A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Como_instalar_o_VirtualBox

Pré-visualização | Página 3 de 4

a localização da 
pasta padrão para os discos e máquinas virtuais, a frequência de 
verificação de atualizações para o VirtualBox, a seleção do idioma e 
gerenciar a interface de rede. É possível ter mais de uma interface 
de rede virtual. Inicialmente deixe tudo do jeito que está. 
• Importar Appliance/Exportar Appliance - Appliance são 
máquinas virtuais prontas que podem ser importadas e exportadas. 
Não usaremos este recurso. 
• Gerenciador de Mídias Virtuais - serve para você criar discos 
virtuais, trabalhar com imagens de disco do tipo ISO e também para 
criar drives de disquete virtuais. Sua máquina virtual pode ter mais 
de um disco virtual e isto será útil para a prática do uso de discos 
em RAID. O disco virtual já é criado no processo de criação da 
máquina virtual, então esta opção só é útil quando queremos 
manusear discos virtuais adicionais ou para gerenciá-los. 
• Gerenciador de Operações de Rede – caso existam operações 
de rede ativas poderão ser gerenciadas aqui. 
• Verificar por atualizações – verifica se a versão instalada do 
VirtualBox é a mais recente. O programa já faz isto por padrão. 
• Redefinir todos os avisos. 
• Sair. 
Em Máquina temos as seguintes opções: 
• Novo – abre o assistente de criação de máquinas virtuais. Deve ser 
executado uma vez para cada máquina virtual a ser criada. Em 
nosso laboratório vamos executá-lo no mínimo duas vezes, uma 
para o Invasor e outro para a Cobaia. 
• Acrescentar - permite acrescentar máquinas virtuais 
anteriormente criadas ou clonadas. 
Grupo de Estudo virtualização Marco Aurélio Thompson 
 
www.marcoaurelio.net 15 www.fb.com/marcoaureliothompson 
 
• Configurações - esta opção aparece após ser criada pelo menos 
uma máquina virtual. Permite fazer o ajuste fino da configuração 
padrão obtida com o assistente. Isto inclui: 
� Ajustar a interação entre a máquina virtual (hóspede) e a real 
(hospedeira) 
� Definir o número de processadores. Para o Windows Server 
2016 recomendamos dois processadores virtuais. 
� Alterar a sequência de boot. Para instalar o Windows Server 
2016 a partir de um leitor de DVD a sequência de boot precisa 
incluir o leito de DVD no início. 
� Definir quanta memória vai ser disponibilizada para a placa 
de vídeo virtual e se haverá aceleração 2D e 3D. 
� Configuração da administração remota. 
� Configuração das opções de armazenamento e do áudio. 
� A configuração da rede é um ponto importante, pois permite 
trabalhar em diferentes modos: não conectado, NAT, modo 
bridge, etc. Também permite configurar mais de uma placa 
de rede, recurso muito útil em nosso laboratório. 
� Habilitar e desabilitar portas seriais e USB 
• Clonar – permite criar uma cópia exata de qualquer máquina 
virtual disponível. É uma função útil para você praticar com o 
Windows Server 2016 porque você pode criar uma instalação 
inicial, fazer a clonagem e recuperar esta instalação limpa sempre 
que quiser usando a opção Acrescentar. 
• Remover – remove a máquina virtual selecionada. Você pode optar 
entre apenas remover da lista de máquinas virtuais ou remover 
também os arquivos da máquina virtual. 
• Grupo – permite criar grupos para suas máquinas virtuais. Você 
pode criar um grupo intitulado Museu Virtual do Windows e criar 
Grupo de Estudo virtualização Marco Aurélio Thompson 
 
www.marcoaurelio.net 16 www.fb.com/marcoaureliothompson 
 
uma máquina virtual para cada versão do Windows. Pode criar um 
grupo com o nome BibliaHacker para as máquinas virtuais que irá 
usar com este livro. Um grupo Linux só para máquinas virtuais 
Linux e assim por diante. É uma forma de organizar melhor o 
ambiente quando temos muitas máquinas virtuais criadas. 
• Iniciar - tem o mesmo efeito de ligar do computador real. Lembre-
se que o fato de termos criado uma máquina virtual para o Windows 
Server 2016 não significa que ele já está instalado. 
• Pausar - a máquina virtual em uso pode ser pausada e retomada a 
qualquer momento. Isto quer dizer que você não precisa encerrar o 
sistema operacional instalado na máquina virtual. Pode pausá-lo e 
voltar ao ponto em que parou, como se fosse uma ação de congelar 
e descongelar. Este procedimento é útil quando você está fazendo 
alguma coisa no sistema virtual, precisa interromper o que está 
fazendo e só vai retornar muito mais tarde ou nos dias seguintes. É 
só congelar a máquina virtual e retomar de onde parou. 
• Reinicializar 
• Fechar – oferece as opções Salvar o estado da máquina (congelar), 
Enviar o sinal de desligamento (caso não tenha encerrado o sistema 
operacional) e Desligar a máquina (tem o mesmo efeito de desconectar 
o computador da tomada). Só use a opção Desligar a máquina em caso 
de travamento ou se já tiver encerrado o sistema operacional 
normalmente. 
Opções do Fechar a Máquina Virtual. 
 
 
 
 
 
Grupo de Estudo virtualização Marco Aurélio Thompson 
 
www.marcoaurelio.net 17 www.fb.com/marcoaureliothompson 
 
• Descartar o Estado Salvo 
• Exibir Log... - exibe informações sobre mudanças, mensagens e 
tudo o mais que interessa saber para acompanhar o funcionamento 
e uso da máquina virtual. 
• Atualizar - atualiza o sistema, incluindo eventuais novas 
configurações. 
• Exibir no Explorer – exibe os arquivos da máquina virtual no 
Windows Explorer. 
• Criar atalho na Área de Trabalho 
• Organizar – útil quando temos muitas máquinas virtuais criadas 
e precisamos ordená-las. Para poucas máquinas virtuais criadas 
esta função praticamente não tem uso. 
A opção Ajuda dispensa comentários, mas é bom você saber que a ajuda é 
dada em inglês, independentemente de a interface do programa estar em 
português ou outro idioma. 
 
Criando a máquina virtual para instalar o Windows 
O primeiro passo é entrar na opção Máquina da barra de menus e clicar em 
Novo. Você também pode clicar direto sobre o botão Novo ou usar a 
combinação de teclas Ctrl + N, opte pelo que for mais prático. Como você já 
deve saber as opções dos programas Windows costumam aceitar diferentes 
formas de acesso e o fato de a interface estar em português vai facilitar 
bastante. 
Na figura abaixo vemos as possibilidades de sistemas que podem ser 
instalados, entre eles o Windows Server 2016 que deve ser a nossa opção. 
Para prosseguir é preciso dar um nome a máquina virtual. Em nosso 
exemplo usamos o nome LabWin2016. 
Grupo de Estudo virtualização Marco Aurélio Thompson 
 
www.marcoaurelio.net 18 www.fb.com/marcoaureliothompson 
 
Escolha o sistema operacional a ser instalado e não esqueça de dar um nome 
para a máquina virtual. Se entre os sistemas operacionais suportados não 
aparecer o Windows 10 e nem o Windows Server 2016, provavelmente a 
versão do VirtualBox instalada é antiga. Basta atualizá-la ou usar a opção 
genérica: Other Windows (64-bit). 
Selecionando um modelo de sistema operacional para ser instalado. 
 
O próximo passo é definir quanto de memória RAM você pretende destinar 
ao uso pela máquina virtual. Esta RAM virtual depende de quanta memória 
RAM existe na máquina real. Recomendamos 2 GB de RAM para a máquina 
virtual que vai receber a instalação do Windows Server 2016. Para dispor de 
2 GB de RAM você precisa ter no mínimo 4 GB de RAM na máquina real. 
 
 
 
Grupo de Estudo virtualização Marco Aurélio Thompson 
 
www.marcoaurelio.net 19 www.fb.com/marcoaureliothompson 
 
Selecionando a memória para o Windows Server 2016: mínimo 2GB. 
 
O próximo passo é criar o disco rígido virtual, que tanto pode ser criado 
antecipadamente usando o gerenciador de discos a partir do menu Arquivo, 
como pode ser criado junto com a criação da máquina virtual, que é a opção 
usada neste exemplo. O espaço para o disco rígido virtual precisa existir na 
forma de espaço livre no disco da máquina real. Para este exemplo estamos 
criando um disco virtual de 40GB, apesar da sugestão ser de 32GB. 
Opções para o disco rígido virtual. 
 
Grupo de Estudo virtualização

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.