A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Identificando o sujeito e o objeto direto na oração

Pré-visualização | Página 1 de 1

Identificando o sujeito e o objeto direto na oração
 
Professora Angélica Campos
Como identificar o sujeito? 
 Apesar de parecer óbvio, nem sempre é tarefa fácil identificar o sujeito em uma oração. Ele pode ser confundido com outros termos da frase. 
O sujeito é definido pelo agente da ação praticada:
Exemplo: 
 
 O menino leu a história e ficou encantado. 
 Em certos contextos, porém, esta definição não é suficiente para nos auxiliar na hora de identificar o sujeito:
Quando o sujeito é uma oração:
Exemplo: 
 Amar ao próximo é amar a Deus. 
 Como saber o sujeito, nesta estrutura?
Perguntando ao verbo: o que é amar a Deus? 
A resposta será o sujeito. 
Em outras situações, o sujeito é composto por mais de uma oração:
Exemplo: 
Avaliar todas as alternativas e analisar as suas consequências fazem parte do processo. 
É preciso se atentar para toda a estrutura, pois o verbo da ação do sujeito nem sempre será o primeiro verbo que aparece na estrutura frasal.
Ás vezes, o sujeito não é um ser em si, mas um traço que o caracteriza:
Exemplo: 
Aqui temos um traço do ser, mas não podemos dizer quem é o ser em si. 
Suas intenções não me convencem. 
Quando aparece posposto, o sujeito vem após o verbo:
Exemplo: 
Regulados todos os equipamentos, passaremos à próxima etapa. 
Como identificar o objeto direto? 
 Já o objeto direto se refere a alguém ou a algo que não produz a ação, mas sofre suas consequências:
Exemplo: 
 
 O homem concluiu seus estudos em agosto. 
Para melhor identificar o objeto direto, devemos perguntar ao verbo: Concluir o quê? A resposta será o objeto direto.
 
 O objeto direto também pode ser uma oração:
Exemplo: 
 
 O médico cogitou saber o que o paciente pretendia.