A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Resumo células do sistema imune e diferenças entre o sistema imune inato x adaptativo.

Pré-visualização | Página 1 de 1

SISTEMA  IMUNE E 
SUAS CÉLULAS 
 
DAMPS: Padrões moleculares 
associados a danos. 
PAMPS: Padrões moleculares 
associados a patógenos. 
Sistema imune: proteção contra infecção, 
impede crescimento tumoral, depuração 
de células mortas, reparo tecidual, etc. 
 
IMUNIDADE INATA​: Proteção imediata, 
filogeneticamente mais velha. 
 
IMUNIDADE ADAPTATIVA: Lenta, 
defesa ESPECIALIZADA, requer 
diferenciação dos linfócitos em resposta 
aos microorganismos. Consiste nos 
linfócitos e seus produtos. Pode ser 
humoral ou celular. Características: 
especificidade, diversidade, memória, 
expansão clonal, contração e 
homeostase e não reatividade ao próprio 
(problemas de algumas doenças 
autoimunes, veremos em outros 
resumos). 
Antígeno: Qualquer substância específica 
reconhecida pelos linfócitos ou por seus 
anticorpos. 
 
IMUNIDADE ADAPTATIVA HUMORAL: 
Mediada por anticorpos produzidos pelo 
linfócito B. Não consegue reconhecer 
patógenos intracelulares. 
 
IMUNIDADE ADAPTATIVA CELULAR: 
mediada por linfócitos T, consegue ativar 
fagócitos para destruir patógenos 
intracelulares. Reconhece os antígenos 
microbianos na superfície celular 
hospedeira. 
 
Linfócito T auxiliar​: eliminação de 
microorganismo fagocitado. 
 
Linfócito T citotóxico​: morte celular e 
eliminação do reservatório de infecção. 
Células dendríticas: muitas projeções 
que proporcionam o aumento da 
superfície de contato, além de ter maior 
concentração de receptores. Reconhece 
danos. 
 
Micróglia: ​vigilância do SNC, com 
função fagocitária. O corpo celular é 
alongado com prolongamentos. 
 
Macrófago: ​fagócito, forma madura do 
monócito e tem maior concentração de 
lisossomos que o monócito. Encontra-se 
localmente no tecido e após a fagocitose 
sinaliza para outras células. 
 
Mastócitos: ​Teciduais, próximo à vasos, 
é ativado com estresse mecânico e tem 
peptídeos antimicrobianos. 
 
Eosinófilos: ​Desgranulação e 
fagocitose. Alta concentração na 
mucosa, poucas no sangue. Pode ligar 
IGE -> importante em alergias. Os 
eosinófilos agem também em infecções 
parasitárias. 
 
Linfócitos T: ​amadurecem no timo, 
fagocitários de patógenos intracelular. 
 
Linfócitos B: ​amadurecem na medula 
óssea, fagocitários mas não reconhecem 
o patógeno intracelular. 
 
Neutrófilo: ​É o primeiro leucócito que 
chega na inflamação e morre após fazer 
a fagocitose. É um granulócito 
microbicida (lactoferrina, lisozima, 
proteases como a do lisossomo, 
mieloperoxidase, mediadores 
inflamatórios, peroxidação). 
 
Monócito: ​célula que circula no sangue, 
é mononuclear e considerada um 
“fagocito profissional”. Sua função é 
eliminar o patógeno e liberar mediadores 
inflamatórios e anti-inflamatórios para 
comunicar outras células. 
Natural Killer (NK): Forma esférica com 
grânulos citotóxicos (granzima e 
perforina), detecta o vírus dentro da 
célula e induz a apoptose. 
 
Hematopoiese: célula-tronco 
hematopoiética se autoduplica por mitose 
e se diferencia em dois tipos de 
precursores de células do sistema imune: 
precursor linfóide (pode originar linfócitos 
B, T e células NK) ou precursor mielóide 
(pode originar monócitos, granulócitos e 
células dendríticas) 
 
Granulócitos: Neutrófilo, mastócitos 
(basófilo) e eosinófilos. 
Monócitos: no tecido se diferenciam em 
macrófagos. 
 
Lactoferrina: tem ação antibacteriana, 
absorve ferro, antioxidante, etc. Potencial 
antioxidativo. Reduz a produção de 
interleucinas inflamatórias, estimula a 
imunidade inata e otimiza a resposta 
imune adaptativa. 
 
Existem patógenos resistentes à 
fagocitose e há algumas doenças 
genéticas em que não há NADH-oxidase, 
a criança nasce suscetível à bactérias e 
patógenos. 
 
Granzima (A, B, C, H, K E M): cada 
granzima usa um mecanismo. Um 
exemplo é o dano oxidativo em bactérias 
por clivagem da cadeia de transporte de 
elétrons. Granzima B -> ativa caspase, 
induzindo a apoptose de células 
infectadas por vírus. 
 
Perforina -> proteína citotóxica formadora 
de poros. Só é liberada após o 
reconhecimento do antígeno na 
superfície da célula-alvo.