A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
81 pág.
X - 3-Coletaelimpeza

Pré-visualização | Página 2 de 3

EZC-200RB e E280HDRB 
14,04 m³,15,02 m³ e 20,19 m³ 
COMPACTADOR PLANALTO 
CARREGAMENTO TRASEIRO (6m³) 
E aí?! Alguma foto fez lembrar alguma 
coisa? 
Veja agora a diferença, observe os 
veículos modernos! 
COLETA REGULAR 
Compactador Traseiro Pequeno Compactador Lateral Pequeno 
COLETA REGULAR 
Compactador Traseiro Médio Compactador Traseiro Grande 
Estes quatro veículos são destinados a efetuar a coleta regular 
porta-a-porta. 
O tamanho deles é escolhido em função das características 
das ruas por onde eles irão trafegar e em função da 
quantidade de lixo a recolher na região. 
Fique sabendo: 
COLETA REGULAR 
Basculante Médio Basculante Trucado 
Estes são os veículos destinados a coletar os resíduos que não 
cabem nos caminhões compactadores, como: objetos muito 
grandes, poda de árvores e entulho de obras ensacado. 
O tamanho deles é escolhido exclusivamente em função da 
quantidade de lixo a recolher. 
Observe este outros veículos: 
COLETA REGULAR 
Poliguindaste Simples 
Poliguindaste Duplo 
Já os veículos das fotos ao 
lado destinam-se a recolher, 
basicamente, entulho de 
obras a granel. 
O uso mais difundido destes 
carros é para efetuar a 
coleta do entulho de obras 
em comunidades de baixa 
renda, evitando, assim, o 
lançamento de resíduos nos 
rios e nas encostas dos 
morros 
Também são comumente 
usados para dar apoio às 
grandes obras públicas. 
Veja agora estes 
COLETA REGULAR 
Basculante Pantográfico 
Basculante Pequeno 
Estes pequenos veículos, 
com capacidade volumétrica 
de apenas 3 m³, destinam-se 
coletar o lixo recolhido pelos 
garis comunitários nas 
favelas e comunidades de 
baixa renda. 
Medindo somente 1,85 m de 
largura, ele trafega sem 
problemas por picadas e 
vielas. 
O projeto de sua carroceria 
permite que o lixo seja 
basculado para dentro de 
caminhões compactadores 
ou de caixas compactadoras 
estacionárias. 
COLETA REGULAR 
Roll On – Roll Off Carroceria Fixa para Recicláveis 
Furgão para Remoção Rápida 
O primeiro veículo serve 
para transportar as caixas 
compactadoras quando estão 
cheias. 
Já a carroceria fixa é usada 
para coletar recicláveis, 
enquanto o furgão pequeno 
é usado na remoção rápida 
de pequenos volumes. 
COLETA ESPECIAL 
O furgão deve ter carroceria 
fechada e selada para 
transporte de carga entre 
500 quilos e duas toneladas. 
A carroceria deve ter 
paredes internas lisas e com 
cantos arredondados, 
fabricada em material que 
permita sua fácil limpeza e 
desinfecção. 
A cabine de passageiros 
deve ser isolada e separada 
da carroceria, de forma a 
impedir sua contaminação 
pelos resíduos infectantes. 
COLETA ESPECIAL 
Se o seu prédio tem uma 
grande quantidade de 
resíduos, devem ser usados 
veículos de grande porte. 
Os veículos devem ter caixa 
coletora rígida, fabricada em 
aço, com parede interna lisa 
e de cantos arredondados. 
A caixa coletora não deverá 
possuir sistema de 
compactação, podendo ser 
aceitas as de baixa taxa de 
compactação ou aquelas que 
permitem a desativação do 
sistema de compactação. 
A caixa coletora deve ser 
estanque, de forma a impedir 
o vazamento de chorume. 
Uma informação 
importante! 
Compactador Carga Traseira 
CPL 10.000 a 19.000 
resíduos compactados caixa : 10.000; 
12.000; 13.500; 15.000; 17.000; 19.000 
Poliguindaste Veicular 
tipo Brooks Planalto 
Coleta com carroça de 
tração animal 
 
 Compactador Estacionário 
volume de lixo compactado de 12 a 20 m³ 
Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos 
TÉCNICO-OPERACIONAL 
Limpeza de Logradouros 
 Tipos de serviços 
• Varrição de sarjetas e logradouros 
• Limpeza de ralos 
• Capina 
• Roçagem 
• Limpeza de feiras livre, praças e praias 
• Poda de árvores 
• Limpeza de valas e canais 
LIMPEZA DE LOGRADOUROS 
LIMPEZA DE LOGRADOUROS 
VARRIÇÃO DE SARJETAS E LOGRADOUROS 
Fatores que interferem na varrição: 
 
 Tipo de calçamento e estado de conservação do 
logradouro 
 Uso predominante (residencial, comercial, etc.) 
 Disponibilização de cestas coletoras 
 Existência de arborização 
 Intensidade do trânsito de 
veículos/estacionamento 
 Circulação de pedestres 
 Grau de educação sanitária e ambiental da 
população 
 
PLANEJAMENTO DA VARRIÇÃO 
 CARACTERÍSTICAS URBANAS 
Registrar em mapas para subsidiar o 
planejamento da varrição: 
 Dados cadastrais ou semi-cadastrais do 
Município 
 Tipo de pavimentação e arborização 
 Zoneamento da cidade e dados sobre trânsito e 
circulação 
 Zonas comerciais 
 Ruas de pedestres 
 Locais de feiras livres, comércio ambulante, 
eventos de rua, corredores e pontos de ônibus 
 Parques e áreas de esportes 
 Equipamentos urbanos existentes 
PLANEJAMENTO DA VARRIÇÃO 
O PLANO DE VARRIÇÃO - “PASSO PASSO” 
 definição da freqüência e horário da varrição de 
acordo com as características de cada área do 
município 
 verificação da produtividade do varredor 
 delimitação dos setores de varrição 
 medição das extensões a serem 
varridas/setores 
 dimensionamento do pessoal técnico 
operacional 
 dimensionamento dos equipamentos e 
ferramentas necessários 
 detalhamento gráfico dos roteiros de varrição 
PLANEJAMENTO DA VARRIÇÃO 
 detalhamento dos outros serviços correlatos: 
limpeza de ralos, limpeza de equipamentos 
urbanos, retirada de folhetos, faixas e cartazes 
 elaboração do roteiro descritivo do serviço com 
especificação das tarefas 
 elaboração da tabela de horário de atendimento 
em cada trecho 
 discussão e explicação detalhada dos roteiros 
com os responsáveis pela varrição: fiscais, 
supervisores e varredores 
PLANEJAMENTO DA VARRIÇÃO 
 informação à população do planejamento da 
varrição 
 acompanhamento, em campo, da execução dos 
roteiros e revisão dos procedimentos e horários 
de varrição 
 revisão do plano a partir da contribuições dos 
funcionários e dos usuários dos serviços 
 estabelecimento de mecanismos de controle, 
monitoramento e avaliação dos serviços 
prestados 
 revisão do plano e (re)informação à população 
PLANEJAMENTO DA VARRIÇÃO 
 UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 
 Vassoura 
 Lutocar 
 Pá, finco e rastelo 
 Chave de ralo 
 Cestas coletoras 
 Garfo de 4 e 10 dentes 
 Forcado de dez dentes 
 Gadanho 
 
CESTAS 
COLETORAS/PAPELEIRAS 
CARRINHO DE 
VARRIÇÃO - LUTOCAR 
VARRIÇÃO 
MANUAL 
MINI VARREDEIRA 
SUCÇÃO 
Varredeira mecânica 
CARACTERÍSTICAS chassis 4 x 2 
capacidade do depósito de detritos 6,0 m3 
velocidade de trabalho até 40 km/hora 
largura de varrição 2,25 m 
potencia do motor auxiliar 165 CV @ 1.800 RPM 
comprimento total com chassis – cabine avançada (aprox.) 7,54 m 
largura total 2,50 m 
altura total (sem alerta) 2,95 m 
peso aprox. (chassi + varredeira ) 11.200 kg 
PBT mínimo recomendado 14,5 ton 
Varredeira Mecânica 
PLANEJAMENTO DA CAPINA 
MÉTODOS DE CAPINAÇÃO 
 Manual 
 Química 
MANUAL: 
 FERRAMENTAS 
 Enxada, Forcado, Ancinho, Pá quadrada, 
gadanho 
 REMOÇÃO 
 Carrinho de mão, saco plástico, contêiner 
plástico, caixa estacionária tipo Brooks 
QUÍMICA: 
 Utiliza herbicidas que devem ser 
empregados de acordo com as 
especificações do fabricantes e 
observadas as restrições legais e 
ambientais , sempre com orientação de 
um profissional da área 
Deve ser utilizada sempre como um meio 
auxiliar e complementar à manual e aplicada 
em estrita observância das 
restrições/exigências legais e dos rótulos dos 
produtos. 
PLANEJAMENTO DA CAPINA 
VANTAGENS 
mão-de-obra comum 
método simples e conhecido 
oferece menos riscos ao meio ambiente, 
geralmente associados à processos erosivos 
pela remoção inadequada da vegetação 
equipamentos e ferramentas de fácil 
obtenção e manuseio 
 DESVANTAGENS 
demanda maior tempo para execução 
requer grande número de trabalhadores 
CAPINA MANUAL 
VANTAGENS 
demanda menor tempo e menos trabalhadores 
facilita a remoção da vegetação (seca 
rapidamente)