Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
1º AULA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Téc. Manejo e Contenção Animal
Curso Técnico em Veterinária
Viviane Ribeiro
CRMV – SP 22.166
TÉCNICAS DE MANEJO E 
CONTEÇÃO ANIMAL
CONTENÇAO: consiste em imobilizar os animais para 
diversos fins, podendo esta ser física ou química
MANEJO: entender os hábitos, habitat, necessidades 
fisiológicas dos animais e toda a forma de cuidar 
visando o bem estar animal
FUNÇÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS
 O papel dos animais de companhia na sociedade
Dificuldades de relações interpessoais
Animais de estimação são os novos filhos
Fonte de afeto 
Obrigações morais
 Alteração do papel dos animais na sociedade
Da pré historia até o final da II Guerra Mundial
INFLUÊNCIA DOS ANIMAIS DE 
COMPANHIA
 Bem estar psicológico
Pessoas sozinhas são mais solitárias quando não tem 
animais de estimação
 Bem estar comportamental
Animais de estimação elevava a sensação de bem estar 
mais do que amigos
 Bem estar físico
Parâmetros cardiovasculares positivos
INFLUÊNCIA DOS ANIMAIS DE COMPANHIA
 Bem estar social
DIRETO: confiança aos donos por não se sentirem 
sozinhos
INDIRETO: contato social
 O bem estar dos animais
Qual será o verdadeiro significado de bem estar dos 
animais???
Bem Estar Animal
As CINCO LIBERDADES são princípios norteadores do 
bem-estar animal, e são elas:
1. Liberdade nutricional: Livre de fome e sede. 
Considera que o animal deve ter acesso à comida e à água 
em quantidade, frequências e qualidade ideais para 
consumo.
2. Liberdade sanitária: Diz respeito a viver livre de 
doenças, dores e livre de ferimentos de qualquer 
espécie, além do tratamento adequado, incluindo a 
prevenção com vacinas.
3. Liberdade ambiental: Diz respeito a viver livre de 
desconforto em um ambiente com temperatura, 
superfícies e áreas confortáveis.
4. Liberdade comportamental: Livre para exercer o 
seu comportamento natural. É imprescindível que o 
animal esteja um ambiente compatível para exercer, por 
meio de objetos, ações, espaços, entre outros, os seus 
comportamentos naturais.
5. Liberdade psicológica: Viver livre de sentimentos 
negativos que possam causar estresse, ansiedade ou 
medo, evitando assim o sofrimento psicológico.
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU 
ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 OBJETIVO PRINCIPAL:
“ZELAR PELAS CONDIÇÕES FÍSICAS E 
PSICOLÓGICAS DOS ANIMAIS SOB SUA 
RESPONSABILIDADE.”
• Funções dos tratadores:
Observação diária dos animais e recintos
Limpeza e conservação
Fornecimento de alimentação
PREVENÇÃO DE DOENÇAS 
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
Auxilio na captura, contenção e manejo
Segurança
Comunicação e controle dos dados
• Na observação diária:
Óbito/nascimento
Número de animais
Sinais de cio
Alteração de comportamento
Suspeita de animais doentes
Brigas
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
Número de ovos
Alteração de número de animais
 Suspeita de animais doentes
Alterações de 
comportamento;
Mudança no score corpore
Arqueamento
Vômitos e diarreias
Parasita nas fezes
Alteração do habito 
alimentar
Presença de sangue nas 
fezes
 Sede intensa
Pelos e penas arrepiados e 
sem brilho
Feridas 
 Inanição
 Isolamento
 Sialorréia
 Incoordenação motora
 Vocalização 
 Sangramento, inchaço ou 
manchas
 ...
Qualquer sinal diferente, a equipe de veterinários devem ser 
informados!
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 LIMPEZA
o Retirada das fezes
o Varrição de pisos
o Retirada de restos de 
alimentos
o Lavagem de pisos, 
paredes e estrados
o Retirada de objetos
o Desinfecção do ambiente 
o Vassoura de fogo se 
possível
o Pulverização de 
germicidas e inseticidas
o Troca de areia dos pisos
o Cuidado com a umidade
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 ALIMENTAÇÃO
o Os animais em cativeiro dependem exclusivamente do 
tratador
o Não é permitido nenhuma alteração da dieta sem 
previa autorização
o Alterações do número de animais ou da alimentação 
deve ser passada ao superior direto
o Cochos e reservatórios limpos
o Obedecer horários das alimentações
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 BIOTÉRIO
o São criados c0elhos, camundongos, tenébrios, 
minhocas, que fazem parte da alimentação fornecidas 
para diversos animais
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 PREVENÇÃO DE DOENÇAS
o Esta é uma das principais funções de um tratador. 
Tanto na prevenção de doenças entre os animais, como 
também evitar zoonoses.
o A transmissão das doenças podem acontecer entre os 
animais através do contato direto, ou por contato com 
objetos infectados por diversos tipos de 
microorganismos.
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 MEDIDAS PREVENTIVAS
o Quarentena
o Sinal de doença
o Limpeza e segurança do recinto
o Tratar animais doentes por último
o Retirada dos corpos e encaminhamento para a 
necropsia
FUNÇÃO DO TRATADOR E/OU ENFERMEIRO DE ANIMAIS
 PREVENÇÃO DE ZOONOSES
o Utilização de EPI’s
o Desinfecção de equipamentos 
o Higienização pessoal
o Comunicação imediata de acidentes
o Cuidado com feridas pré existentes
o Não fumar e não comer
TAXONOMIA
 CIÊNCIA DA CLASSIFICAÇÃO
A taxonomia se encarrega de descrever, identificar e 
classificar organismos individualmente ou em grupos. 
Temos 7 categorias: reino, filo, classe, ordem, família, 
gênero e espécie. A partir desses grupos principais, 
podem surgir outras divisões como subfilo, subclasse,...
TAXONOMIA
 Caráteres merísticos são aqueles com relação às 
estruturas externa do corpo como por exemplo número 
de membro, de escamas etc
 Caráteres morfométricos são as medidas de largura, 
comprimento e diâmetro de estruturas corporais como 
por exemplo diâmetro dos olhos, comprimento da 
cabeça. 
TAXONOMIA
 Caráteres anatômicos estudam a anatomia dos 
indivíduos a serem classificados, incluindo o 
esqueleto, órgãos, músculos, vasos sanguíneos, etc
 Caráteres moleculares são o DNA e RNA dos 
indivíduos
TAXONOMIA DO CÃO
• Domínio – Eukariota (Eukaryota). 
Organismos celulares com núcleos verdadeiros.
• Reino – Animália. Capacidade de locomoção, 
consomem oxigênio, nutrição por ingestão, 
reprodução sexual e desenvolvimento embrionário.
• Sub-reino – Eumetazoa. Apresentam tecidos, órgãos, 
massa corporal etc. Por exemplo, músculos, tendões e 
nervos.
• Filo – Cordata. Existência de espinha dorsal.
• Subfilo – Vertebrata. Animais com coluna vertebral.
TAXONOMIA DO CÃO
• Classe – Mammalia. Mamíferos que se destacam por 
apresentar glândulas mamárias, pelos e mandíbula.
• Subclasse – Theria. O embrião se forma no útero 
materno.
• Infraclasse – Placentália. As crias permanecem no 
útero materno por um longo período de tempo.
• Ordem – Carnívora. Os molares estão adaptados para 
o consumo de carne.
 Subordem – Caniformia. Neste grupo estão incluídos 
mamíferos com forma de cão.
TAXONOMIA DO CÃO
• Família – Canidae. Canídeos, como lobos, coiotes, 
raposas, chacais e outras espécies afins.
• Subfamília – Caninae. Única subfamília com espécies 
sobreviventes.
• Gênero – Canis. Inclui lobos, chacais e coiotes.
• Espécie – Canis lupus. Lobos e cães.
• Subespécie – Canis lupus familiaris
TAXONOMIA DO GATO
 REINO: ANIMALIA. Capacidade de locomoção, 
consomem oxigênio, nutrição por ingestão, 
reprodução sexual e desenvolvimento embrionário
 FILO: CORDATA. Existencia de espinha dorsal
 SUBFILO: VERTEBRATA. Animais com coluna vertebral
 CLASSE: MAMMALIA. Mamiferos que se destacam 
por apresentar glândulas mamarias, pelos e 
mandíbulas
TAXONOMIA DO GATO
 ORDEM: CARNIVORA. Os molares estão adaptados 
ao consumo de carne
 FAMILIA: FELIDAE. Grandes e pequenos felinos
 SUBFAMILIA: FELINAE. Felinos incapazes de rugir
 GENERO: FELIS
 ESPÉCIE: FELIS SILVESTRIS. Gatos pequenos
 SUBESPECIE: FELIS SILVESTRES CATUS.
TAXONOMIA DO CÃO
 REINO: ANIMALIA. Capacidade de locomoção, 
consomem oxigênio, nutrição por ingestão, 
reprodução sexual e desenvolvimento embrionário
 FILO: CORDATA. Existência de espinha dorsal
 SUBFILO: VERTEBRATA. Animais com coluna
Página12