A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes: Abbas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes 1
Propriedades e Visão Geral das 
Respostas Imunes
Autor A Alana Zottis
CLASS MODE LIVRO TEXTO
OK
TOPIC Capítulo 1 Abbas
O que é resposta imune?
Quando células e moléculas da imunidade reagem contra 
corpos/substâncias estranhas, como microorganismos ou proteínas, 
independente das consequências fisiológicas e patológicas causadas.
Quais as diferenças gerais entre imunidade inata e adaptativa?
Como se relacionam as imunidades inata e adaptativa?
A imunidade inata estimula e orienta a resposta imune adaptativa, 
enquanto que, para agir, a resposta adaptativa precisa da imunidade inata 
e a amplifica.
Quais os dois tipos de imunidade adaptativa?
Imunidade Humoral - mediada por Linfócitos B, ocorre nos espaços do 
corpo LEC, como plasma sanguíneo e as mucosas), pela produção de 
Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes 2
anticorpos contra microorganismos extracelulares e suas toxinas.
Imunidade Celular - mediada por Linfócitos T, ocorre dentro das 
células. Obs.: Linfócitos T auxiliam na Imunidade Humoral porque 
'convocam' leucócitos para os locais de infecção e orientam a 
produção de Ac pelos Linfócitos B Linf T CD4.
Quais as características gerais das respostas imunes adaptativas?
Especificidade para epítopos de antígenos e diversidade (habilidade 
de reconhecer um grande número de antígenos)
Não reatividade ao próprio: autotolerância (não reagir aos antígenos 
do próprio organismo) - doenças autoimunes
Memória: segundo contato é mais rápido, mais eficaz e maior
Expansão clonal: proliferação rápida do Linfócito com receptor 
específico para o antígeno contaminante
Especialização: a resposta a cada microorganismo infectante é distinta
Contração e homeostasia: Linfócitos eliminados após resposta imune 
(exceto os de memória)
Mecanismos de controle da resposta imune:
Feedback positivo no início da resposta para fazer com que os Linfócitos 
com receptores clonais específicos sejam ativados, ao mesmo tempo em 
que mecanismos de controle (feedback negativo) são ativados para que 
essa resposta não seja desenfreada = balanço entre mecanismos 
ativadores e inibidores.
Principais componentes da imunidade adaptativa:
Linfócitos, APC e células efetoras
Distingua os tipos de Linfócitos:
Linfócitos B mediadores da resposta imune Humoral, produzem 
anticorpos, são regulados por Linfócitos T CD4.
Linfócitos T CD4 (auxiliares): são os reguladores da resposta imune 
adaptativa (mandam em tudo - comandam a fagocitose por 
macrófagos, a produção de Ac por Linf B, a destruição de células por 
CTL...), pela produção de citocinas.
Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes 3
Linfócitos T CD8 (citotóxicos): destruição de células infectadas por 
microorganismos.
Caracterize APCs:
As profissionais são as células dendríticas: capturam e fagocitam antígeno, 
produzindo sinais (segundos sinais) para apresentar o antígeno aos 
Linfócitos.
Também atuam como APCs os macrófagos e Linfócitos B.
Quais células atuam como células efetoras da Imunidade Adaptativa?
Linfócitos T ativados, fagócitos mononucleares.
Resuma brevemente os mecanismos da Imunidade Inata:
A primeira barreira contra os microrganismos é o epitélio/mucosas. 
Quando ele é transposto, nos tecidos existem células da imunidade inata 
que combatem o agente infeccioso, como fagócitos (macrófagos, 
neutrófilos, células dendríticas). A imunidade inata tem dois mecanismos 
principais: inflamação e defesa antiviral. Na inflamação, principalmente as 
células dendríticas e macrófagos residentes agem capturando e 
fagocitando os microrganismos, além de produzirem citocinas que 
'chamam' leucócitos e proteínas circulantes, que se acumulam nos tecidos 
e combatem os microrganismos. Na defesa antiviral, ocorre a ação das 
células NK, principalmente na produção da citocina Interferon. Proteínas 
plasmáticas importantes são as do sistema complemento, que opsonizam 
os microrganismos, os destroem e medeiam a resposta inflamatória.
Quais são as fases da resposta imune adaptativa?
Fase efetora
 Reconhecimento do antígeno
 Ativação do Linfócito
 Eliminação do antígeno
Contração (homeostasia)
Formação de memória
Resuma brevemente os mecanismos da Imunidade Adaptativa:
Células dendríticas capturam o microrganismo e apresentam o antígeno 
pela molécula de MHC, nos órgãos linfóides secundários, aos Linfócitos T 
Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes 4
imaturos circulantes, que então são ativados. 
Hipótese da seleção clonal: clones de antígenos específicos existem antes 
do contato com o antígeno e independente de sua exposição a ele. Isso 
explica como o sistema imune adaptativo consegue responder a uma 
quantidade imensa de antígenos. Então, Linfócitos específicos para um 
determinado antígeno existem antes do contato com o antígeno e, quando 
o antígeno entra em contato com o Linfócito, esse Linfócito é ativado e 
reproduzido em larga escala para combater a infecção.
Os receptores de células T só podem reagir com peptídeos ligados a 
moléculas de MHC. Para reagirem, precisam não só serem apresentados 
por moléculas MHC de APC, como também receberem coestimuladores 
(segundos sinais). Assim, os Linfócitos T só irão responde àquilo que não é 
próprio do organismo, de maneira específica.
Células T CD4 ativadas (efetoras) secretam Interleucina-2, fator de 
expansão clonal. As Células T CD4 efetoras secretam citocinas que 
convocam proteínas e leucócitos circulantes, além de amplificarem a 
resposta dos macrófagos e auxiliarem os Linfócitos B a produzirem Acs. 
Os CLT, por outro lado, eliminam os reservatórios celulares das infecções.
As células B ativadas secretam diferentes Ac contra antígenos proteicos 
com auxílio dos Linfócitos T CD4, gerando a partir disso Acs mais 
duradouros, com maior afinidade pelo antígeno, e células B de memória. 
Propriedades e Visão Geral das Respostas Imunes 5
Antígenos proteicos estimulam Linf B plasmáticos a produzirem diversos 
tipos de Ac, dependendo do tipo de antígeno ativador (troca de classe). 
Antígenos não-proteicos ativam sem necessidade dos Linf T CD4, mas 
geram Ac menos duradouros.
A ativação inicial de Linfócitos gera células de memória específicas para o 
antígeno com o qual houve contato. Elas sobrevivem por muito tempo, e 
são mais efetivas, fazendo com que no segundo contato a resposta 
imunológica seja mais rápida e eficaz. As células de memória apresentam 
um conjunto mais amplo de linfócitos específicos para um antígeno do que 
os Linfócitos imaturos.