Ensinando Inteligencia
21 pág.

Ensinando Inteligencia


DisciplinaHidráulica I11.621 materiais134.518 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Pierluigi Piazzi (Prof. Pier)
Ensinando
Inteligência
1ª reimpressão
A L E P H
2a Reimpressão
Ensinando Inteligencia.indd 3Ensinando Inteligencia.indd 3 14.05.10 17:42:5314.05.10 17:42:53
 Coleção Neuropedagogia
 Volume 1 Aprendendo Inteligência
 Volume 2 Estimulando Inteligência
 Volume 3 Ensinando Inteligência
Copyright © Pierluigi Piazzi, 2009
Copyright © Editora Aleph, 2009
 ILUSTRAÇÕES DE CAPA E MIOLO: Durvaly Odilon Nicoletti
 www.nicoilustracao.com.br
 CAPA: Luiza Franco
 REVISÃO: Luciane H. Gomide
 Hebe Ester Lucas
 PROJETO GRÁFICO: Delfi n
 EDITOR: Adriano Fromer Piazzi
Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução, no todo ou em parte, através de quaisquer meios. 
EDITORA ALEPH LTDA.
Rua Dr. Luiz Migliano, 1110 \u2013 Cj. 301
05711-900 \u2013 São Paulo \u2013 SP \u2013 Brasil
Tel.: [55 11] 3743 3202
Fax: [55 11] 3743 3263
www.editoraaleph.com.br
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Piazzi, Pierluigi
Ensinando inteligência / Pierluigi Piazzi. --
1. ed. -- São Paulo : Aleph, 2009. --
(Coleção neuropedagogia ; v. 3)
Bibliografi a.
ISBN 978-85-7657-077-6
1. Educação 2. Ensino 3. Inteligência
4. Neurologia 5. Pedagogia I. Título. II. Série.
09-06161 CDD-370.152
Índices para catálogo sistemático:
1. Inteligência : Aprimoramento : Psicologia educacional 370.152
2a Reimpressão
2010
Ensinando Inteligencia.indd 4Ensinando Inteligencia.indd 4 14.05.10 17:42:5314.05.10 17:42:53
Introdução 7
Parte 1: Mudando as regras do jogo
Chopin, Schubert e o construtivismo 12
Parte 2: Mudando comportamentos
O processo 26
Quem ensina\u2026 não examina! 33
Avaliação x veri\ufb01 cação 38
A tapeçaria de Penélope 43
Parte 3: Alunos têm cérebro
Onde está o pinguim? 52
Em busca da inteligência 58
Redes neurais 67
Ritmo e\ufb01 ciente 88
Ritmo equivocado 96
Esculpindo a águia 107
Césio-137 116
O vitral e a vidraça 132
Parte 4: O novo professor
Melhorando as condições 146
O papel do Estado 157
Administrando o rombo no casco 170
Sumário
Ensinando Inteligencia.indd 5Ensinando Inteligencia.indd 5 14.05.10 17:42:5314.05.10 17:42:53
Parte 5: Encerrando
Leituras aconselhadas 188
Agradecimentos 196
Críticas e sugestões 198
Ensinando Inteligencia.indd 6Ensinando Inteligencia.indd 6 14.05.10 17:42:5414.05.10 17:42:54
7
Este livro não é uma tese, sequer um trabalho de pesquisa. 
Consequentemente, não procure uma bibliografi a comple-
ta no fi nal2 nem fundamentações acadêmicas.
Trata-se, isso sim, do depoimento de um velho e muito 
experiente professor, de alguém que dedicou praticamente 
toda a sua vida ao ensino.
Já lecionei desde a Educação Infantil até a pós-gradua-
ção. Já tive alunos de todos os tipos e níveis. 
Minha mais longa vivência, porém, foi como professor 
de um curso pré-vestibular, o famigerado \u201ccursinho\u201d. Nele, 
preparei mais de 100 mil alunos para os mais importantes 
vestibulares deste país. 
A experiência que acumulei nessa tarefa é bastante inu-
sitada e foge, completamente, dos parâmetros da pedago-
gia ortodoxa. Foi no cursinho que eu aprendi o que é uma 
escola de verdade.
2 A não ser os livros que acho importantes para você ler.
Um intelectual é alguém que recebeu
um nível de instrução muito acima
de seu nível de inteligência.
Arthur Charles Clarke (1917-2008)
INTRODUÇÃO
Pequeno discurso sobre o método (ou a falta de)
Ensinando Inteligencia.indd 7Ensinando Inteligencia.indd 7 14.05.10 17:42:5414.05.10 17:42:54
8
Este livro, portanto, é uma espécie de testamento e 
um gigantesco \u201cEU ACHO\u201d, expressão tão abominada pelas 
pessoas que não têm inteligência sufi ciente para \u201cachar\u201d o 
que quer que seja! 
Olhando para trás e vendo um longo percurso percorrido 
com muitos erros e uma série surpreendente de involuntá-
rios acertos, senti-me no dever de compartilhar essa expe-
riência acumulada ao longo de uma vida com os professores 
e as pedagogas que estão começando agora sua própria 
caminhada. Espero torná-la menos árdua.
Aconselho, antes, a leitura dos dois volumes que prece-
dem este, o do aluno e o dos pais, para poder entender por 
que este é um livro escrito com certa revolta. 
Revolta por ver o fantástico potencial intelectual da ju-
ventude brasileira ser jogado na lata do lixo por um bando 
de incompetentes politiqueiros que se autodefi nem os do-
nos da verdade no mundo da educação. 
Não procure aqui, portanto, metodologia e rigor. Esque-
ça seus preconceitos e tente acompanhar meu raciocínio. 
Este é um livro que foi escrito pensando em ter, como 
alvo, professores e pedagogas inteligentes e dispostos a 
melhorar o nosso sistema educacional.
Se você for professor, talvez sinta alguma difi culdade, 
pois terá de se libertar de algumas ideias que até agora 
você teve na conta de verdades absolutas.
Se você for uma pedagoga3 inteligente, perceberá, ao 
longo deste volume, o grande equívoco da pedagogia bra-
sileira que faz com que nosso sistema educacional seja um 
3 Escrevo \u201cpedagoga\u201d no feminino pois não sou machista e, em caso de gêneros 
mistos, escolho o da maioria, e não, como se faz automaticamente, o mascu-
lino.
Ensinando Inteligencia.indd 8Ensinando Inteligencia.indd 8 14.05.10 17:42:5414.05.10 17:42:54
9
dos piores do mundo.4 E como você é inteligente, perceberá 
o quão fácil pode ser mudar esse estado de coisas\u2026 basta 
começar a olhar para o outro lado. Talvez seja de grande 
ajuda, insisto, primeiro ler o Volume 1 (Aprendendo Inteli-
gência), que escrevi pensando em ter o aluno como leitor, 
e o Volume 2 (Estimulando Inteligência), cujo público-alvo 
é a família.
Agora, se você for uma dessas pseudopedagogas \u201cinte-
lec tualoides\u201d (talvez até com doutorado e tudo mais a que 
tenha direito), que acham que o domínio de um jargão es-
pecializado (e na última moda) seja sufi ciente para adquirir 
o status de \u201cdona da verdade\u201d; se você for uma dessas que, 
ao exibirem seu domínio de um vocabulário pseudotécnico, 
deslumbram-se tanto com sua própria \u201cpedagorreia\u201d5 que não 
se dão conta do desastre no qual estão mergulhando nosso 
sistema educacional\u2026 feche este livro imediatamente!
4 Essa não é uma opinião minha. É um fato mais do que comprovado por sérios 
exames internacionais envolvendo jovens de dezenas de países. Ignorar isso é 
querer tampar o Sol com a peneira!
5 A expressão \u201cpedagorreia\u201d, neologismo talvez originário de verborreia, não foi 
inventada por mim. É um termo utilizado por muitíssimas pedagogas inteligen-
tes que se sentem desconfortáveis quando vítimas de uma dessas arrogantes 
donas da verdade.
Ensinando Inteligencia.indd 9Ensinando Inteligencia.indd 9 14.05.10 17:42:5414.05.10 17:42:54
Parte 1
MUDANDO
AS REGRAS DO JOGO
Ensinando Inteligencia.indd 11Ensinando Inteligencia.indd 11 14.05.10 17:42:5514.05.10 17:42:55
12
Quis custodiet
ipsos custodes?1 
Decimus Iunius Iuvenalis 
(início do II século d.C.)
CHOPIN, SCHUBERT E O
CONSTRUTIVISMO
Certa vez, estava proferindo uma palestra para professores 
de uma faculdade de Pedagogia de São Paulo, quando fui 
interrompido por uma das pedagogas presentes:
\u2013 Professor, devo então entender que o senhor é contrário 
ao construtivismo?
\u2013 Nem contra nem a favor \u2013 respondi calmamente. \u2013 
Aliás, você está ouvindo um construtivista avant lettre, já 
que há mais de 40 anos minhas aulas eram criticadas por 
colegas justamente por terem uma característica que hoje 
em dia poderia ser rotulada como \u201cconstrutivista\u201d.3
Na realidade o que penso é que qualquer discussão a res-
peito do construtivismo ou de outros temas fashion \u2013 tão 
em voga no fechado mundo da pseudopedagogia brasileira 
\u2013 é inoportuna, dada a situação atual de nosso sistema