A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Resenha: COTRIM, G Hegel e Comte: a filosofia no século XIX

Pré-visualização|Página 1 de 1

Resenha: COTRIM, G. Hegel e Comte: a filosofia no século XIX.


Diferente dos textos anteriormente estudados esse se inicia já com o nome de um dos pensadores relevantes, mas assim como os outros apresenta uma introdução ao período histórico e seu contexto relevante para o entendimento.

Hegel e sua história é o ponto de início desse capitulo, o que é adequado, pois ele dava grande importância a história e tentou conciliar a história com a filosofia, reestruturando o método dialético com essa intenção, dividindo em tese (o indivíduo), a antítese (o povo) e a síntese ( o Estado). No final ele dizia que a filosofia terá a tarefa de compreender aquilo que é, mas não pode afinal dizer como o mundo deve ser, pois ela vem sempre depois.

O positivismo de Augusto Comte vêm a seguir no texto, marcado pelo culto da ciência de do método cientifico. É o reflexo do entusiasmo burguês pelo capitalismo e o desenvolvimento técnico-industrial. O autor entra então na história de Comte, como isso afetou suas teorias como a Lei dos três estados, e então apresenta as características gerais do positivismo.

A classificação das ciências de acordo com Comte é exposta antes de passarmos para a reforma da sociedade proposta por ele, que dizia que a grande tarefa da filosofia positivista era restabelecer a ordem na sociedade capitalista industrial, restaurar os valores da sociedade tradicional europeia que se perderam na Revolução Francesa.

Em geral esse capitulo pode ser conspirado rico em conhecimento, mas mais cansativo que os anteriores pelo grande enfoque dado a Comte e ao positivismo.