A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Alimentação de calopsitas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Permitir que a calopsita tome banho 
fomenta o comportamento natural, 
promove bem-estar e boa manutenção 
das penas. 
 
 
 
Opções em cativeiro: recipiente de 
água, spray, chuva por alguns minutos. 
Limpar a gaiola sem o uso de produtos 
químicos fortes, e trocar comida/água 
regularmente. 
 
 
Dentro da gaiola no máximo 3 
brinquedos, que podem ser trocados 
regularmente por outros. Podem ser 
usados: sinos, cordas, escadas, espelhos, 
balanços, bolinhas. Os melhores são os 
que oferecem um desafio para a calopsita 
conseguir comida. 
O ato de falar com ela, assobiar e até o 
adestramento pode ser uma excelente 
atividade. Quando a ave fica muitas 
horas sozinha, pode utilizar gravações de 
outras aves para que esta se sinta mais 
acompanhada e estimulada. Ou até 
adquirir outra calopsita para fazer 
companhia. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 
INSTITUTO DE MEDICINA VETERINÁRIA 
FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA 
HOSPITAL VETERINÁRIO DE ANIMAIS SILVESTRES 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nymphicus hollandicus 
 
Telefone (HVSAS): (91) 9 8894-4012 
 
 
 
CALOPSITA 
HIGIENE 
ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL 
É importante que a calopsita tenha liberdade 
fora da gaiola de modo a fomentar a prática de 
exercício físico (através principalmente do voo) 
que é essencial para o bem-estar dela. 
RECEITINHA 
INGREDIENTES 
1 ovo cozido 
1 cenoura ralada 
Almeirão em pedacinhos 
pequenos 
Amassar bem o ovo e misturar a cenoura 
ralada e o almeirão. Dispor em um pequeno 
pote. Retirar e jogar fora o que sobrou após 4-6 
horas. Pode ser ofertado de 1 a 2 vezes por 
semana. 
AGRADECIMENTOS 
A Universidade Federal do Pará e a equipe do 
Hospital Veterinário de Animais Silvestres 
(HVSAS). 
Telefone (HVSAS): (91) 9 8894-4012 
 
 
 
 
Ativas, superinteligentes, muito sociáveis e 
necessitam de interação e atenção frequente. 
Caso não receba a atenção necessária, pode 
vir a ter atitudes agressivas, como arrancar as 
próprias penas. 
Animais muito fiéis e mansos. Mesmo 
domesticadas são animais barulhentos 
gostando de assobiar, cantar ou até mesmo 
gritar, quando ocorrer não as interrompa! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Local propício para descanso e 
alimentação. Deve ter largura suficiente 
para a ave abrir e bater as asas sem danificá-
las, e altura suficiente para que a cauda não 
toque no solo. Dê preferência as com barras 
horizontas, pois permitem que a ave trepe o 
que é uma de suas atividades favoritas. A 
localização irá depender da sua 
personalidade, no caso das sociáveis, a sala 
de estar é um bom lugar para maximizar a 
interação social, as mais tímidas podem 
preferir zonas mais calmas, como quarto. 
 
Importante que o consumo de ração seja 
suplementado com frutas e vegetais. 
 
 
 
 
 
COMPORTAMENTO 
NORMAL 
Quer ir ao dedo. Aceitando carinho. 
Limpando as penas. Se coçando. 
Dormindo. 
ATENÇÃO 
Assustado. Cabeça 
levantada e olhos 
atentos. 
Não quer brincar. 
Pedindo atenção. 
EMERGÊNCIA 
Espirrando. Triste na gaiola. 
Vomitando. Fezes diarréicas. 
LEVAR AO VETERINÁRIO, 
URGENTE!!!!! 
GAIOLA 
ALIMENTAÇÃO 
Comerciais 
(peletizadas/extrusadas). 
Com uso de suplementação 
vitamínica. 
RAÇÃO 
FRUTAS 
Não ofertar frutas ácidas, doces ou 
gordurosas demais (ex: limão, 
laranja, manga e abacate). Retirada 
de sementes, pois podem ser 
tóxicas (ex. maçã ou pera). 
VERDURAS 
E GRÃOS 
Podem ser oferecidas crus e evitar 
oferta excessiva de folhas escuras 
(excesso de Fe) e não oferecer 
alface (causa diarréia). Podem ser 
oferecidos cozidos e sem tempero 
grão de bico, feijão, soja e lentilha.