELIMITAÇÃO DO CORPO
a) Plano Ventral – significa distante da coluna vertebral, é a parte mais 
distante da coluna vertebral. Ex.: o úbere é a parte mais ventral do corpo de 
uma vaca. 
b) Plano Dorsal – é um termo direcional que significa em diração além do 
dorso ou da coluna vertebral. Ex.: os rins são dorsal aos intestinos. Dorso é o 
nome que se refere à porção dorsal ou às costas. A sela é colocada no dorso 
de um cavalo.
c) Plano Cranial ou Anterior – são termos direcionais em relação à cabeça. O 
ombro é cranial ao quadril, isto é, ele está mais próximo da cabeça que o 
quadril.
d) Plano Caudal ou Posterior – significam no sentido da cauda. A anca é 
caudal ao lombo.
e) Plano Lateral Direito ou Esquerdo
3 – PLANOS DE SECÇÃO DO CORPO
Fig. 2 – Planos de Secção do corpo
a) Mediano – plano que divide o corpo em duas metades, direita e esuqerda.
b) Sagital – paralelos ao plano mediano.
c) Frontal – plano que divide o corpo em ventral e dorsal.
d) Transversal – plano que divide o corpo em metade cranial e caudal.
4 – EIXOS DO CORPO
a) Eixo longitudinal – une planos cranial e caudal.
b) Eixo transversal – une planos laterais direito e esquerdo.
c) Eixo sagital – une os centros dos planos ventral e dorsal.
5 – TERMOS DE POSIÇÃO E DIREÇÃO
a) Proximal – próximo à coluna vertebral ou raiz do membro.
b) Distal – distante da coluna vertebral ou raiz do membro.
c) Interno e Externo – relacionados com as cavidades.
d) Palmar – relacionados com a palma da mão.
e) Plantar – relacionados com a planta do pé.
f) Superficial – proximidade da superfície corporal.
g) Profundo – distante da superfície corporal.
6 – PRINCÍPIOS GERAIS DE CONSTRUÇÃO CORPÓREA
A organização do corpo obedece as seguintes características 
fundamentais de construção.
a) Antimetria – o plano sagital mediano divide o corpo em duas metades 
similares chamadas de antímeros, antímero direito e antímero esquerdo.
b) Metameria – o plano transversal divide o corpo em duas partes Cranial e 
Caudal.
c) Paquemeria – o plano frontal separa em duas porções o tronco, Ventral e 
outra Dorsal, denominadas de paquímeros, contendo no seu interior um 
tubo.
Paquímero dorsal ou neural, aloja o SNC (sistema nervoso central).
Paquímero ventral ou visceral, aloja a massa visceral
Fig. 3 – Termos de posição e direção
7 – CONSTITUIÇÃO DO CORPO
Elementos celulares: tecido, órgãos, sistemas e aparelhos.
8 – ESTRATIFICAÇÃO 
O corpo humano é constituído por camadas ou estratos que superpõem. É 
uma sobreposição de camadas do mesmo tecido ou de diferentes tecidos. Esta 
constituição é observada não somente nos segmentos corpóreos, como também 
nas vísceras, ossos e vasos.
9 – ABREVIATURAS
o. o.o. Osso(s)
m. m.m. Músculo(s)
lig. ligg. Ligamento(s)
a. a.a. Artéria(s)
v. v.v. Veia(s)
n. n.n. Nervo(s)
r. r.r. Ramo(s)
SISTEMA ESQUELÉTICO – OSTEOLOGIA
1 – GENERALIDADES
TIPO DE SUBSTÂNCIA ÓSSEA – compacta e esponjosa.
NÚMERO DE OSSOS – variável, depende da idade do animal. 
Fig. 4 – Secção longitudinal do úmero de um cão jovem
2 – CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS: quanto à forma.
a) Longo – são queles nos quais o comprimento excede a largura e a espessura. 
Tendo em corpo diáfise e duas extremidades ou espífise, internamentepossui 
o canal medular. 
Ex.: úmero, rádio e fêmur.
b) Laminar ou plano – possui duas camadas compactas, com uma intermediária 
esponjosa que recebe o nome de diploe.
Ex.: ossos da cabeça.
c) Curto – as dimensões são aproximadamente iguais.
Ex.: carpo e tarso.
d) Irregular – são aqueles que não podem ser adequadamente incluídos em 
outras classificações.
Ex.: vértebras.
e) Pneumático – são aqueles que contém cavidades ou seios cheios de ar.
Ex.: maxila e frontal.
f) Sesamóide – são aqueles alojados na intimidade dos tendões ou de cápsulas 
articulares.
Ex.: patela.
g) Acessório ou extra numerário.
3 – ELEMENTOS DESCRITIVOS DOS OSSOS: acidentes.
a) Proeminências:
• Cabeça – é uma projeção óssea articular esférica.
Ex.: cabeça do Fêmur.
• Côndilo – é uma massa óssea articular cilíndrica.
Ex.: côndilo da mandíbula.
• Cristas – é o termo usado para uma borda pronunciada.
Ex.: crista ilíaca.
• Tuberosidade – é uma projeção óssea relativamente grande.
Ex.: tuberosidade isquiática.
• Tubérculo – é uma projeção menor.
Ex.: tubérculo ventral do atlas.
• Processos – é uma projeção óssea.
Ex.: processo alveolar do maxilar.
• Linhas – é uma pequena crista ou marca de um osso, causada pela força 
de tração de um músculo.
Ex.: linhas musculares da escápula.
• Espinha – é uma saliência em forma de espinho.
Ex.: espinha da tíbia.
• Trocânter – está localizada na epífise proximal do fêmur.
b) Cavidade, depressões e reentrâncias:
• Sulcos – é uma depressão linear.
• Fossas – é uma depressão côncava.
Ex.: fossa sinovial do úmero.
• Fóveas – fosso, buraco, escavação, pequena depressão.
c) Buraco, forames e canais:
• Forame – é um orifício circunscrito em um osso.
Ex.: forame magno do occipital.
• Meato – abertura, orifício de um conduto.
Ex.: meato acústico externo.
• Óstio – orifício.
• Canais – passagem tubular e relativamente estreita.
Sinônimo: conduto, ducto.
• Seio – depressão, cavidade ou espaço oco.
Hiato – fenda abertura.
d) Faces, bordas, angulos. 
4 – FUNÇÕES DOS OSSOS: proteção, sustentação, conformação, alavancas, 
produção de células sanguíneas.
5 – DIVISÃO DO ESQUELETO
a) Esqueleto axial – cabeça e tronco.
b) Esqueleto apendicular – membros toráxicos e pélvico.
c) Esqueleto visceral – osso hióide, osso peniano, osso cardíaco.
6 – ESTRATIFICAÇÃO DOS OSSOS
• Periósteo – é o mais externo (nutrição, reparação, crescimento da 
espessura do osso.
• Endósteo – mais interno.
7 – PRINCIPAIS DIFERENÇAS DOS OSSOS ENTRE EQUINO E 
BOVINO
OSSO EQUINO BOVINO
ESFENÓIDE Forame etmoidal
Forame óptico
Forame orbitário
Forame alar
Canal alar
Forame etmoidal
Forame óptico
Forame orbitorredondo
Forame oval
PRÉ-MAXILAR Forame incisivo
Fissura dos incisivos
Fissura dos palatinos
ESCÁPULA - Acrômio
ÚMERO 2 sulcos intertuberal 1 sulco intertuberal
ULNA - Processo estilóide
SESAMÓIDES 
PROXIMAIS
2 4
SESAMÓIDES
DISTAIS
1 (navicular) 2
FÊMUR 3o trocanter -
FÍBULA maior pequena
ROTEIRO PARA ESTUDO PRÁTICO DOS OSSOS
A) ESQUELETO AXIAL
1 – OSSOS DO CRÂNIO – Identificar e localizar.
a) OCCIPITAL – forame magno do occipital, canal do hipoglosso, parte 
basilar, côndilo do occipital, processo jugular.
b) ESFENÓIDE – asa orbitária (asa