A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Correção PET 2 História 2021 7º ano PDF

Pré-visualização | Página 1 de 7

9595
PLANO DE ESTUDO TUTORADO
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS
SEMANA 1
UNIDADE (S) TEMÁTICAS: 
O mundo moderno e a conexão entre sociedades africanas, americanas e europeias.
OBJETO (S) DE CONHECIMENTO: 
A construção da ideia de modernidade e seus impactos na concepção de História.
HABILIDADE(S): 
(EF07HI01) Explicar o significado de “modernidade” e suas lógicas de inclusão e exclusão, com base 
em uma concepção europeia.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: 
- A transição da Idade Média para a Idade Moderna.
- A crise do sistema feudal e a centralização do poder real.
- Características do Estado Moderno.
- Feudalismo e Capitalismo.
- O sistema capitalista.
INTERDISCIPLINARIDADE: 
Geografia.
TEMA: A CRISE DO FEUDALISMO E O SURGIMENTO DO CAPITALISMO.
Caro(a) estudante, nessa semana você vai identificar quais as principais características do feudalismo 
e analisar as principais causas da crise do sistema feudal, relacionando as questões com o surgimento 
da classe burguesa. Bons estudos!
COMPONENTE CURRICULAR: HISTÓRIA
ANO DE ESCOLARIDADE: 7º ANO
PET VOLUME: 02/2021
NOME DA ESCOLA:
ESTUDANTE:
TURMA: 
NÚMERO DE AULAS POR SEMANA: 
TURNO:
TOTAL DE SEMANAS: 
NÚMERO DE AULAS POR MÊS: 
96
BREVE APRESENTAÇÃO 
O período que conhecemos como Idade Média se estendeu do século V com o fim do Império Romano do 
Ocidente ao século XV com o fim do Império Romano do Oriente. Nesses mil anos de história, a Europa 
passou por diversas mudanças políticas, econômicas e culturais. Por isso dividem-na em duas partes: 
a Alta Idade Média que se caracteriza pela formação dos feudos e do sistema feudal e a Baixa Idade Mé-
dia, que é quando o sistema feudal entra em crise e dá origem ao sistema capitalista. Veremos a seguir 
como ocorreu esse processo de transformação.
Com o fim do Império Romano do Ocidente, a Europa se fragmenta em diversos reinos comandados por 
povos germânicos. Um desses reinos se destaca, era o reino dos Francos, que se localizava onde hoje 
é a França. Um de seus reis, Carlos Magno, consegue unir o território e criar um novo império sob seu 
domínio. Para ajudar a governar, ele contava com ajuda de cavaleiros, que recebiam em troca porções 
de terra, além disso contava com o apoio da instituição mais poderosa naquele momento: a Igreja Ca-
tólica. Essa prática de Carlos Magno dá origem a uma relação com a terra que é chamado de sistema 
feudal. Nele, as relações sociais eram baseadas na posse de terras, nas trocas de favores por lealdade 
e na falta de mobilidade social.
Com a morte de Carlos Magno, o território se fragmenta novamente e se inicia uma relação em que o rei 
(chamado também de suserano) doava terras a outros nobres (chamado de vassalo) e em troca recebia 
sua fidelidade. Essa troca era chamada de relação de suserania e vassalagem. Essas terras doadas 
eram chamadas de feudos, por isso o nome do sistema. Outra forma de aliança entre nobres era o casa-
mento, celebrado entre os pais dos noivos para ampliar ou manter as posses de suas famílias.
A sociedade feudal era dividida em três estamentos (grupos sociais sem mobilidade social):
a) A nobreza ou os que guerreiam: eram responsáveis por administrar e proteger os feudos.
b) O clero ou os que oram: eram os membros da Igreja Católica como padres, bispos e monges
que tinham a função de orar.
c) Os servos ou os que trabalham: eram camponeses que trabalhavam no campo em troca de
proteção.
No século XI, a Igreja Católica decide iniciar uma batalha com os muçulmanos para tomar a cidade de 
Jerusalém, pois ela seria sagrada para os cristãos. Vários nobres foram convocados para essa batalha, 
que se transformou em uma grande Guerra Santa. Vários exércitos de nobres partiram para a terra sa-
grada para reconquistá-la. Devido a sua roupa que tinha uma cruz vermelha destacada, esse movimento 
ficou conhecido como Cruzada. Muitos nobres morreram nessas batalhas e os poucos que voltaram já 
não tinham a mesma força militar nem política que antes.
Devido ao enfraquecimento do poder dos nobres, os reis centralizam o poder em suas mãos. Essa cen-
tralização contou com a ajuda de uma nova classe que surgia naquele momento, a burguesia. Os bur-
gueses eram comerciantes e artesãos que se enriqueceram e se tornaram uma força concorrente a dos 
nobres. Esse processo deu início à mudança da Alta para a Baixa Idade Média.
A classe burguesa ajudava a financiar os desejos dos reis, mantendo-se assim do seu lado e garantin-
do benefícios como a diminuição de impostos e recebimento de títulos de nobreza. Essa aliança daria 
frutos e se tornaria o embrião para o desenvolvimento do capitalismo, que se caracteriza pelo acúmulo 
de capital. 
PARA SABER MAIS: 
Dicas de filmes:
• Cruzada, 2005 – dirigido por Ridley Scott;
• Coração de Cavaleiro, 2001 – dirigido por Brian Helgeland;
• Shrek, 2001 – dirigido por Andrew Adamson;
97
• Rei Arthur: a lenda da espada, 2017 – dirigido por Guy Ritchie;
• Robin Hood: A origem, 2018 – dirigido por Otto Bathurst
Dica de jogos: 
• Age of Empires, 1997 – desenvolvido pela Microsoft;
• Reigns, 2016 – desenvolvido pela Nerial;
Dica de vídeo: 
IDADE MÉDIA: Peste Negra; Guerra dos 100 anos; e Surgimento da Burguesia #9. Disponível em: <ht-
tps://www.youtube.com/watch?v=cQf8YHHWx_M>. Acesso em: 09 abr. 2021.
ATIVIDADES
1. A sociedade feudal era bem fechada e possuía pouca mobilidade social. Identifique e explique a
função dos estamentos.
Estamento Função
2. O sistema feudal começa a surgir no reino dos francos por volta do século VII, mas entra em crise
3. Uma das principais características do feudalismo é a relação de suserania e vassalagem. ANALISE 
como funcionava essa relação.
Servos (Camponeses) Trabalhar para o sustento de toda a sociedade.
Nobreza Prestar serviços militares e proteger a comunidade.
Clero Rezar e proteger espiritualmente a sociedade.
a partir do século XI. EXPLIQUE o que fez o sistema feudal entrar em crise.
A crise do sistema feudal se explica pelo renascimento urbano, renascimento comercial e principalmente 
com o processo de centralização do poder político nas mãos dos reis. Esses fatores enfraqueceram 
os senhores feudais e deram início ao processo de Formação dos Estados Nacionais.
A relação de suserania e vassalagem era uma necessidade da sociedade feudal que vivia
constantemente em guerra, reforçada pelo poder social, político e econômico de quem era
proprietário de terras. O suserano era o nobre que cedia um feudo (lote de terra) a outro nobre em
troca de serviço militar. O vassalo, por sua vez, ao receber o feudo do suserano ficava devendo a ele
lealdade e principalmente serviço militar sempre que necessário.
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
jenergoncalves
Realce
98
4. Por volta do século XI começa a surgir na Europa a burguesia. EXPLIQUE o que era a burguesia.
5. Leia o texto:
“Que ali a mulher tenha sido uma inferior, é algo sobre o que não há dúvida. Nesta sociedade militar 
e viril, com a subsistência sempre ameaçada, e onde, por conseguinte, a fecundidade era antes
uma maldição [...] do que uma bênção, a mulher não era honrada. E parece que o Cristianismo
pouco fez para melhorar sua posição material e moral. Ela é a grande responsável pelo pecado
original.”
LE GOFF, Jacques. A civilização do ocidente medieval. Bauru: Edusp, 2005, p. 285.
O nome burguesia vem do nascimento das primeiras cidades durante o feudalismo que se chamavam
Burgos. Os burgos eram cidades