A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Organelas citoplasmáticas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Organelas citoplasmáticas
	São estruturas que ficam dentro das células, mais precisamente dentro do citoplasma, que é composto por um líquido gelatinoso, citosol. A complexidade dessas estruturas e suas ações conjuntas que vão fazer a célula funcionar. Cada organela celular tem uma função, como se fossem nossos órgãos internos, digerem os alimentos, quebram as moléculas que precisam, excretam o que não é necessário, e assim por diante. 
Funções das membranas das organelas
As membranas têm a função de revestir, proteger e de dar forma aos organismos onde estão presentes. A membrana plasmática é a organela que envolve todas as células, mas existem outras também que são compostas por membranas, chamadas de organelas membranosas, que têm funções parecidas com os nossos órgãos internos nos processos celulares de digestão, quebra de proteínas, excreção, entre outros.
Retículo endoplasmático
O retículo endoplasmático (RE) tem um importante papel na modificação de proteínas e na síntese de lipídios. É composto por uma rede de túbulos membranosos e bolsas achatadas. Os discos e túbulos do RE são ocos, e o espaço em seu interior é chamado de lume ou luz. Sendo classificado por dois tipos: Rugoso ou Granuloso (RER) e Liso ou Agranuloso (REL). 
Retículo endoplasmático rugoso - RER
	Possui em sua composição ribossomos aderidos à sua superfície citoplasmática. Os ribossomos sintetizam as proteínas, e as deixam no lume. Algumas proteínas ficam ancoradas na membrana e outras completamente soltas flutuando no interior do RE.
	No interior do RE, as proteínas podem passar por algumas modificações como sofrerem dobramentos ou adições de novos compostos. Por fim, estas proteínas modificadas serão incorporadas nas membranas celulares internas ou secretadas para fora da célula através do Complexo Golgiense. 
Retículo Endoplasmático Liso – REL
	É contínuo com o RER, mas possui poucos ou nenhum ribossomos em sua superfície citoplasmática, por isso possui esse nome. Dentre as suas funções:
	Síntese de carboidratos, lipídios e hormônios
	Desintoxicação de medicamentos e venenos
	Armazenamento de íons cálcio
Complexo de Golgi
	 Antes de alcançar seu destino final, os lipídios e proteínas que estão dentro das vesículas de transporte provenientes do RE precisam ser organizados, empacotados e etiquetados para que eles terminem em seus devidos lugares. Esta organização, empacotamento e distribuição ocorrem no complexo de Golgi, organela feita por discos achatados de membrana. Além disso, é capaz de realizar a síntese de glicídios, e também é responsável pela formação dos lisossomos, e do acrossomo dos espermatozoides.
Lisossomos
	Contém enzimas digestivas e atua como usina de reciclagem das organelas na célula animal. Ele degrada as estruturas obsoletas para reutilizar suas moléculas. Podem digerir proteínas externas que são trazidas para o interior da célula. Por exemplo, vamos considerar o macrófago, no processo de fagocitose, uma parte da membrana plasmática do macrófago invagina-se ou dobra-se para dentro - para engolfar um patógeno.
	A seção invaginada com o patógeno em seu interior tem origem na membrana plasmática e forma uma estrutura chamada fagossomo. O fagossomo então se funde a um lisossomo, formando um compartimento combinado onde enzimas digestivas destroem o patógeno. Os lisossomos também possuem o fundamental papel da autofagia, destruindo organelas desgastadas e aproveitando seus componentes químicos.
Vacúolos
	As células vegetais não possuem lisossomos. Em vez disso, elas possuem outro tipo de organela chamada vacúolo. O grande vacúolo central armazena água e resíduos, isola materiais indesejados e possui enzimas que podem degradar macromoléculas e componentes celulares, como ocorre no lisossomo (Marty, F., 1999).
Mitocôndrias
	Realizam a produção de um suprimento constante de adenosina trifosfato ou ATP, a principal molécula carregadora de energia da célula. O processo de fabricar ATP usando açúcares é chamado de respiração celular, onde a glicose é consumida na presença de oxigênio, formando CO2, água e energia.
	A mitocôndria possui um DNA próprio, adequadamente nomeado DNA mitocondrial. Considerando que as mitocôndrias são passadas de mãe para filho, o DNA mitocondrial do filho sempre será igual ao DNA da mãe, da avó, da bisavó, e assim sucessivamente.
	Teoriza-se que as mitocôndrias foram seres procariontes que passaram a exercer uma relação simbiótica com células eucariontes. Isso pode ser percebido pelo fato do DNA mitocondrial ser mais semelhante ao DNA de bactérias que ao de seres eucariontes.
Cloroplastos
	Encontrados somente em plantas e algas fotossintetizantes. O papel do cloroplasto é realizar o processo de fotossíntese, que capta energia luminosa e a utiliza para construir açúcares a partir do gás dióxido de carbono. Os açúcares produzidos podem ser usados pela célula da planta, ou podem ser consumidos por animais que comem plantas, como os humanos. A energia contida nestes açúcares é colhida através de um processo chamado respiração celular, que acontece dentro das mitocôndrias das células das plantas e dos animais.
	Os cloroplastos são organelas encontradas no citosol da célula que possuem a forma de disco. Eles possuem membranas externa e interna com um espaço entre elas. Se você atravessasse as duas camadas de membrana e alcançasse o espaço no centro, você descobriria que ele contém discos de membrana conhecidos como tilacóides, dispostos em pilhas interconectadas chamadas de grana (granum).
Centríolos
	Não estão envolvidos por membrana, portanto, alguns autores não os consideram organelas, mas isso não os torna menos importantes para as células animais. O centríolo ajuda na separação das células esticando-se na hora da divisão, então os cromossomos ficam ali em volta dos tubos do centríolo. Ao fim da divisão, os centríolos e cromossomos estarão em seus devidos lugares. Também são fundamentais na formação de cílios e flagelos. Estão ausentes na esmagadora maioria das plantas e dos fungos.
Ribossomo
	Os ribossomos, assim como os centríolos, não estão envoltos por membrana, portanto, nem todos os consideram organelas. Sua função é a síntese de proteínas. Diferente dos ribossomos acoplados ao RER, os ribossomos livres no citoplasma tem função de sintetizar as proteínas para uso interno da célula.
Peroxissomos	
	São organelas esféricas responsáveis por metabolizar o H2O2, um dos principais radicais livres. A catalase dos peroxissomos é capaz de quebrar essa H2O2 em água e oxigênio atmosférico (O2), na seguinte reação: 2 H2O2 + Catalase -> 2 H2O + O2. Essas substâncias podem estar presentes dentro das células devido a alguns processos, e dentro dessas bolsinhas têm uma enzima chamada catalase, que vai quebrar a água-oxigenada, que é uma substância tóxica para a célula.
Nas células procariontes nós não temos organelas, porque elas são células mais simples, geralmente unicelulares, e só vão ter no citoplasma o material genético e os ribossomos.
Exercícios
1) (UFLA-JULHO/2006) Na coluna da esquerda, encontram-se nomes de organelas celulares e, na coluna da direita, importantes processos fisiológicos. Marque a seqüência que representa a correlação CORRETA entre as duas colunas.
Organelas
1 – ribossoma
2 – retículo endoplasmático
3 – mitocôndria
4 – lisossoma
5 – aparelho de golgi
Processos fisiológicos
A – síntese de ATP
B – empacotamento e formação de grãos de secreção
C – síntese de proteínas
D – digestão intracelular
E – neutralização de substâncias tóxicas
a) 1A, 2B, 3D, 4C, 5E
b) 1B, 2D, 3E, 4A, 5C
c) 1C, 2E, 3A, 4D, 5B
d) 1C, 2B, 3A, 4D, 5E
2) (UFV-1996) As mitocôndrias, organelas celulares relacionadas com a produção de energia (ATP), estão presentes em:
a) células animais e vegetais.
b) eucariotos e procariotos.
c) células animais apenas.
d) células vegetais apenas.
e) procariotos.
3) (UFVJM/2005) Leia a informação seguinte.
No citoplasma das células encontram-se os orgânulos que interagem fisiologicamente, executando diferentes