A maior rede de estudos do Brasil

Cite exemplo de um texto coerente, porém sem adição de termos de coesão

Termos explicativos, coesivos, são importantes para dar sentido a um texto, mas vimos que é possivel fazer isso sem a adição deles. Cite um exemplo. 

Análise TextualHumanas / Sociais

42 resposta(s)

User badge image

Euziana

Há mais de um mês

COESÃO E COERÊNCIA

A linguística textual constitui um novo ramo da linguística, que se desenvolveu a partir da década de 1960 na Alemanha, Europa. Seu trabalho consiste em tomar como unidade básica de investigação, o texto, por ser a forma específica de manifestação da linguagem, e não mais a palavra ou a frase somente.

A causa de seu surgimento foi a insatisfação dos linguistas da época, quanto às lacunas apresentadas nas gramáticas de frases. Estas, não davam conta dos vários fenômenos linguísticos e, também, extralinguísticos envolvidos noprocesso de produção e interpretação de textos. Esses fenômenos somente poderiam ser explicados em termos de texto ou com referência a um contexto.

A linguística textual comporta diversas manifestações:

-semântica do texto: o que se deve entender por significação de um texto e como se constitui.

-Pragmática do texto: funções de um texto no contexto (extralinguístico).

-Sintaxe do texto: como a significação vem expressa sintaticamente no texto.

Além dos estudos sobre a coerência e coesão (centrados no texto), outros fatores de textualidade passaram a ser objeto das pesquisas sobre o texto: informatividade, situacionalidade, intertextualidade, intencionalidade, aceitabilidade (centrados no usuário), contextualização, focalização, consistência e relevância.

Entretanto, uma corrente de estudiosos apresenta especial interesse pelo processamento cognitivo do texto que domina a década de 1990 e, hoje, com tendência sociocognitivista. Para o processamento do texto há que se verificar as estratégias de produção e de compreensão que se envolvem:

a) conhecimento armazenado na memória;

b) acesso a esses conhecimentos e

c) estratégias sociocognitivas e interacionais.

Esses estudos, além da ênfase nos processos de organização global dos textos, apresentam questões de ordem sociocognitiva como referenciação, inferenciação, acesso ao conhecimento prévio, tratamento da oralidade, relação oralidade/escrita, estudos dos gêneros textuais.

COESÃO TEXTUAL

1 - COESÃO REFERENCIAL:

a) artigos definidos: o, a, os, as . Indefinidos: um, uma, uns, umas

Ex. Depois de algum tempo, aproximou-se de nós um desconhecido. O desconhecido...

b) advérbios de lugar: aqui, ali, lá etc.

Ex. Paula não irá à Europa em janeiro.  faz muito frio.

c) pronomes pessoais: ele/ela/eles/elas

Ex. Maria teve um filho. Ela tem apenas 15 anos.

d) pronomes oblíquos: o, a, lhe, lhes

Ex. Mate um frango. Corte-o em pedaços e prepare-para ir ao forno.

e) pronomes possessivos: meu, teu, seu, nosso, vosso, dele etc.

Ex. A gravata do uniforme de Paulo está velha. A minha é novinha em folha.

f) pronomes demonstrativos: este, esta, esse, essa, aquele, tal etc.

Ex. O presidente pretende anunciar as novas medidas que mudarão o imposto de renda, mas não deverá fazer issonesta semana.

g) Pronomes indefinidos: tudo, todo, algum, outro, vários, diversos, cada, nenhum etc

Ex. João pediu auxílio a parentes e amigosNenhum atendeu ao seu apelo (pedido).

h) numerais: (um, uma, uns, umas, ambos)

Ex. Mariana e Luiz são irmãos. Ambos estudam inglês e francês.

i) ELIPSE: (quando a partir do segundo verbo o sujeito fica oculto, por ter sido citado anteriormente)

Ex. João Paulo II esteve em Varsóvia. , disse que a igreja continua a favor do celibato.

j) LEXICAL (palavras sinônimas ou quase sinônimas)

a) João Paulo II = papa, Sua Santidade, o último papa

b) Varsóvia = Capital da Polônia

l) Hiperônimo/Hipônimo:

Ex. Gosto muito de doces (hiperônimo). Cocada (hipônimo), então, adoro.

móvel/mesa (mesa faz parte de um substantivo maior = móvel)

m) NOMES GENÉRICOS: coisa, gente, pessoa, fato, fenômeno etc:

Ex. A multidão ouviu o ruído de um motor. Todos olharam para o alto e viram a coisa se aproximando.

n) METONÍMIA:

Ex. No pasto, havia cem cabeças de gado. (parte pelo todo)

Observação: Evite retomada coesiva utilizando a mesma/o mesmo e seus plurais e REFERIDO(A).

Ex. Comprei uma cadeiraA mesma estava quebrada. (inadequado perante a norma culta)

2 – COESÃO SEQUENCIAL

A coesão seqüencial é obtida, principalmente, por meio dos elementos de ligação que proporcionam as relações necessárias à integração harmoniosa de orações e parágrafos em torno de um mesmo assunto (eixo temático).

Relacionamos abaixo os elementos de coesão mais usuais, agrupados pelo sentido, Estes elementos são conhecidos na gramática tradicional como conjunções, advérbios etc e, na Lingüística Textual, como operadores argumentativos.

  • Prioridade, relevância: principalmente, primordialmente, sobretudo, em primeiro lugar, antes de mais nada, primeiramente,acima de tudo.

  • Tempo (ordem, sucessão, anterioridade, posterioridade): finalmente, agora, atualmente, hoje, freqüentemente, constantemente, às vezes, eventualmente, por vezes, ocasionalmente, sempre, raramente, não raro, ao mesmo tempo, simultaneamente, a princípio, pouco antes, pouco depois, anteriormente, posteriormente, em seguida, afinal, por fim.

  • Semelhança, comparação: igualmente, da mesma forma, assim também, do mesmo modo, similarmente, analogamente, por analogia, de maneira idêntica.

  • Conformidade: conformidade com, de acordo com, segundo, conforme, sob o mesmo ponto de vista, tal qual, tanto quanto, como, assim como, bem como.

  • Condição, hipótese: se, caso, salvo se, contanto que, desde que, a menos que, a não ser que etc.

  • Adição, continuação: e, além disso, ademais, por sua vez, outro ponto, mais (grave) ainda, ainda mais, também, mas também, constata-se também, vale frisar ainda, vale lembrar também.

  • Dúvida: provavelmente, possivelmente, é provável.

  • Certeza, ênfase: de fato, por certo, certamente, indubitavelmente, inquestionavelmente, sem dúvida, obviamente.

  • Ilustração, exemplificação, esclarecimento: por exemplo, isto é, em outras palavras, ou por outra, a saber, haja vista.

  • Propósito, intenção, finalidade: com o fim de, a fim de, com o propósito de, para que, afim de que.

  • Resumo, recapitulação, conclusão: em suma, em síntese, enfim, em resumo, portanto, assim, dessa forma, dessa maneira, logo, afinal, está claro que.

  • Causa: em virtude de, por causa de, devido a, é resultado de.

  • Consequência: consequentemente, por consequência, como resultado, por isso, assim, como efeito, de sorte que, de modo que, de forma que, de maneira que.

  • Explicação: porque, porquanto, pois, já que, uma vez que, visto que.

  • Contraste, oposição: por outro lado, paradoxalmente, pelo contrário, caso contrário, em contraste com, mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto.

  • Restrição, ressalva: embora, apesar de, ainda que, mesmo que, posto que, conquanto, se bem que, por mais que, por menos que, não obstante.

COESÃO E COERÊNCIA

A linguística textual constitui um novo ramo da linguística, que se desenvolveu a partir da década de 1960 na Alemanha, Europa. Seu trabalho consiste em tomar como unidade básica de investigação, o texto, por ser a forma específica de manifestação da linguagem, e não mais a palavra ou a frase somente.

A causa de seu surgimento foi a insatisfação dos linguistas da época, quanto às lacunas apresentadas nas gramáticas de frases. Estas, não davam conta dos vários fenômenos linguísticos e, também, extralinguísticos envolvidos noprocesso de produção e interpretação de textos. Esses fenômenos somente poderiam ser explicados em termos de texto ou com referência a um contexto.

A linguística textual comporta diversas manifestações:

-semântica do texto: o que se deve entender por significação de um texto e como se constitui.

-Pragmática do texto: funções de um texto no contexto (extralinguístico).

-Sintaxe do texto: como a significação vem expressa sintaticamente no texto.

Além dos estudos sobre a coerência e coesão (centrados no texto), outros fatores de textualidade passaram a ser objeto das pesquisas sobre o texto: informatividade, situacionalidade, intertextualidade, intencionalidade, aceitabilidade (centrados no usuário), contextualização, focalização, consistência e relevância.

Entretanto, uma corrente de estudiosos apresenta especial interesse pelo processamento cognitivo do texto que domina a década de 1990 e, hoje, com tendência sociocognitivista. Para o processamento do texto há que se verificar as estratégias de produção e de compreensão que se envolvem:

a) conhecimento armazenado na memória;

b) acesso a esses conhecimentos e

c) estratégias sociocognitivas e interacionais.

Esses estudos, além da ênfase nos processos de organização global dos textos, apresentam questões de ordem sociocognitiva como referenciação, inferenciação, acesso ao conhecimento prévio, tratamento da oralidade, relação oralidade/escrita, estudos dos gêneros textuais.

COESÃO TEXTUAL

1 - COESÃO REFERENCIAL:

a) artigos definidos: o, a, os, as . Indefinidos: um, uma, uns, umas

Ex. Depois de algum tempo, aproximou-se de nós um desconhecido. O desconhecido...

b) advérbios de lugar: aqui, ali, lá etc.

Ex. Paula não irá à Europa em janeiro.  faz muito frio.

c) pronomes pessoais: ele/ela/eles/elas

Ex. Maria teve um filho. Ela tem apenas 15 anos.

d) pronomes oblíquos: o, a, lhe, lhes

Ex. Mate um frango. Corte-o em pedaços e prepare-para ir ao forno.

e) pronomes possessivos: meu, teu, seu, nosso, vosso, dele etc.

Ex. A gravata do uniforme de Paulo está velha. A minha é novinha em folha.

f) pronomes demonstrativos: este, esta, esse, essa, aquele, tal etc.

Ex. O presidente pretende anunciar as novas medidas que mudarão o imposto de renda, mas não deverá fazer issonesta semana.

g) Pronomes indefinidos: tudo, todo, algum, outro, vários, diversos, cada, nenhum etc

Ex. João pediu auxílio a parentes e amigosNenhum atendeu ao seu apelo (pedido).

h) numerais: (um, uma, uns, umas, ambos)

Ex. Mariana e Luiz são irmãos. Ambos estudam inglês e francês.

i) ELIPSE: (quando a partir do segundo verbo o sujeito fica oculto, por ter sido citado anteriormente)

Ex. João Paulo II esteve em Varsóvia. , disse que a igreja continua a favor do celibato.

j) LEXICAL (palavras sinônimas ou quase sinônimas)

a) João Paulo II = papa, Sua Santidade, o último papa

b) Varsóvia = Capital da Polônia

l) Hiperônimo/Hipônimo:

Ex. Gosto muito de doces (hiperônimo). Cocada (hipônimo), então, adoro.

móvel/mesa (mesa faz parte de um substantivo maior = móvel)

m) NOMES GENÉRICOS: coisa, gente, pessoa, fato, fenômeno etc:

Ex. A multidão ouviu o ruído de um motor. Todos olharam para o alto e viram a coisa se aproximando.

n) METONÍMIA:

Ex. No pasto, havia cem cabeças de gado. (parte pelo todo)

Observação: Evite retomada coesiva utilizando a mesma/o mesmo e seus plurais e REFERIDO(A).

Ex. Comprei uma cadeiraA mesma estava quebrada. (inadequado perante a norma culta)

2 – COESÃO SEQUENCIAL

A coesão seqüencial é obtida, principalmente, por meio dos elementos de ligação que proporcionam as relações necessárias à integração harmoniosa de orações e parágrafos em torno de um mesmo assunto (eixo temático).

Relacionamos abaixo os elementos de coesão mais usuais, agrupados pelo sentido, Estes elementos são conhecidos na gramática tradicional como conjunções, advérbios etc e, na Lingüística Textual, como operadores argumentativos.

  • Prioridade, relevância: principalmente, primordialmente, sobretudo, em primeiro lugar, antes de mais nada, primeiramente,acima de tudo.

  • Tempo (ordem, sucessão, anterioridade, posterioridade): finalmente, agora, atualmente, hoje, freqüentemente, constantemente, às vezes, eventualmente, por vezes, ocasionalmente, sempre, raramente, não raro, ao mesmo tempo, simultaneamente, a princípio, pouco antes, pouco depois, anteriormente, posteriormente, em seguida, afinal, por fim.

  • Semelhança, comparação: igualmente, da mesma forma, assim também, do mesmo modo, similarmente, analogamente, por analogia, de maneira idêntica.

  • Conformidade: conformidade com, de acordo com, segundo, conforme, sob o mesmo ponto de vista, tal qual, tanto quanto, como, assim como, bem como.

  • Condição, hipótese: se, caso, salvo se, contanto que, desde que, a menos que, a não ser que etc.

  • Adição, continuação: e, além disso, ademais, por sua vez, outro ponto, mais (grave) ainda, ainda mais, também, mas também, constata-se também, vale frisar ainda, vale lembrar também.

  • Dúvida: provavelmente, possivelmente, é provável.

  • Certeza, ênfase: de fato, por certo, certamente, indubitavelmente, inquestionavelmente, sem dúvida, obviamente.

  • Ilustração, exemplificação, esclarecimento: por exemplo, isto é, em outras palavras, ou por outra, a saber, haja vista.

  • Propósito, intenção, finalidade: com o fim de, a fim de, com o propósito de, para que, afim de que.

  • Resumo, recapitulação, conclusão: em suma, em síntese, enfim, em resumo, portanto, assim, dessa forma, dessa maneira, logo, afinal, está claro que.

  • Causa: em virtude de, por causa de, devido a, é resultado de.

  • Consequência: consequentemente, por consequência, como resultado, por isso, assim, como efeito, de sorte que, de modo que, de forma que, de maneira que.

  • Explicação: porque, porquanto, pois, já que, uma vez que, visto que.

  • Contraste, oposição: por outro lado, paradoxalmente, pelo contrário, caso contrário, em contraste com, mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto.

  • Restrição, ressalva: embora, apesar de, ainda que, mesmo que, posto que, conquanto, se bem que, por mais que, por menos que, não obstante.

User badge image

Euziana

Há mais de um mês

COESÃO TEXTUAL

A redação de um bom texto depende da articulação de idéias e palavras. Na elaboração de um texto coeso empregam-se, de forma adequada,elementos coesivos que formam uma estrutura clara e coerente nas frases.Alguns elementos de coesão são: a conjunção e; que indica adição, continuidade; por isso, pois (causa e consequência); mas, porém, embora, (contraste, oposição); além disso, também (adição, continuação); por exemplo, ou seja (esclarecimento); logo, portanto(conclusão).É preciso atenção na escolha do conectivo adequado para unir e organizar todas as partes de um texto. 

COERÊNCIA TEXTUAL

A coerência textual resulta da relação harmoniosa entre as idéias apresentadas em um texto. Refere-se, dessa forma, ao conteúdo, ou seja, à sequência ordenada das opiniões ou fatos expostos de forma coerente, sem contradições ao que se afirma para os interlocutores, devendo ter:• Organização entre as partes como um todo;• As frases não devem ser contraditórias,• O texto deve ter princípio, meio e fim.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Interessante, Vejamos em primeiro lugar a coesão significa ligado. Um elemento textual deve fazer referência ao outro. Cortando essa ligação teremoso seguinte exemplo sem adição de termos de coesão: "O ADVOGADO FOI PROCURADO PELO CLIENTE AO AFIRMAR QUE HOUVE O ACIDENTE E ESTE ESTAVA NO CONTRATO DE EXPERIENCIA. A SUMULA DO TST 378 FICOU CLARO QUE A DEMANDA É PROCEDENTE. REQUER COM A DEMANDA A DEVIDA ESTABILIDADE PROVISORIA."

Observe que o texto tem conexões logicas, ou seja, é coerente. Pois estamos tratando de um mesmo assunto e também não houve contradição. Porém os elementos textuais não fazem referência com o outro. Não existe no exemplo acima a ligação entre os fatos de maneira correta.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes