A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
O sistema único de saúde

Pré-visualização | Página 2 de 2

Saúde (2006) 
➼ Os municípios agora assinavam pacto de metas. 
➼ Foi no período do Lula 
 
▸ Pacto pela vida: assegurar os recursos necessários em busca de resultados na área da saúde. 
▸ Pacto em defesa do SUS: mobilização da sociedade na defesa do direito à saúde 
▸ Pacto de gestão do SUS 
 
Pacto pela vida - prioridades 
◦ Saúde do idoso: garantir algumas coisas para o idoso, como atendimento. 
◦ Promoção da saúde 
◦ Câncer de mama e de útero: atingir cobertura de 80% para o exame preventivo; ampliar para 
60% a cobertura da mamografia. 
◦ Fortalecer a capacidade de resposta dos sistemas à doenças emergentes e endemias: 
dengue, hanseníase, malária, tuberculose, influenza. 
◦ Atenção básica à saúde: adotar a Estratégia Saúde da Família 
◦ Reduzir a mortalidade neonatal em 5%. Em 50% as doenças diarréicas e 20% de pneumonia. 
◦ Saúde do trabalhador 
◦ Saúde mental 
◦ Saúde do homem 
◦ Fortalecimento da capacidade de resposta do sistema de saúde às pessoas com deficiência. 
◦ Atenção integral às pessoas em situação de risco 
 
Pacto em defesa do SUS 
◦ Reforçar o SUS como política de Estado e não de Governos. 
◦ Defender os princípios basilares dessa política 
◦ Principais ações: aprovação do orçamento do SUS, explicitando cada uma das esferas do 
Governo. 
◦ A população pedia a criação de cartilhas para orienta-los sobre os seus direitos em relação ao 
SUS. 
 
Pacto de gestão do SUS 
◦ Definir a responsabilidade em cada instância de governo. 
◦ Estabelecer as diretrizes para a gestão do SUS: descentralização, regionalização, 
financiamento, planejamento, programação pactuada integrada, regulação, controle social, 
gestão do trabalho, educação na saúde 
 
 
E na caminhada de aperfeiçoamento do SUS chegamos na Política Nacional de Atenção Básica 
à Saúde, um resultado de experiências acumuladas de vários atores envolvidos com a 
consolidação do SUS como movimentos sociais, usuários trabalhadores e gestores. 
 
 * 80% dos casos deve ser resolvido na Atenção Básica 
 * 20% para atenção secundária e terciária 
 
Política Nacional de Atenção Básica 
 
PORTARIA Nº 2.488, DE 21 DE OUTUBRO 2011 
Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas 
para a organização da atenção básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de 
Agentes Comunitários de Saúde (PACS). 
 
Dos princípios gerais da atenção básica 
✓ É desenvolvida por meio do exercício de práticas gerenciais e sanitárias democráticas e 
participativas, sob forma de trabalho em equipe, dirigidas a populações de territórios bem 
delimitados, pelas quais assume a responsabilidade sanitária. 
✓ Tecnologias de elevada complexidade e baixa densidade (equipamentos simples), que 
devem resolver os problemas de saúde de maior frequência e relevância em seu território. 
✓ Atenção Básica tem a Saúde da Família como estratégia prioritária para sua organização de 
acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde. 
 
Áreas estratégicas da Atenção Básica 
✓ Eliminação da hanseníase 
✓ Controle de tuberculose 
✓ Controle da hipertensão arterial 
✓ Controle do diabetes mellitus 
✓ Eliminação da desnutrição infantil 
✓ Saúde da criança, a saúde da mulher, a saúde do idoso 
✓ Saúde bucal 
✓ Promoção de saúde 
 
O que contém essa portaria de 2011? 
• Reconhecimento dos diversos formatos de equipes para diferentes populações e realidades 
do Brasil 
• Acordo com as indústrias e escolas para uma alimentação mais saudável e implantação de 4 
mil polos de academia da saúde. 
• Ampliação do número de municípios que podem ter NASF 
• Simplificou e facilitou as condições para que sejam criadas UBS fluviais e ribeirinhas. 
• Define as RAS como estratégia para um cuidado integral 
• Ampliação das ações intersetoriais e de promoção de saúde com PSE (Programa de Saúde 
nas escolas) e sua ampliação para as creches. 
• Equipes de atenção básica para população em situação de rua (consultórios de rua) 
 
 
PNAB 2017 - Portaria 2636 de 21 de setembro de 2017 
• A ESF não é mais a única opção de modelo para a atenção primária. Outras 
composições podem fazer parte da atenção como a equipe de atenção básica. 
• Os agentes comunitários de saúde (ACS) não são obrigatórios na composição 
das equipes de atenção básica 
• O modelo sem ACS não pode ser aplicado em áreas de risco e vulnerabilidade. 
• O atendimento será feito em qualquer unidade de saúde, não mais vinculado ao 
endereço. 
• Fortalecimento da figura do gerente da unidade e garantia de cartilha mínima de 
serviços. 
• O ACS deverá realizar técnicas limpas de curativo, inclusive em domicílio 
• Prontuário eletrônico 
• Carga horária mínima de 10h para o profissional da EAB 
• Unificação do ACS e ACE. 
 
Decreto 7.508/2011 
ღ Define a APS como a principal porta de entrada 
ღ Estabelece requisitos mínimos para a definição de regiões de saúde 
ღ Impõe metas e indicadores para a saúde 
ღ Contrato Organizativo da Ação Pública - COAP 
 
RENASES - Relação internacional de Ações e Serviços de Saúde e Relação Nacional de 
medicamentos Essenciais * Os medicamentos que são dados no posto 
 
Níveis de Organização do Espaço da Gestão Interfederativa do SUS 
 
Programa Mais Médicos - 2013 
❅ Levar mais profissionais para regiões com maior necessidade; 
❅ Estímulo à formação profissional 
❅ Financiamento do Ministério da Saúde 
 
PEC 241 (Câmaras dos deputados) ↔ PEC 55 (Senado federal) 
 
 ↓ 
 
UNIÃO (Congelamento de recursos por 20 anos) 
Teto para orçamento fiscal e seguridade social 
Saúde (universal), assistência social (seletivo) e previdência (para quem contribui)