A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Regulação da PA

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material Regulação da PA - página 1
Pre-visualização do material Regulação da PA - página 2

Regulação da PA

REGULAÇÃO DA PA a longo prazo 
 
A circulação renal cortical supre oxigênio e nutrientes e remove CO2 e outros metabolismos do parênquima renal e, também, serve à 
função de depuração do sangue. Enquanto a circulação medular, além dessas atividades é responsável por preservar o gradiente de 
concentração de NaCl e ureia. 
Diversas manobras e situações cursam com distribuição diferencial do fluxo de sangue entre o córtex e a medula renal. 
 
O controle do fluxo renal pode ser por: 
Propriedade miogênicas intrínsecas 
 
A resposta contrátil ao aumento da força de distensão dos vasos e consequente abertura dos canais de Ca+ é denominado de resposta 
miogênica e ele permite ajustes da resistência vascular renal durante as alterações de pressão. 
Além disso outro mecanismo intrínseco é responsável pela regulação da resistência renal: AJG. Estudos indicam que a concentração do 
cloreto de sódio no fluido tubular é percebida de alguma maneira pelas células da mácula densa e este sinal é transformado em um 
sinal paracrino, pelo AJP, que causa a resposta vasomotora apropriada. 
Controle neural 
As arteríolas aferentes e eferentes recebem inervação adrenérgica extensa e exclusiva, sendo que o tipo de receptor predominante é o 
do subtipo alpha. 
Em estados basais, o controle neural não apresenta influência tão relevante e efetiva na resistência vascular renal; contudo aumentos 
na sua atividade causam a diminuição do FSR e elevam a resistência vascular renal. 
Entretanto, o aumento crônico das atividades simpáticas são capazes de deslocar a curva de equilíbrio da PA. 
Controle humoral 
Dois hormônios se destacam na regulação do fluxo renal: ANG e vasopressina (ADH). 
- Angiotensina: exerce efeito constritor direto nos vasos da circulação renal e sistêmica; sendo que atuam principalmente na arteríola 
eferente aumentando a TFG. 
- Vasopressina: apesar dos seus efeitos na hemodinâmica renal global serem discretos, infusões de ADH produzem redução 
significativa do fluxo sanguíneo renal medular, o que contribui de forma importante para a concentração da urina.