A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Apostila-Classicos-Sociologia

Pré-visualização | Página 1 de 5

1 
 
1ª. Apostila de Sociologia 
 
Os Clássicos da Sociologia 
 I - Émile Durkheim 
 II - Max Weber 
III - Karl Marx 
Resumo da aula anterior. 
 A Sociologia surge no momento de desagregação da sociedade feudal e da 
consolidação da civilização capitalista. É resultado do trabalho de um conjunto de 
pensadores que se empenharam em compreender as novas situações sociais, 
econômicas, políticas e culturais. 
 As conseqüências da rápida industrialização e urbanização levaram ao 
aumento da prostituição, do alcoolismo, da criminalidade, epidemia, dos bolsões de 
miséria. A sociedade passou a ser um problema, um objeto que precisava ser 
investigado e modificado. 
 
 
I - Emile Durkheim (1858-1917) 
 
 Uma das três matrizes do pensamento científico da Sociologia, a obra de 
Emile Durkheim exerceu grande influência nas Ciências Sociais. Apesar de ser 
posterior a Marx, é considerado o pai da Sociologia, pois é ele que vai estruturar, de 
fato, a ciência sociológica na França, tendo dedicado toda sua carreira ao 
desenvolvimento dessa ciência, metódica e rigorosamente objetiva. 
 Nasceu na região francesa da Alsácia, em 1858. Descendente de judeus 
franceses e rabinos, frequentou grandes escolas e formou-se em Filosofia. Tornou-
se professor e mais tarde foi estudar Ciências Sociais na Alemanha 1885, onde 
esses estudos estavam mais avançados. Ministrou o primeiro curso de Sociologia 
criado em uma universidade francesa. Durante estes estudos, teve contatos com as 
obras de Augusto Comte e Herbert Spencer que o influenciaram significativamente 
na tentativa de buscar a cientificidade no estudo das humanidades. 
 
 
2 
 
As condições históricas em que viveu: 
 Emile Durkheim viveu a segunda metade do século XIX ao final da Primeira 
Grande Guerra (1914-1918). Na França, o momento era marcado pela instabilidade 
política e social. É o momento de reorganização política do estado, rompimento das 
tradições: separação Igreja/Estado, conflitos sociais grandes massa da população 
em péssimas condições de vida. 
 Por outro lado, havia um certo otimismo em virtude do progresso tecnológico 
e científico. É o momento de expansão do industrialismo, aumento da produção e 
melhorias em outras áreas,como a educação. Havia forte crença no racionalismo. 
Surgem mudanças na forma de pensar e conhecer a natureza e a sociedade, 
marcados pelo rompimento com o pensamento dominante anterior da Igreja: fé 
cristã. Surge grande interesse pelo homem e sua história. 
 
Pensamento e teoria em E. Durkheim 
 Para esse pensador “Não existe moralidade fora do contexto social e a 
moralidade é a grande força coesiva da sociedade. A função básica da sociedade é 
justamente transmitir valores morais.” 
 Durkheim se propôs a construir a Sociologia como uma ciência autônoma, 
que deveria analisar a sociedade cientificamente, com racionalidade. Ao mesmo 
tempo, procurou conhecer cientificamente a sociedade, para que a partir desse 
conhecimento da ciência pudesse compreender a sociedade e fazer as intervenções 
necessárias na realidade social, a fim de ordená-la. Tinha uma visão otimista da 
sociedade industrial. 
 Seguindo aos princípios do Positivismo de A.Comte, Durkheim considerava 
que a ciência poderia, por meio dos conhecimentos e pesquisas, encontrar soluções 
no sentido de por ordem na sociedade. 
 Durkheim parte dos valores morais como elementos capazes de atenuar os 
conflitos sociais, adotando uma posição conservadora em relação à crise social de 
seu tempo. Acreditava que os conflitos seriam resolvidos pela recuperação dos 
valores morais, por meio da formação de instituições públicas, tais como a educaçao 
e o direito, capazes de se impor aos membros da sociedade e estabelecer a ordem.
 Discordava das ideias socialistas e da ênfase dada aos fatos econômicos nas 
crises da época. Em suas análises não utilizava conceito de classe social e não 
3 
 
considerava importante os fatores econômicos na compreensão dos fatos humanos. 
Sua explicação buscou os elementos morais, os valores, as regras para 
conservação da ordem estabelecida – os chamados aspectos superestruturais. 
Estava preocupado com a integração social, ressaltando que grande parte de 
pessoas passava a maior parte da vida no meio industrial e comercial e esse meio 
estava desprovido de valores morais. 
 Segundo esse pensador, para restabelecer a saúde da sociedade era 
necessário criar novos hábitos e comportamentos, baseados em valores morais que 
garantissem a integração social. A função da Sociologia seria detectar e buscar 
soluções aos problemas sociais e restaurar a normalidade social, para manutenção 
e preservação da ordem. 
 
Metodologia: positivismo e objetividade 
 
 Durkheim segue a postura metodológica de A.Comte, salientando a 
importância em definir a Sociologia como uma ciência autônoma, com objeto de 
estudo definido, seguindo o mesmo método das ciências naturais. 
 O objetivo principal do método sociológico é estabelecer como devem ser 
estudados os fatos sociais. 
 Em As regras do Método Sociológico define o objeto de estudo, estabelece as 
regras do método para a investigação sociológica que garantissem à Sociologia o 
caráter rigoroso e objetivo. Os fatos sociais seriam trados do mesmo modo objetivo 
dado aos fenômenos físicos, segundo a abordagem metodológica racionalista e 
positivista: 
� A sociedade é regulada por leis naturais. 
� Os métodos de conhecer a sociedade são os mesmos das ciências da 
natureza. 
� O observador deve limitar-se à análise e observação dos fenômenos 
sociais, de forma neutra, objetiva, livre de julgamentos de valor e pré-
noções. 
 Os fatos sociais devem ser tratados como coisas, por meio do método de 
observação e experimentação. 
 
4 
 
Temas e conceitos fundamentais da Sociologia de Durkheim 
 
1. O fato social 
 É o objeto da Sociologia. Os fatos sociais “são maneiras de agir, pensar e 
sentir exteriores ao indivíduo, e dotadas de poder coercitivo “, e que exercem 
influências sobre o indivíduo. 
 Os fatos sociais possuem três características: 
� A exterioridade: os fatos sociais existem antes do nascimento do indivíduo e 
atuam sobre ele independente de sua vontade. 
� A coercitividade: os fatos sociais exercem força social e força sobe os 
indivíduos, levando-os a agirem de acordo com as regras estabelecidas pela 
sociedade. Ex: a língua. 
� A generalidade: os fatos sociais são tomados coletivamente, pelo conjunto da 
sociedade. As crenças, os costumes, os valores. 
 É fato social toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o 
indivíduo uma coerção exterior ou, ainda, que é geral em uma determinada 
sociedade, apresentando uma existência própria, independente das manifestações 
individuais. 
 Os fatos sociais existem fora dos indivíduos, mas são interiorizados e passam 
a existir em suas consciências. São externos porque foram transmitidos socialmente 
aos indivíduos. 
 A educação é um fato social, imposto aos indivíduos e pressiona-os a girem 
de acordo com leis, normas, valores, costumes e tradições de uma sociedade. O 
comportamento dos indivíduos é socialmente determinado e a educação é uma força 
essencial na conformação do indivíduo aos padrões morais e sociais de uma 
sociedade.São fatos sociais: o direito (as regras jurídicas e morais), os dogmas 
religiosos, os sistemas financeiros, a educação, entre outros. 
 A sociedade e os grupos sociais exercem coerção sobre os indivíduos, 
fazendo-os assumirem papéis relacionados com um fenômeno em particular. Ao 
assumir o papel de torcedor de um time ou ao fazer parte de determinada religião, 
por exemplo, a pessoa toma atitudes especiais, que lhe são exteriores. 
 
5 
 
2. A divisão do trabalho social: solidariedade mecânica e solidariedade 
orgânica. 
 Para este pensador, a sociedade só pode existir segundo