Buscar

1 ATIVIDADE DE FUNDAMENTOS

Prévia do material em texto

COLÉGIO DINÂMICO 
ALUNA RAINE LIMA 
PROFESSORA BETÂNIA VIEIRA 
DISCILPLINA FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM 
ATIVIDADE 1 
1- 
SIM DEVEMOS RESPEITA-LAS SEMPRE 
2- 
A SEGURANÇA 
B FISIOLÓGICA 
C SOCIAIS 
D REALIZAÇÃO 
E STATUS 
3- 
A V 
B F 
C V 
D V 
4- 
A INDIRETO 
B INDIRETO 
C DIRETO 
5- 
 ISOLAMENTO REVERSO: ESTE ISOLAMENTO É ESTABELECIDO PARA PROTEGER DAS INFECÇÕES 
UM INDIVÍDUO IMUNOCOMPROMETIDO. MATERIAIS: QUARTO PRIVADO, LUVAS DE 
PROCEDIMENTOS, MÁSCARA COMUM, AVENTAL DE MANGA LONGA. 
 ISOLAMENTO PARA TRANSMISSÃO POR VIA AÉREA OU GOTÍCULAS: QUARTO PRIVADO. CASO 
NÃO SEJA POSSÍVEL DAR UM QUARTO A CADA DOENTE, JUNTE DOENTES COM A MESMA 
DOENÇA. USE MÁSCARA N95 SE O DOENTE TEM TUBERCULOSE EM FASE CONTAGIOSA. 
 ISOLAMENTO POR TRANSMISSÃO POR CONTATO: QUARTO PRIVADO. SE NÃO FOR POSSÍVEL, 
AGRUPE OS DOENTES POR DOENÇA. USE SEMPRE LUVAS DE PROCEDIMENTOS. LAVE AS MÃOS 
ANTES E DEPOIS DE RETIRAR AS LUVAS. USE AVENTAL SE VAI ESTAR EM CONTATO PRÓXIMO 
COM O DOENTE. 
6- 
 LUVAS DE PROCEDIMENTOS: 
 UTILIZADA PARA MANIPULAR PACIENTES, PRINCIPALMENTE EM POSSÍVEL CONTATO COM 
SANGUE OU FLUÍDOS CORPÓREOS, ASSIM COMO, EM CASOS DE CONTATO COM PELE NÃO 
ÍNTEGRAS OU MUCOSAS. É RECOMENDADA PARA TODAS AS SITUAÇÕES 
INDEPENDENTEMENTE DA PRESENÇA OU AUSÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS 
COMPROVADAS. USADA TAMBÉM EM CASOS DE ISOLAMENTOS. FINALIDADE -REDUZIR A 
POSSIBILIDADE DA EQUIPE, ENTRAR EM CONTATO COM ORGANISMOS INFECCIOSOS. - 
REDUZIR A POSSIBILIDADE DA EQUIPE, TRANSMITIR SUA FLORA ENDÓGENA AOS PACIENTES. - 
REDUZIR A POSSIBILIDADE DE A EQUIPE TORNAR-SE TRANSITORIAMENTE COLONIZADA POR 
MICRORGANISMOS QUE POSSAM SER TRANSMITIDOS A OUTROS PACIENTES (INFECÇÃO 
CRUZADA) 
 LUVAS ESTERILIZADAS OU CIRÚRGICAS: 
 AGEM COMO BARREIRA PARA A TRANSMISSÃO BACTERIANA. AS BACTÉRIAS PODEM 
CONTAMINAR UMA FERIDA OU OBJETO ESTÉRIL. 
7- 
D 
8-É IMPORTANTE MUDAR O PACIENTE DE POSIÇÃO A CADA DUAS HORAS; 
AS FERIDAS NORMALMENTE APARECEM NA REGIÃO SACRAL (PRÓXIMO AO CÓCCIX), 
QUADRIL, NÁDEGAS, COSTAS, CALCANHARES, COTOVELOS E ORELHAS. FIQUE 
ATENTO ESPECIALMENTE A ESSAS ÁREAS; 
 NA HORA DO BANHO, SEMPRE OBSERVE ATENTAMENTE QUALQUER SINAL DE 
VERMELHIDÃO NA PELE; 
 HIDRATE MUITO BEM A PELE DO PACIENTE COM CREMES E ÓLEOS 
 
9- 
A COM IRRIGAÇÃO 
B ABERTO 
C COM DRENAGEM 
D OCLUSIVO 
E COMPRESSIVO 
10- 
O CURATIVO PARA DRENO DEVE OBEDECER A TECNICA EMPREGADA PARA O CURATIVO DE 
CATETERES, FIXADORES E INTRODUTORES. 
- CASO SEJA ESPERADA EXCESSIVA 
SECRECAO DO FERIMENTO, COLOCA-SE UM DRENO PARA FACILITAR O PROCESSO. SAO 
USADOS, COM ESSE PROPOSITO, DRENO DE BORRACHA MACIOS E FIRMES OU DRENOS 
PLASTICOS. OS DRENOS SAO AS VEZES RETIRADOS UM POUCO A CADA DIA, PARA ESTIMULAR 
A CICATRIZACAO NO SENTIDO DA PROFUNDIDADE PARA A SUPERFICIE DO FERIMENTO; 
O SISTEMA DE DRENAGEM PODE SER ATIVO OU PASSIVO, DEPENDENDO DA APLICACAO DA 
DRENAGEM POR SUCCAO OU GRAVITACIONAL, RESPECTIVAMENTE. O SISTEMA E 
CONSIDERADO FECHADO QUANDO O COLETOR DE DRENAGEM ESTA HERMETICAMENTE 
CONECTADO AO DRENO (P.EX. DRENAGEM VENTRICULAR EXTERNA, DRENAGEM DE TORAX OU 
- CURATIVOS DE FERIMENTOS QUE ESTEJAM DRENANDO DEVEM SER TROCADOS SEMPRE QUE 
ESTIVEREM UMIDOS. A SECRECAO NAO APENAS E FREQUENTEMENTE IRRITANTE PARA A PELE, 
COMO SERVE, TAMBEM, COMO PROVAVEL MEIO DE CULTURA; 
 
https://4.bp.blogspot.com/-6D9up85CvcQ/T_IpcjS2beI/AAAAAAAABgA/xV0K5ra46Z8/s1600/Imagem+021.jpg

Continue navegando

Outros materiais