A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Série - Sessão de Terapia/ T1 Ep1- Júlia - Sessão 01 e T1 Ep20- Theo - Sessão 04

Pré-visualização|Página 1 de 1

Série - “Sessão de Terapia”

T1 E1- Júlia - Sessão 01

T1 E20- Theo - Sessão 04

Comentário sobre os episódios acima:

A série “Sessão de terapia” mostra a relação entre paciente e terapeuta em uma situação conturbada para ambos. Theo, o terapeuta se apresenta sempre neutro nos atendimentos com Júlia, mas por dentro, seus sentimentos lutam contra um sentimento chamado “amor”. Júlia, a paciente, com uma infância conturbada com a perda de sua mãe e a convivência com seu pai, deixa marcas em seu presente, resultando em seu estilo de vida atual, sendo moldada como uma mulher sedutora, que por algum motivo levou ela a agir desse modo, visto na transferência erótica com o terapeuta, na qual diz ser apaixonada por ele, na qual a transferência torna-se uma forma de resistência por parte dela, fazendo com que seja um obstáculo, que inconscientemente se coloca no caminho do tratamento, dificultando-o, não sendo diferente na vida fora do local de terapia.

Theo, o terapeuta, por conta de seus sentimentos no episódio 20, teve uma conversa com sua terapeuta Dora; na terapia Theo faz questionamentos em relação a ética profissional, e por acreditar em seu amor por Júlia, ocorre uma divergência. 

Mas Theo, ao se encontrar novamente com Júlia, consegue se controlar e também fazer o uso da transferência de Júlia a seu favor, para mostrar o que ela faz consigo mesmo e o porque faz, e no momento em que ele apresenta-se estar conseguindo manter-se eticamente diante de Júlia, Theo capta as mensagens da mesma ao relatar sua história de sua primeira relação sexual com um homem de uns 40 anos, e com sua ética, Theo começa a explorar o caso. 

 Portanto é fundamental que o terapeuta siga com a ética profissional, possibilitando a abertura para capturas de mensagens em que o paciente lança para o terapeuta, caso contrário, estar envolvido, cegamente o terapeuta se envolve com o emocional do paciente e acaba não o ajudando e sim prejudicando ainda mais, reprimindo todo aquele sentimento novamente no corpo do paciente. Eticamente e como ser humano é importantíssimo não se envolver pessoalmente/emocionalmente com a questão, pois a evolução do tratamento será bem sucedida.

Pois a transferência do paciente para o terapeuta pode ser uma forma inconsciente de não querer se aprofundar no caso, onde a transferência erótica, ou seja, sua sedução é o meio de bloqueio daquilo que não quer sentir, refletir e enfrentar, para que assim possa resolver o problema.

Ressaltando que, se uma pessoa está em um consultório terapêutico, ela está a procura de ajuda, e o terapeuta ao analisar o comportamento, deve captar as mensagens lançadas a ele e caso aconteça uma transferência, ou seja, do paciente se apaixonar pelo terapeuta, isso não significa que seja real, até possa ser um sentimento verdadeiro, mas trata-se de uma fantasia, e o certo a fazer é juntar toda essa transferência e associar a tal situação em que o paciente precisa falar ou que inconscientemente se manifesta, como expressões, tanto verbais quanto corporais, sendo pistas para ajudar no problema do paciente. Pois é antiético se envolver com pacientes, por isso deve-se ser trabalhado com muito cuidado.

 Transferência/Psicanálise/Clínica Psicanalítica 

Bárbara Nunes

Psicologia

Sessão de Terapia/Globo Play