A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Medula espinhal

Pré-visualização | Página 2 de 2

■ fibras do grupo lateral
se dirigem ao ápice da
coluna posterior
■ fibras do grupo
medial se dirigem à
facee medial da
coluna posterior
○ sinapses com neurônios
motores (arco reflexo simples)
○ sinapses com neurônios
internunciais (arco reflexo
polissináptico)
○ sinapses com neurônios
cordonais (arcos reflexos
intersegmentares)
○ sinapses com neurônios pré
ganglionares (arcos reflexos
viscerais)
○ sinapses com neurônios
cordonais de projeção
○ divisão das vias
■ funículo anterior
■ funículo lateral
■ funículo posterior
Exercícios coluna vertebral e medula espinhal
Aluna: Victoria Karoline
Libório Cardoso, turma 2/C
1. Quais os limites da
Medula Espinhal?
R = Ínicio no forame magno/medula
oblonga e final no cone medular/L2
2. Quais as membranas que
recobrem a Medula
Espinhal (e o SNC como
um todo)?
R = Dura-máter, aracnóide e pia-máter.
3. Qual a diferença entre a
Raiz Dorsal e Raiz
Ventral em termos de
modalidade de
informação?
R = A raiz dorsal (que é a posterior) possui
os nervos sensitivos e a raiz ventral (que é a
anterior) possui os fibras motoras.
4. Quais os principais sulcos
da Medula Espinhal?
R = Sulco mediano posterior, sulco
intermédio posterior, sulco lateral anterior,
sulco lateral posterior e fissura mediana
anterior.
PS: na medula cervical inclui o septo
intermédio
5. Como se explica a
diferença entre os
segmentos medulares e
vertebrais no adulto?
R = A diferença se dá pelos ritmos de
crescimento diferentes entre os segmentos.
Assim, quanto mais caudal mais há
alongamento das raízes e menor será o ângulo
que elas fazem com a medula.
PS: a coluna vertebral cresce mais rápido que
a medula espinhal, fazendo com que no
adulto a medula termine em nível de L2
6. O que é Dermátomo?
R = São as regiões da pele inervadas pelos
diferentes pares de nervos que emergem da
coluna vertebral. Existem 31 pares diferentes
de nervos e então 31 dermátomos espalhados
por todo o corpo:
● Membros inferiores: regiões inervadas
pelos nervos mais baixos, de L1 a S1;
● Membros superiores: inervados pelos
nervos de C3 a T1;
● Tórax: inervado por nervos de T2 a
T12;
● Rosto e cervical: inervados pelo nervo
trigêmeo de C1, mas também
possuem inervação de C2.
Os dermátomos são utilizados para identificar
a presença de alterações ou compressões na
medula, pois, caso surjam alterações anormais
na pele, é mais fácil identificar qual o local da
medula em que pode estar o problema, de
acordo com a região da pele afetada.
7. Quais os funículos
presentes na substância
branca da medula?
R = A substância branca é formada por
fibras, a maioria delas mielínicas e podem ser
agrupadas de cada lado em três funículos:
● Funículo Anterior: entre a fissura
mediana anterior e o sulco lateral
anterior.
● Funículo Lateral: entre os sulcos
lateral anterior e o lateral posterior.
● Funículo Posterior: entre o sulco
lateral posterior e o sulco mediano
posterior, este último ligado a
substancia cinzenta pelo septo
mediano posterior. Na parte cervical
da medula o funículo posterior é
dividido pelo sulco intermédio
posterior em fascículo grácil e
fascículo cuneiforme.
8. Quais os Tratos
Descendentes da Medula?
R = Trato corticoespinhal - A maiora das
fibras cruza para o lado contralateral ao nível
da decussação das pirâmides e se torna o
trato corticoespinhal lateral, enquanto o
resto se torna os tratos corticoespinhais
anteriores, cruzando ao nível do destino final
da via. São emitidos ramos para o córtex
cerebral, os núcleos da base, o núcleo rubro,
os núcleos olivares e a formação reticular. No
destino final da via são formadas sinapses
com interneurônios e neurônios motores alfa,
e assim a informação passa do sistema
nervoso central para a periferia, o que por sua
vez cria movimentos voluntários rápidos e
habilidosos, especialmente nas extremidades
distais dos membros.
Trato reticuloespinhal - esse trato cruza em
vários níveis e se ramifica continuamente
conforme as fibras descendem. Elas
finalmente formam sinapses nos neurônios
motores alfa e gama para produzir a iniciação
ou inibição de movimentos voluntários, dos
quais o hipotálamo possui controle do
estímulo simpático e parassimpático.
Trato tectoespinhal - cruzam rapidamente
para o lado contralateral uma vez que eles são
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/cortex-cerebral
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/cortex-cerebral
liberados, não se sabendo se eles emitem ou
não ramos. Elas formam sinapses da mesma
maneira que as fibras do trato
reticuloespinhal, e refletem movimentos
posturais relacionados à visão.
Trato rubroespinhal - participa em assumir as
funções do trato corticoespinhal após uma
lesão do mesmo. Ele pode também possuir
papel na postura em flexão das extremidades
superiores, que é tipicamente observada em
lesões acima do núcleo rubro.
Trato vestibuloespinhal - descende sem cruzar
ao lado oposto até que atinja os mesmos
neurônios motores mencionados nos últimos
dois tratos. Ele também é semelhante aos
tratos tectoespinhal e rubroespinhal em
relação à emissão de ramos. Sua função é
exatamente a oposta do trato rubroespinhal.
Trato olivoespinhal - se origina nos núcleos
olivares inferiores e que ele cruza para o lado
oposto em algum lugar no tronco encefálico.
9. Quais os Tratos
Ascendentes e que
Modalidade carregam?
R = Controlam as vias somatossensitivas e
os músculo-articulares proprioceptivos. São
eles:
● Trato espinotalâmico lateral: para dor
e a temperatura.
● Trato espinotalâmico anterior: para
estímulo ou sensação de toque leve
ou pressão.
● Coluna branca posterior: fascículos
grácil e cuneiforme: toque
discriminativo, vibração e
propriocepção músculo-articular.
● Trato espinocerebelar posterior:
percepção inconsciente = sensação de
músculos e articulações,
10. Faça um desenho em
corte axial da medula
espinhal com os
principais tratos
ascendentes e
descendentes.
R = Caderno.
PARCIAL
1. Quais os limites cranial e caudal,
respectivamente , da medula
espinhal?
R = O limite cranial é o bulbo, ao nível do
forame magno e o limite caudal é entre L1 e
L2, formando o cone medular.
2. Quais os funículos da Medula
Espinhal?
R = Funículo Anterior: está entre a
fissura mediana anterior e o sulco lateral
anterior.
Funículo Lateral: está entre os
sulcos lateral anterior e o lateral posterior.
Funículo Posterior: está entre o
sulco lateral posterior e o sulco mediano
posterior (ligado a substância cinzenta pelo
septo mediano posterior). Na parte cervical da
medula o funículo posterior é dividido pelo
sulco intermédio posterior em fascículo grácil
e fascículo cuneiforme.
3. Quais os principais sulcos e fissuras
da Medula Espinhal?
R = Sulco mediano posterior, sulco intermédio
posterior, sulco lateral posterior, sulco lateral
anterior, fissura mediana anterior.
4. Qual o principal Trato Descendente
(Motor) da Medula Espinhal?
R = Trato corticoespinhal, que transporta
informações sobre movimentos voluntários
dos córtices motores primários e secundários
para a periferia.
5. Quais os principais Tratos
Ascendentes (Sensitivos) da Medula
Espinhal e qual modalidade sensitiva
eles levam?
R = Trato espinotalâmico lateral: modalidade
sensitiva para dor e temperatura.
Trato espinotalâmico anterior: modalidade
sensitiva para estímulo ou sensação de toque
leve ou pressão.
Coluna branca posterior - fascículos grácil e
cuneiforme: modalidade sensitiva para toque
discriminativo, vibração e propriocepção
músculo-articular.
Trato espinocerebelar posterior:
modalidade sensitiva de percepção
inconsciente = sensação de músculos e
articulações.
Trato espinocerebelar anterior: modalidade
sensitiva de propriocepção inconsciente,
transmite informações do corpo para o
cerebelo.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.