ESTACIO-1-Mod-dados
16 pág.

ESTACIO-1-Mod-dados

Disciplina:MODELAGEM DE DADOS1.308 materiais24.143 seguidores
Pré-visualização2 páginas
s componentes e outras vezes quando nos referimos somente aos seus componentes;

Atributos mono-valorados: um atributo é mono-valorado quando ele determina no máximo um valor de um determinado domínio;

Atributo multi-valorado: um atributo é multi-valorado quando ele determina diversos valores (n) de um domínio;

Atributo opcional: um atributo é opcional quando uma dada entidade ou relacionamento não tiver valores de um domínio a eles associados. Atributos opcionais são atributos que aceitam o valor nulo. Nulo é um valor especial, usado para representar "valor desconhecido" ou "valor não aplicável". Não sendo a mesma coisa que espaço vazio ou zero; e

Atributo mandatório (obrigatório): um atributo é mandatório quando uma dada entidade ou relacionamento tiver pelo menos um valore de um domínio a eles associado.

�

�
	RESUMO DOS OBJETOS DE DADOS

	

ENTIDADE
	Entidade é "qualquer coisa" do mundo real que possui uma existência independente. Uma entidade pode ser um objeto com existência física: uma pessoa em particular, um carro, uma casa ou um empregado, ou pode ser um objeto com uma existência meramente conceitual: uma companhia, um curso numa universidade.

	ENTIDADE

TIPO
	Uma entidade-tipo é uma classe ou conjunto de entidades que possuem as mesmas características.

	RELACIONAMENTO
	Um relacionamento é uma associação, com um significado, entre entidades.

	
RELACIONAMENTO

TIPO
	Um relacionamento tipo é uma classe ou conjunto de associações ou instâncias de relacionamento-tipo (relacionamentos) entre entidades pertencentes a entidades tipo.

	

VALOR
	É um símbolo que pode ser conotado a um elemento de um conjunto, ou seja, é uma concatenação ou agregação de caracteres que possibilita a representação simbólica. É a abstração mais elementar dentro do modelo ER.

	

ATRIBUTO
	Um atributo define um subconjunto de um conjunto de valores sobre um domínio definido por uma função de atribuição e que visa representar características ou propriedades de entidades-tipo ou relacionamentos-tipo.

É uma propriedade ou característica de uma entidade tipo ou de um relacionamento tipo, que auxiliam no entendimento desses. Um atributo define um conjunto de valores válidos para propriedades ou características de uma entidade tipo ou de um relacionamento tipo.

Exemplo 1

�

�

�

�

�

�

Exemplo 2

�

�
Exemplo 3

�

Exemplo 4

�

�
Construtores de objetos de dados

Possibilitam a construção dos objetos de dados vistos anteriormente.

	CONSTRUTORES DE OBJETOS DE DADOS

	 CONSTRUTORES

 BOTTOM-UP
	 CONSTRUTORES TOP-DOWN

	 CLASSIFICAÇÃO
	INSTANCIAÇÃO

	 GENERALIZAÇÃO
	 ESPECIALIZAÇÃO

	AGREGAÇÃO
	 PARTICIONAMENTO

Construtores "BOTTOM-UP"

Construtor de Classificação (c): permite a construção de classes a partir de um conjunto de valores elementares do mesmo tipo (inteiros, reais, strings, ...) ou de agregados construídos;

Construtor de Agregação (a): Permite a construção de elementos agregados (compostos) a partir de outros elementos ou de classes agregadas (compostas) a partir de outras classes, sendo os elementos ou classes iniciais considerados como componentes ou partes da classe ou do elemento final. Os atributos da classe agregada são a união dos atributos das classes componentes; e

Construtor de Generalização (g): permite a construção de classes genéricas a partir de classes específicas. Os atributos da classe genérica são a interseção dos atributos das classes específicas.

Construtores "TOP-DOWN":

Construtor de Instanciação (i): permite a construção de elementos a partir de uma classe, é inverso ao construtor de classificação;

Construtor de Particionamento (p): permite a construção de elementos a partir de elementos agregados e classes a partir de classes agregadas, é inverso ao construtor de agregação; e

Construtor de Especialização (e): permite a construção de classes específicas a partir de classes genéricas, é inverso ao construtor de generalização.

Componentes para modelagem de restrições sobre objetos e

operações
A presente extensão de modelo entidade relacionamento apresenta as seguintes restrições de integridade.

Restrições de integridade a nÍvel de objetos de dados

Restrições de integridade inerentes a atributos

Restrição de Integridade de Tipo de domínio ::= < INTEIRO, REAL, TEXTO, ... , m, cm, mm, kg, ton, Cz$, ... , domínios temporais { ..., segundo, minuto, hora, dia, mês, ano, século, data(dd/mm/aa), ...},..>

Restrição de Integridade de Intervalo de Valores ::= ( LIM_SUP , LIM_SUP )

Restrição de Integridade de Valores Discretos ::= { VALOR1, VALOR2, ... VALORn }

Restrição de Integridade de Formato de elemento de domínio

Restrição de Integridade de unicidade: a cada atributo pode ser associada uma restrição de unicidade que irá dizer se possui valores únicos dentro de um determinado domínio.

Restrição de cardinalidade: as cardinalidades são representadas por um par de valores (m,n) que especificam se o atributo é obrigatório (m=1) ou no (m=0) e também se é multivalorado (n>1) ou no (n=1). Sua semântica é a seguinte: "O atributo X participa da entidade Y no mínimo m vezes e no máximo n vezes". Se nada for declarado com relação a esta cardinalidade, assume-se o valor (0,1). Ex: Um pessoa tem no mínimo 0 telefones e no máximo n telefones < (0,n) >.

Restrições de integridade inerentes a entidades-tipo

Restrição de identificação: procura estabelecer para cada entidade-tipo qual é o seu identificador(chave-primária), ou seja que conjuntos de atributos e/ou relacionamentos tipo, identificam as entidades de uma entidade-tipo qualquer;

Restrição de Tipo de Entidade Generalizada: esta restrição é associada a uma entidade que é generalização de outras entidades, sendo representada por um par (V1,V2), onde V1 indica se a entidade genérica possui alguma instância que no pertence a suas especializações. Se possuir diz-se que a generalização é parcial e V1 := P, caso contrário será total e V1 := T. O valor V2 indica se a generalização é exclusiva, ou seja, se uma instância da entidade genérica só aparece como instância de no máximo de uma especialização desta, neste caso V2 := E, caso contrário V2 := S, indicando uma sobreposição nas especializações.

Restrições de Integridade Inerentes a Relacionamentos Tipo

Restrição de cardinalidade: é representado por um par de valores que quando associado aos relacionamentos possuem a seguinte semântica: A entidade X participa do relacionamento Y no mínimo m vezes e no máximo n vezes. Se nada for declarado com relação a esta cardinalidade, assume-se o valor (0,n). Ex: Uma pessoa pode se matricular em no mínimo 0 matérias e no máximo em sete matérias - (0,7).

Restrição de Função ou Palpel: este descritor é específico para os auto-relacionamentos, sendo um complemento indispensável para o conhecimento de sua semântica. Seu objetivo é definir precisamente a função dos componentes na associação resultante.

		�INETEP – INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, TECNOLOGIA E PESQUISA

_904655011.unknown

_904655642.unknown

_904655947.unknown

_904656285.unknown

_904656523.unknown

_904656832.unknown

_942991059.unknown

_904656873.unknown

_904656568.unknown

_904656384.unknown

_904656415.unknown

_904656337.unknown

_904656112.unknown

_904656199.unknown

_904655985.unknown

_904655787.unknown

_904655835.unknown

_904655718.unknown

_904655390.unknown

_904655505.unknown

_904655582.unknown

_904655461.unknown

_904655198.unknown

_904655354.unknown

_904655063.unknown

_904654478.unknown

_904654733.unknown

_904654890.unknown

_904654569.unknown

_904653449.unknown

_904653683.unknown

_904653243.unknown