A maior rede de estudos do Brasil

Quais são os tipos de hipertextos que podem aparecer nos textos?

O que é Hipertexto?

Análise TextualESTÁCIO

51 resposta(s)

User badge image

Euziana

Há mais de um mês

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

HIPERTEXTOS

Na sociedade em rede tentamos ir além do texto, buscamos o hipertexto que é uma materialidade do pensamento. O nosso cérebro é uma rede e funciona de uma forma hipertextual, organizando o pensamento não de uma forma hierárquica ou linear, mas de uma forma multidimensional através de nós e links. Os neurônios ligam-se através das sinapses e estas vão sendo reforçadas na medida que são usadas. Um neurônio pode receber e fazer várias sinapses, assim o nosso próprio cérebro funciona em rede.

Segundo Pierre Lévy, existem seis critérios para se caracterizar o Hipertexto: Metamorfose, Multiplicidade, Heterogeneidade, Topologia, Exterioridade e Mobilidade dos centros. Então para construir hipertextos é preciso renegociar sentidos com dados heterogêneos quantitativamente e qualitativamente, organizados de uma forma fractal, sem unidade, num fluxo constante de uma forma espacial rizomática.

Não parece algo muito complexo para um público que segundo o diagnóstico, tem níveis apenas de compreensão de texto?

De uma certa forma sim, mas é preciso aprender a viver na complexidade e na incerteza, como diz Morin: “O conhecimento pertinente deve enfrentar a complexidade”. Não podemos reduzir o conhecimento a formas simples, desconectadas. Para aprender numa sociedade em rede é preciso entender que tudo está conectado a tudo, que precisamos escolher caminhos e a autoria está em descrever o caminho escolhido.

Depois da apresentação do conceito de hipertexto e da reflexão sobre as possibilidades do seu uso nos cursos em que a equipe estava, a questão da construção rizomática foi o ponto central da discussão. Pois eles afirmaram que nunca tinham pensado nessa forma, os cursos desenvolvidos até então eram lineares, com respostas prontas e esperadas, não havia a preocupação com a produção do aluno.

 

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

TIPOS DE TEXTOS:

Depois de levantadas as competências comunicacionais da equpe, iniciamos o trabalho de sensibilização, tentando levantar o que cada um deles “lê”, em determinados tipos de texto.

Foram apresentados vários tipos de textos:

  • Jornalístico
  • Poético
  • Situacional (diálogo)
  • Narrativo
  • Informativo
  • Dissertativo Acadêmico
  • Procedimental (manuais).

Foi pedido para que eles refletissem sobre o trabalho mental que cada um dos textos exigia: se eles formavam imagens ou buscavam conceitos; se paralisavam a leitura quando não conheciam os termos; se conseguiam perceber o contexto e o que chamava mais a atenção em cada um dos textos.

Os textos que claramente induzem a formação de uma imagem mental são os narrativos e os situacionais. Essa constatação é importante, pois esse estilo de produção textual produz no leitor uma espécie de vivência virtual, uma vez que ele produz imagens.

Muitas vezes, o leitor imagina-se naquela situação, identifica-se com o personagem e reflete o que ele faria no lugar dos personagens.

O texto poético também tem a capacidade de gerar imagens. Ele tem características rítmicas, que muitas vezes não aparecem nos outros. O texto poético escolhido foi um texto antigo com muitas palavras de significado desconhecido, mas pelo ritmo é possível perceber qual é o contexto do poema.

Os termos desconhecidos do poema nesse momento também tiveram uma função importante no processo de sensibilização. A partir deles, foi possível identificar a capacidade de inferência de cada um. Assim, eles puderam perceber a sua postura diante de um texto, identificando como ele lidam com as dificuldades: se eles procuram a palavra, se eles tentar relacionar com o contexto e inferir o significado ou simplesmente desistem do texto. No grupo apareceram as três formas de agir.

Já os textos jornalístico, informativo, dissertativo e procedimental trabalham principalmente com idéias. Os participantes buscaram o encadeamento lógico quando fizeram a leitura, tentando identificar os conceitos envolvidos. As diferenças que existem nesses tipos de texto são os níveis de argumentação e a quantidade de pontos de vista presentes em cada um deles.

Os textos informativos são geralmente encontrados em livros didáticos e obras de referência como enciclopédias. Apresentam um texto factual pobre em argumentação. Consideram os fatos como dogmas, sem mostrar o caminho pelo qual essa informação foi construída e elaborada. Os textos jornalísticos geralmente mostram pontos de vista, mas muitas vezes são editados e produzidos com a finalidade de serem consumidos mais rapidamente pelo leitor. Já o texto dissertativo acadêmico oferece ao leitor uma possibilidade de análise mais profunda, pois o autor dialoga com diversos autores dentro do texto.

 

HIPERTEXTOS

Na sociedade em rede tentamos ir além do texto, buscamos o hipertexto que é uma materialidade do pensamento. O nosso cérebro é uma rede e funciona de uma forma hipertextual, organizando o pensamento não de uma forma hierárquica ou linear, mas de uma forma multidimensional através de nós e links. Os neurônios ligam-se através das sinapses e estas vão sendo reforçadas na medida que são usadas. Um neurônio pode receber e fazer várias sinapses, assim o nosso próprio cérebro funciona em rede.

Segundo Pierre Lévy, existem seis critérios para se caracterizar o Hipertexto: Metamorfose, Multiplicidade, Heterogeneidade, Topologia, Exterioridade e Mobilidade dos centros. Então para construir hipertextos é preciso renegociar sentidos com dados heterogêneos quantitativamente e qualitativamente, organizados de uma forma fractal, sem unidade, num fluxo constante de uma forma espacial rizomática.

Não parece algo muito complexo para um público que segundo o diagnóstico, tem níveis apenas de compreensão de texto?

De uma certa forma sim, mas é preciso aprender a viver na complexidade e na incerteza, como diz Morin: “O conhecimento pertinente deve enfrentar a complexidade”. Não podemos reduzir o conhecimento a formas simples, desconectadas. Para aprender numa sociedade em rede é preciso entender que tudo está conectado a tudo, que precisamos escolher caminhos e a autoria está em descrever o caminho escolhido.

Depois da apresentação do conceito de hipertexto e da reflexão sobre as possibilidades do seu uso nos cursos em que a equipe estava, a questão da construção rizomática foi o ponto central da discussão. Pois eles afirmaram que nunca tinham pensado nessa forma, os cursos desenvolvidos até então eram lineares, com respostas prontas e esperadas, não havia a preocupação com a produção do aluno.

 

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Hipertexto pode ser entendido como uma espécie de conexão em que as informações podem ser lidas em diferentes seqüências. O leitor segue vários caminhos para desvendar/desdobrar a mensagem. É necessário ao leitor trabalhar com a habilidade de estabelecer relações entre texto e outros textos, bem como outras formas de comunicação (gráficos, tabelas etc.). Dessa forma, é possível dizer que o hipertexto é um dispositivo cognitivo, no sentido de que no instante da leitura podemos dar saltos, fazer associações.

User badge image

Euziana

Há mais de um mês

Hipertexto é o termo que remete a um texto em formato digital, ao qual se agregam outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas hiperlinks, ou simplesmente links. Esses links ocorrem na forma de termos destacados no corpo de texto principal, ícones gráficos ou imagens e têm a função de interconectar os diversos conjuntos de informação, oferecendo acesso sob demanda as informações que estendem ou complementam o texto principal. O conceito de "linkar" ou de "ligar" textos foi criado por Ted Nelson nos anos 1960 e teve como influência o pensador francês Roland Barthes, que concebeu em seu livro S/Z o conceito de "Lexia", que seria a ligação de textos com outros textos. Em palavras mais simples, o hipertexto é uma ligação que facilita a navegação dos internautas. Um texto pode ter diversas palavras, imagens ou até mesmo sons, que, ao serem clicados, são remetidos para outra página onde se esclarece com mais precisão o assunto do link abordado.

sistema de hipertexto mais conhecido atualmente é a World Wide Web, no entanto a Internet não é o único suporte onde este modelo de organização da informação e produção textual se manifesta.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes