A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Junções celulares

Pré-visualização | Página 1 de 1

Fernanda Daumas 
 
Junções celulares 
 
As junções celulares de modo geral são divididas em célula-célula ou célula-matriz. 
Quando as proteínas que se ligam são iguais chamamos a ligação de homofílica. Quando há 
ligação de proteínas diferentes chamamos de ligação heterofilica. 
 
→JUNÇÕES CÉLULA-CÉLULA 
 
◊JUNÇOES ADERENTES: as junções aderentes possuem função de adesão celular deixando as 
interações mais fortes. Essa interação é feita ligando-se os microfilamentos de actina de uma 
célula a outra, no entanto essa ligação não se dá de forma direta. Os filamentos de actina irão 
se ligar a uma proteína chamada caderina(transmembrana)intermediada por outra proteína 
chamada catanina. As caderinas necessitam de cálcio para sua interação com as células pois ele 
as torna mais rígidas e essa rigidez é necessária para a interação. 
• Sua ligação é do tipo homofílica. 
-MECANOTRASNDUÇÃO: se uma célula tensiona muito a outra essa tende a colocar mais 
filamentos de actina para não levar ao rompimento. Também pode haver recrutamento de 
caderina. A proteína vinculina se abre para dar mais passagem de actina. 
 
◊JUNÇÕES OCLUDENTES: Irão ‘’tapar’’ o vão entre duas células impedindo a passagem de 
substancias indesejáveis ou bactérias. Essas junções aproximam as membranas e os ''buracos'' 
são selados por proteínas chamadas claudinas e ocludinas, ou seja, possuem função de selar o 
espaço paracelular. 
• São junções homofílicas 
• Um exemplo se dá no intestino grosso. Sem essas junções as bactérias responsáveis pela 
composição da flora intestinal poderiam atravessar os espaços entre as células e chegar 
ao sangue causando septicemia 
• Essas junções fazem o bloqueamento de certas proteínas na membrana plasmática 
(setorização de domínio da membrana), como a absorção de glicose dando um sentido 
unidirecional com transporte ativo e passivo. 
 
◊DESMOSSOMOS: conectam os filamentos intermediários de uma célula a outra unificando a 
função de resistência mecânica (compressão e tensão) para todo o tecido fazendo com que a 
célula não se parta. Suas proteínas possuem as mesmas propriedades das caderinas. Há 
moléculas de caderina, placa de proteínas (se ligando aos filamentos), e os próprios filamentos, 
os quais ligam, por exemplo, filamentos de queratina em células epiteliais. 
 
◊JUNÇOES COMUNICANTES OU GAP: 
Formadas por 6 proteínas de membrana chamadas conexinas que formam um canal. Possuem 
um tubo membrana de cima e um tubo membrana de baixo que se abrem quando um conexon 
junta com outro. 
• Macromoléculas não passam 
• As células ligadas estão ligadas de forma metabólica e elétrica como nos batimentos 
cardíacos e sinapses com a passagem de íons 
 
◊JUNÇOES SELECTINAS: as proteínas são as selectinas (moléculas de adesão). Essa junção ocorre 
fora do ambiente do tecido epitelial. Quando há sinal de inflamação as células do endotélio 
apresentam selectinas e quando a inflamação acaba elas escondem a selectina. Ela irá capturar 
Fernanda Daumas 
 
o glicocálix dos neutrófilos e monócitos que estão passando por ali fazendo eles entrarem no 
tecido. 
• Ligação heterofilia 
 
 COMPLEXO JUNCIONAL DO TECIDO EPITELIAL 
O complexo juncional do tecido epitelial bem na superfície apresenta respectivamente: 
-Junções ocludentes 
-Junções aderentes 
-Desmossomos 
Fora do complexo juncional epitelial temos as junções GAP ou comunicantes 
 
→JUNÇÃO CÉLULA MATRIZ 
Ocorre entre uma célula e o substrato. Sua molécula é a integrina que pode ser dívida em alfa e 
beta (as mais importantes são a alfa6 e beta 4 que fazem conexão com a laminina da lâmina 
basal). Essa proteína se liga a proteínas e moléculas da matriz. 
• Adesão focal: actina e integrina se recrutando. 
Integrina e actina podem já estar prontas procurando um substrato e aí se ligar a ele ou pode 
ocorrer da célula achar o substrato e aí recrutar actina (forma mais passiva).