A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
População em situação de rua em questão no Brasil

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tema: População em situação de rua em questão no Brasil
	Promulgada pelo ONU em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos garante a todos os indivíduos o direito à moradia e ao bem-estar social. No entanto, quando se observa a população em situação de rua no Brasil, verifica-se que esse ideal legislativo é constatado na teoria e não desejavelmente na prática, e a problemática persiste intrinsecamente ligada à realidade do país. Nessa perspectiva, cabe avaliar os fatores que favorecem esse quadro.
	De fato, a questão Constitucional e sua aplicação estão entre as causas do problema. De acordo com o Artigo 5º da Carta, todos os indivíduos são iguais perante a lei, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de assegurar a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade e à segurança. Nesse sentido, é perceptível que no Brasil o Estado não consegue ou não demonstra interesse em oferecer condições dignas de vivência à população de rua, que subsiste à margem da sociedade em circunstâncias, certamente, inviáveis à sobrevivência e manutenção da dignidade humana. Portanto, é inconcebível a aceitação da ineficácia do Poder Público pela sociedade e pelos órgãos cabíveis.
	Outrossim, a inércia da sociedade frente aos indivíduos em situação de rua é um fator recrudescente da problemática. Para Zygmunt Bauman, sociólogo polonês, a sociedade pós-moderna é caracterizada pela individualidade, abdicando a concepção de bem-estar social coletivo. Nessa perspectiva sociológica, é possível observar que os moradores de rua se converteram em indivíduos invisíveis aos olhos da sociedade, tornando-se um fato social ignorá-los e normatizar sua permanência nas ruas, o que, naturalmente, contrapõem-se as noções de cidadania e solidariedade humanas, dificultando, desse modo, a ressocialização dos sujeitos e seu egresso da via pública. Logo, é imprescindível a busca por estratégias que mobilizem e sensibilizem a população na prestação de auxílio aos sem-teto.
	A população em situação de rua representa um desafio hodiernamente no Brasil, por conseguinte, medidas devem ser adotadas. Convém ao Governo Federal, por meio de políticas públicas, a construção e ampliação de albergues para moradores de rua. Nesses locais devem ser oferecidos alimentação e moradia provisória, além de auxílio psicológico e assistência social, a fim de que esses indivíduos tenham oportunidade de superar a situação de falta de habitação. Ademais, cabe as ONGs de apoio aos desabrigados, pela mídia, a criação de campanhas de mobilização para oferta de refeições aos moradores de rua, com ajuda de voluntários, para, assim, impulsionar a ressocialização desses cidadãos e mitigar seu sofrimento. Dessa maneira, oferecendo oportunidades e apoio, será possível, gradativamente, garantir na prática as diretrizes da Declaração Universal dos Direitos Humanos proposta pela ONU.