A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
PERIGOS E RISCOS EM UMA COZINHA INDUSTRIAL DDS UMA FERRAMENTA EFICAZ

Pré-visualização | Página 2 de 10

cerca de 8 horas. Em termos de ruído, isso é equivalente a um bar 
lotado. Se o ambiente estiver barulhento (por exemplo, o som atingir 115 decibéis), o tempo 
de exposição desprotegido será bastante reduzido na verdade: 7 minutos. 
O Limite de tolerância: refere-se à concentração / intensidade máxima relacionada ao 
tempo de exposição natural e a agentes químicos, físicos ou biológicos, que não causam danos 
à maioria dos trabalhadores expostos durante o trabalho. Atividades ou operações não 
saudáveis são consideradas atividades ou operações que excedem esse limite. De acordo com 
cada atividade especificada no anexo NR-15 ou no caso especificado na mesma NR, 
7 
 
atividades adicionais concedidas com base em inspeções realizadas no local de trabalho 
podem receber seguro de trabalho insalubre de acordo com os limites de tolerância. 
Dentro deste contexto, tem por objetivo o tema do trabalho é identificar os perigos e 
avaliar os principais riscos existentes nas atividades de uma cozinha industrial, tendo como 
objetivo: propor um protocolo de prevenção de riscos ambientais em cozinhas industriais 
usando a ferramenta do Diálogo diário de Segurança entre os trabalhadores do setor. O 
método adotado para a construção do trabalho será de estudo bibliográfico, exploratório, e 
qualitativa da literatura disponível em bibliotecas convencionais e virtuais. O estudo contribui 
para resolução do problema, prevenindo e sistematizando acidentes decorrentes no ambiente 
de trabalho, assim tendo uma empresa com condições de fornecer um ambiente agradável e 
confortável para seus trabalhadores. 
8 
 
1. COZINHA INDUSTRIAL 
As ações preventivas no setor de cozinha industrial devem ser constantes, tendo em 
vista que elas são estruturadas, para atender a produção de alimentos de forma profissional e 
que consistem de diversas atividades de risco, havendo, portanto a necessidade de adotar 
procedimentos de segurança corriqueiros entre os funcionários do setor. 
O objetivo do setor coletivo de alimentos é produzir uma dieta equilibrada, com bons 
padrões de higiene, o que contribui para a saúde e contribui para o desenvolvimento de 
hábitos alimentares, de modo a prestar serviços a um grupo específico de clientes e, assim, 
fornecer alimentos. Cozinha, seja indústria ou empresa, é classificada como cozinha indústria. 
Os serviços de alimentação (como cozinhas industriais) são locais onde são 
processados, preparados, classificados, armazenados, distribuídos, transportados e expostos a 
alimentos. Venda e entregue alimentos prontos para consumo. Alimentos pré-preparados se 
referem a alimentos processados que podem ser vendidos, embalados, cozidos, mantidos 
aquecidos e expostos a alimentos comestíveis ou cozidos, podem ser refrigerados, congelados 
ou consumidos à temperatura ambiente, independentemente de ser necessário aquecer cru 
antes de comer ou refrigerar Ou exposto à temperatura ambiente. 
Boas práticas de serviço devem ser usadas nos serviços de alimentação para garantir a 
qualidade sanitária e a conformidade com os regulamentos, instalações, equipamentos, 
móveis, utensílios, controle de pragas, manutenção e saneamento do abastecimento de água, 
gerenciamento de resíduos, treinamento profissional, saneamento e controle de saúde dos 
operadores, matérias-primas, embalagens, incluindo recepção, armazenamento e transporte de 
alimentos preparados e exposição a alimentos, com documentação, registro e pessoal 
responsável pelas atividades de manuseio de alimentos. 
Durante atividade realizada em cozinha industrial exige muito dos funcionários deste 
setor, pois a alta produtividade em curto período de tempo e as condições de trabalho, tanto 
físicas como organizacionais são determinantes, por isso que a falta de planejamento na 
condução no setor junto da falta de treinamentos para os funcionários, o excesso de 
atividades, problemas de manutenção e a falta de orientações, ocasiona, ou agravam 
problemas de saúde podendo até causar acidentes de trabalho. 
9 
 
Para Paula (2011) aponta que, apesar dos avanços da indústria em termos de matérias-
primas, processos e equipamentos de trabalho, as condições físicas dos locais onde as 
refeições são preparadas ainda são inadequadas, como instalações e arranjos instáveis, luz 
insuficiente, alta temperatura e ruído excessivo. Não afetam apenas a vida e a saúde dos 
trabalhadores, mas também a qualidade dos alimentos preparados. 
Os riscos que existem no trabalho diário das cozinhas industriais. Há de se atentar para 
os funcionários que enfrentam muitos perigos causados por fatores toxicológicos, biológicos, 
químicos, mecânicos e ambientais. Estes fatores de risco e medidas de proteção insuficientes 
podem causar doenças e acidentes ocupacionais. Para evitar a saúde dos trabalhadores, os 
fatores de risco no ambiente de trabalho devem ser identificados, avaliados e controlados de 
acordo com as disposições da norma regulamentadora NR-9. Se o risco não puder ser 
eliminado, a primeira forma de prevenção que deve ser considerado primeiro o uso de 
equipamento de proteção individual-EPI, seguido pelo uso de proteção coletiva-EPC. (Brasil, 
1994). 
Considerando os riscos, as medidas prioritárias são a proteção coletiva aplicada 
diretamente na fonte ou via para proteger a vida de equipes e terceiros durante a execução de 
tarefas específicas, seguidas de medidas administrativas, que incluem prazos de exposição, 
educação e treinamento. O EPI é um complemento à segurança e prevenção e visa reduzir o 
risco de ferimentos e ferimentos pessoais para todos os trabalhadores. Quanto aos exames 
médicos, eles também podem ser considerados como uma medida de controle, porque podem 
avaliar a eficácia das medidas adotadas por meio de admissões, inspeções regulares e de 
dispensa. 
O Plano de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) consiste em A NR 9 que 
estabelece o desenho e a implementação obrigatórios de procedimentos, projetado para 
manter a saúde e a integridade dos trabalhadores, identificar riscos e Suporte a outros 
programas, como o PCMSO. Qualquer empregador ou Instituições que reconhecem 
trabalhadores como empregados devem ter PPRA em suas instituições ou companhia. O 
PPRA é um dos principais documentos necessários para a inspeção e inspeção Auditoria e 
manter o controle sobre a saúde dos trabalhadores. 
 
10 
 
De acordo com a NR-9 que trata do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – 
PPRA consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes 
nos ambientes de trabalhos que em função de sua natureza, concentração ou intensidade e 
tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador. 
Através do estudo de riscos ocupacionais e condições de trabalho em cozinhas 
industriais, os riscos ergonômicos referem-se ao risco de que a relação entre trabalho e pessoa 
a deixe desconfortável, resultando em danos à saúde, como repetibilidade, monotonia, ritmo 
excessivo, postura Atividades físicas insuficientes e extenuantes, incluindo atividades que 
podem causar estresse físico ou mental. Em acidentes ou riscos mecânicos, a proteção de 
equipamentos, equipamentos, ferramentas, produtos e dispositivos e outras situações 
perigosas podem causar acidentes no decorrer do trabalho devido ao uso, descarte ou 
manuseio inadequado. 
1.1 Análise Preliminar De Riscos 
A análise preliminar de riscos - APR corresponde à técnica de pré-avaliar os riscos 
existentes na execução de determinadas atividades. É um estudo realizado no início ou no 
início de um novo sistema e / ou processo / atividade com o objetivo de identificar possíveis 
riscos na fase operacional do processo / atividade. 
No raciocínio de Barata (2013), a análise de risco foi desenvolvida por meio da 
identificação, avaliação e controle de riscos, e não apenas da conformidade legal. O objetivo 
da avaliação de riscos é controlar riscos, prevenindo e prevenindo