A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Apostila de Histologia - @Laravet.studies

Pré-visualização | Página 2 de 4

nas 
quais, os tendões se ligam 
aos ossos, regiões essas que 
precisam de um tecido capaz 
de resistir à compressão e 
ao desgaste. 
 Esse tipo de cartilagem pode 
ser encontrado, também, no 
canal auditivo externo, na 
laringe e na tuba auditiva. 
 
Os condrócitos, quando jovens, são 
denominados condroblastos – que são 
responsáveis por sintetizar (produzir) a 
cartilagem 
Cartilagem 
Hialina 
Cartilagem Fibrosa 
(Fibrocartilagem) 
Cartilagem 
Elástica 
 
 
Tecido Ósseo 
O tecido ósseo faz parte de uma 
especializada constituição de células 
preenchidas por uma grande matriz 
intersticial (líquido/gel que fica entre as 
proteínas fibrosas), com a capacidade de 
sofrer mineração. Essa mineração da ao 
tecido ósseo uma propriedade de 
extrema dureza, fazendo com que esse 
tecido tenha a função de sustentação e 
proteção, mas ele também possui certa 
maleabilidade (flexibilidade), com o poder 
de extensão e flexão, por causa da 
ampla presença de fibras colágenas. A 
matriz extracelular desse tecido serve 
como um grande reservatório de 
minerais no organismo, com isso, 
principalmente íons, cálcio e fósforo 
contribuem para garantir o equilíbrio 
(homeostase) de cálcio no sangue 
(calcemia) e também em todos os fluidos 
tissulares (líquido intersticial). 
 
 
 
 
 
 
 
Pelo ponto de vista celular, o tecido ósseo 
é constituído por apenas duas linhas 
celulares. Esses conjuntos de células são de 
variadas formas e designações, baseado 
nas suas morfologias, atividades e 
localizações diferentes em relação à matriz 
calcificada. Essas células podem ser 
divididas em duas series diferentes: células 
da linha osteoblástica  responsáveis pelo 
processo de formação da matriz; e a linha 
osteoclástica  relacionadas à sua 
reabsorção. 
O osso possui uma estrutura muito dinâmica, 
porque possui uma capacidade constante de 
remodelagem e crescimento, que se mantém ativo 
por toda a vida. Essa capacidade é possível, devido 
à presença de várias células ósseas, que 
constituem a série osteoclástica e a série 
osteoblástica, que representam uma constante 
reabsorção, reparação, formação e manutenção 
da arquitetura do osso. 
 
O tecido ósseo apresenta três tipos de células especializadas: os osteoblastos, osteócitos 
e osteoclastos: 
Osteoblastos Osteócitos Osteoclastos 
São células cuboides ou 
alongadas relacionadas com 
a síntese da porção 
orgânica da matriz óssea. 
Elas também são 
responsáveis por produzir 
osteonectina e 
osteocalcina, 
duas proteínas não 
colágenas. A osteonectina 
atua facilitando a 
deposição do cálcio, 
enquanto a osteocalcina 
está envolvida com o 
controle do processo de 
mineralização do osso, 
sendo responsável por 
estimular a atividade dos 
osteoblastos. 
São células achatadas com vários 
prolongamentos citoplasmáticos e que 
se destacam por ser o tipo celular 
mais abundante nesse tecido. Essas 
células estão no interior da matriz 
óssea, mais precisamente no interior 
das lacunas, estando presente 
apenas uma célula por lacuna. Dessas 
lacunas partem os canalículos, pelos 
quais os osteócitos podem 
estabelecer contato com outros 
através de seus prolongamentos, 
sendo possível a transferência de 
algumas moléculas. Além disso, esses 
canalículos garantem trocas de 
substâncias entre os osteócitos e os 
capilares sanguíneos. Eles são 
essenciais para a nutrição dos 
osteócitos, uma vez que a matriz 
calcificada impede a difusão de 
substâncias. Os osteócitos estão 
relacionados com a manutenção da 
matriz óssea, apesar de não serem 
responsáveis por uma produção 
rápida de matriz 
Destacam-se por serem 
grandes, apresentarem 
vários núcleos, serem muito 
ramificados e móveis. Essas 
células estão associadas à 
reabsorção óssea. Essa 
função é possível por causa 
da liberação, por essas 
células, de enzimas que 
garantem a quebra dos sais 
minerais e da porção 
protéica. 
 
 

 
 
 
Quando o osteoblasto fica 
preso na lacuna após a 
síntese de matriz óssea, 
passa a ser chamado de 
osteócito 
 
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/proteinas.htm
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sais-minerais.htm
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sais-minerais.htm
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sais-minerais.htm
Tecido Nervoso 
O tecido nervoso é um tecido que faz comunicação, podendo receber, interpretar e responder aos 
estímulos. As células do tecido nervoso são muito especializadas no processamento de informações. 
Os neurônios e as células da glia atuam juntos nas transmissões dos impulsos nervosos. 
Funções: 
A principal função do tecido nervoso é fazer as comunicações entre os órgãos do corpo e o meio 
externo, com uma grande velocidade. O Sistema Nervoso recebe estímulos, através dos neurônios, 
que decodifica as mensagens e elabora as respostas. (Exemplo: o frio (estímulo externo) é recebido 
pelos receptores da pele, transmitido por neurônios sensitivos e interpretado no sistema nervoso 
central) 
Células Nervosas:
Neurônios: 
Os neurônios são responsáveis pelas 
transmissões dos estímulos do meio 
interno e externo, fazendo com que o 
organismo executa as respostas 
apropriadas para a manutenção da 
homeostase. O neurônio possui 
excitabilidade, que é a capacidade de 
permitir que as células respondam aos 
estímulos internos ou externos. Essa 
propriedade é inerente aos vários tipos 
celulares do organismo, porém, as 
respostas emitidas pelos tipos celulares 
distintos também diferem umas das 
outras. A resposta emitida pelos 
neurônios é parecida com uma corrente 
elétrica transmitida ao longo de um fio 
condutor, quando excitados pelos 
estímulos, os neurônios transmitem essa 
onda de excitação (impulso nervoso) por 
toda a sua extensão em grande 
velocidade e em um curto espaço de 
tempo. Isso acontece por causa da 
propriedade de condutibilidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os neurônios são considerados a 
unidade básica do sistema nervoso. 
Essas são as verdadeiras células 
condutoras do tecido nervoso, as 
responsáveis pela recepção e pela 
transmissão dos impulsos nervosos sob a 
forma de sinais elétricos. Estas células 
não têm a capacidade de se regenerar. 
Os neurônios são compostos pelo corpo 
celular ou pericário, dendritos e axônios. 
 
(Não faz parte do tecido conjuntivo) 
Os neurônios são compostos pelo corpo celular ou pericário, dendritos e axônios: 
Pericárdio/Corpo Celular Dentritos Axônios 
Nessa estrutura acontece a 
síntese protéica e a convergência 
das correntes elétricas geradas 
na árvore dendrítica (local 
primário para a recepção de 
informações). Cada corpo celular 
possui apenas um núcleo que fica 
no centro da célula. No pericárdio 
é onde se localiza todas as 
funções celulares em geral. 
 
São prolongamentos especializados 
em receber e transportar os 
estímulos das células sensoriais, 
dos axônios, e de outros 
neurônios. Possuem múltiplas 
ramificações e extremidades 
arborizadas, que os permite a 
capacidade de receber múltiplos 
estímulos de vários neurônios de 
maneira simultânea. 
São prolongamentos únicos 
especializado na condução de 
impulsos, que transmitem 
informações do neurônio para 
outras células (nervosas, 
musculares, glandulares). 
Normalmente existe apenas um 
único axônio em cada neurônio 
 
 
Classificação do Neurônio:
Os neurônios podem ser divididos e classificados baseado em algumas características 
particulares como a forma e a função: 
Quanto à forma 
Unicelular Multipolares Bipolares Pseudo-unipolares 
Possuem apenas 
um axônio. 
Possuem vários 
dendritos e um axônio 
Possuem um 
dendrito e um 
axônio 
Fica próximo ao corpo celular, 
prolongamento único, mas se 
divide em dois, ficando um 
ramo para a periferia e outro 
para o sistema nervoso 
central. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Quanto à função 
Motores 
(eferentes) 
Sensoriais 
(aferentes) 
Interneurônios 
Controlam órgãos efetores,