Aula aterro 02 [Modo de Compatibilidade]
57 pág.

Aula aterro 02 [Modo de Compatibilidade]


DisciplinaResíduos Sólidos Urbanos39 materiais192 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Recobrimento da célula no aterro
Vista geral da operação de aterramento
CÉLULA TIPO
Espessura Cobertura 0,20 m
Altura Célula 2,50 m
Talude Célula 1:2
Recalque 20% 
Volume de Resíduos 11,043 m3
Volume de Terra 1,46 m3
Construção da Célula
Construção da Célula
Profundidade
Resíduos compactados 2,5 a 4.0 metrosResíduos compactados 2,5 a 4,0
Construção da Célula
Construção das Células
Cobertura intermedia superior
Cobertura compactada mínima 30cmCobertura compactada mínima 30cm
Célula futura
Resíduos compactados
Disposição Final de RSU
Seção tipo de uma aterro
Progressão do avanço da trincheira
Célula de resíduos
avanço da trincheira
Aterro: Método de Trincheira
resíduos
Cobertura
finalfinal
Célula de resíduos
ATERRO ATERRO 
SANITÁRIOSANITÁRIO
Recobrimento diário do lixo
Planta e Planta e seçõesseções de de umum terrenoterreno
EXEMPLO DE CÁLCULO DE CAPACIDADE DO TERRENO
PERFIL A
1
2
3
4
5
ÁREA = 326 M2
PERFIL B
H=12 m
PERFIL B
1
2
3
4
5
6
7
ÁREA = 350 M2
DISTÂNCIA ENTRE PERFIL A E PERFIL B: 12 M
VOLUME : (ÁREA A + ÁREA B)/2 X H = 4056 M3
1. População urbana 15 000 hab
2. Taxa de crescimento da população 2.50 %
3. Incremento de produção per-cápita anual (ppc) 1.00%
4. Veículo utilizado na coleta basculante
5. Capacidade do veículo de coleta 8 m3
6. Densidade dos residuos sólidos no veículo de coleta 300 kg/m3
7. Número de viagens por dia do veículo de coleta 4 viagens/dia
8. Número de dias de coleta 5 dias/semana
CALCULO DO VOLUME E ÁREA NECESSÁRIA PARA UM
ATERRO SANITÁRIO
8. Número de dias de coleta 5 dias/semana
9. Cobertura do serviço de coleta 85.00%
10. Peso específico dos resíduos sólidos 500 kg/m3
compactados no aterro sanitário
11. Quantidade de material de cobertura 20.00% vol lixo
12. Altura do aterro 5.00 m.
13. Área adicional para infra-estrutura, 30.00 %
vias de acesso, etc.
CÁLCULO DA CAPACIDADE VOLUMÉTRICA DO TERRENO
E
S
T
R
A
D
A
 
 
A
S
F
A
L
T
A
D
A
Borda da propiedade
A
1 1
ESCALA 1:1000
245 244
243
242
241
240 240
241
242 243
244
A
VOLUME E ÁREA REQUERIDA PARA O ATERRO 
SANITÁRIO
Volume de resíduos sólidos Área requerida
Compactado Com cobertura
Ano População
(hab.)
PPc
(kg/hab-día)
Quantidade
de R.S.
Diaria (kg) Diario
(m3)
Anual
(m3)
RS + MC
(m3)
Acum.
(m3)
Aterro
(m2)
Total
(m2)
0 15000 0,538 8067 16 5889 7067 7067 1413 1837
1 15375 0,543 8352 17 6097 7316 14383 2877 3740
2 15759 0,549 8646 17 6312 7574 21957 4391 5709
3 16153 0,554 8951 18 6534 7841 29798 5960 7747
4 16557 0,560 9266 19 6764 8117 37915 7583 98584 16557 0,560 9266 19 6764 8117 37915 7583 9858
5 16971 0,565 9593 19 7003 8403 46318 9264 12043
6 17395 0,571 9931 20 7250 8700 55018 11004 14305
7 17830 0,577 10281 21 7505 9006 64024 12805 16646
8 18276 0,582 10644 21 7770 9324 73348 14670 19070
9 18733 0,588 11019 22 8044 9652 83000 16600 21580
10 19201 0,594 11407 23 8327 9993 92993 18599 24178
11 19681 0,600 11809 24 8621 10345 103338 20668 26868
12 20173 0,606 12226 24 8925 10710 114047 22809 19652
13 20678 0,612 12656 25 9239 11087 125134 25027 32535
14 21195 0,618 13103 26 9565 11478 136612 27322 35519
ATERRO SANITÁRIO
CÁCULO DA CAPACIDADE VOLUMÉTRICA DO TERRENO
120
140
160
180
Cotas(m)Vol. (m3)
0
20
40
60
80
100
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 170
Anos 
101
102
103
104
105
100
Impermeabilização de fundo e lateral
Impermeabilização 
superior
Produtos do Aterro Sanitário
Gás de 
Aterro
Chorume (choro do lixo) 
= Percolado = Lixiviado
Fonte: http://www.recife.pe.gov.br
Fonte: www.highland-energy.com Fonte: www.cig.br 
GERAÇÃO DE LIXIVIADOS (Chorume) EM ATERRO
RECIRCULAÇÃO
CHUVA
EVAPORAÇÃO
EVAPORAÇÃO E 
RECIRCULAÇÃO 
DE LIXIVIADOS
À LAGOA
PERCOLAÇÃO
Datos típicos sobre la composición de los lixiviados procedentes 
De vertederos nuevos y madurosa 
 
Constituyente 
Valor, mg/lb 
Vertedero nuevo 
(menos de 2 años) 
Vertedero maduro 
(mayor de 10 
años) 
 
Rangoc Tipícod 
DOB5 (demanda de oxígeno 
bioquímico de 5 días) 
2.000-30.000 10.000 100-200 
COT (carbono orgánico total) 1.500-20.000 6.000 80-160 
DOC (demanda de oxígeno 
químico) 
3.000-60.000 18.000 100-500 
Total de sólidos en suspensión 200-2.000 500 100-400 
Nitrógeno orgánico 10-800 200 80-120 
Nitrógeno amoniacal 10-800 200 20-40 
Nitrato 5-40 25 5-10 
Total fósforo 5-100 30 5-10 
Ortofosfato 4-80 20 4-8 
Alcalinidad como CaCO3 1.000-10.000 3.000 200-1.000 Alcalinidad como CaCO3 1.000-10.000 3.000 200-1.000 
PH 4,5-7,5 6 6,6-7,5 
Dureza total como CaCO3 300-10.000 3.500 200-500 
Calcio 200-3.000 1.000 100-400 
Magnesio 50-1.500 250 50-200 
Potasio 200-1.000 300 50-400 
Sodio 200-2.500 500 100-200 
Cloro 200-3.000 500 100-400 
Sulfatos 50-1.000 300 20-50 
Total hierro 50-1.200 60 20-200 
 
a
 Desarrollado de referencias 2,8,9.11,39,46 
b Excepto el pH, que no tiene unidades 
c
 Rango representativo de valores. Se han presentado en la literatura del tema valores máximos 
más altos para algunos de los constituyentes. 
d
 Los valores típicos para los vertederos nuevos variarán según el estado metabólico del vertedero. 
 
Fuente- Gestión Integral de Residuos Sólidos, George Tchobanoglous; Hilary Theisen, 
Samuel A. Vigil; v. I y II. 
Disposição Final de RSUDrenagem de chorume - planta
Disposição Final de RSUDrenagem de chorume - corte
Disposição Final de RSUDrenagem de chorume - detalhe
Drenagem com Tubo Perfurado Drenagem com Dreno Cego
\ufffdCaptação e drenagem do chorume
\u2022 Execução dos drenos \u201cespinha de peixe\u201d
\u2022 Declividade e preenchimento dos drenos com pedra 
graduada
Drenagem de Chorume
\ufffd
Disposição Final de RSU
Tratamento de chorume \u2013 Lagoa de Estabilização
ATERRO SANITÁRIO ATERRO SANITÁRIO 
sistema de tratamento de chorumesistema de tratamento de chorume
Disposição Final de RSU
Tratamento de chorume \u2013 Lodos Ativados
Disposição Final de RSU
Tratamento de chorume \u2013 Evaporador central
Disposição Final de RSU
Disposição Final de RSU
Tratamento de chorume \u2013 em pesquisa na UFRJ
Linha 01 
LF 
LM 
Linha 02 
LA LS 
Tratamento combinado
Evaporador Unitário
DRENAGEM DE ÁGUAS DE CHUVA
Perfil do Terreno
Aterro Compactado
Seção Transversal Típica
Perfil do Terreno
Drenagem de águas pluviais
\ufffd Manutenção da declividade superficial
\ufffd Limpeza e manutenção das valas de drenagem
\ufffd Limpeza e desobstrução de poços e travessias enterradas
Drenagem de águas pluviais \u2013 Aterro Bangú
ATERRO SANITÁRIOATERRO SANITÁRIO -- cobertura vegetal do talude e drenagem pluvial
Dique de contenção Desenvolvimento de células e 
diques
Cobertura da
célula
Dique Dique
Drenagem de gases
resíduos
Cobertura
célula inferior 
Célula
Drenagem de gases
arm. de 
madeira
tela
seixos
Drenagem de gases
Selo de argila
resíduos
poço
DRENAGEM DE GASES
Malha de arame
Caibros de madeira 2\u201d x 2\u201d
pedras
Elevação
DRENAGEM DE GASES
Poço típico
Arm. madeira
Malha de Arame
Seixos
Disposição Final de RSUDrenagem de gás
Queimador de Gases
Janela
Tambor de óleo vazio
Tubo de fibra-cimento D: .075m
Capa de argilaCapa de argila
Capa de cobertura final
Lixo compactado
Pedra D: .15/.20 m
Perfuração do poço de gás
-Instalação de Flare para a queima do Metano 
metano
Aterro Nova Gerar
VENTILACIÓN CON 
BARRERAS \u201cPERMEABLES\u201d
Ventilação com 
Barreiras Permeáveis
Disposição Final de RSU
Monitoramento
Área do Aterro
Sentido do Fluxo
do Lençol Freático
Área Operacional
Sentido do
Fluxo do Rio
Poço de Monitoramento
Ponto de Coleta de Água Superficial
Disposição Final de RSU
Poço de monitoramento
Estradas de acesso e de serviço
Sistemas de apoio em Aterro Sanitário
Sistemas de apoio em Aterro Sanitário
Cercamento da área e barreira vegetal
Recepção e controle
Portão, guarita, balança, administração e área de apoio.
Sistemas de apoio em Aterro Sanitário
ATERRO DE GRAMACHO
ATERRO NOVA GERAR
Entrada : pesagem informatizada
CaracterÍsticasCaracterÍsticas de diversos